• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.5.2019.tde-15012019-092138
Documento
Autor
Nome completo
Maria Helena Müller Dittrich
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2018
Orientador
Banca examinadora
Carvalho, Werther Brunow de (Presidente)
Delgado, Artur Figueiredo
Oliveira, Nilton Ferraro
Ramos, Sonia Regina Testa da Silva
Título em português
Associação entre hiperhidratação e infecção em crianças com queimadura extensa
Palavras-chave em português
Albuminas
Edema
Estudos de coortes
Infecção
Queimaduras
Ressuscitação
Unidades de queimados
Unidades de terapia intensiva pediátrica
Resumo em português
Introdução: A ressuscitação fluídica agressiva, com volume superior ao preconizado por Baxter, com objetivo de evitar a hipoperfusão de órgãos e restabelecer a volemia rapidamente, se tornou uma tendência nos últimos anos. Esta prática vem sendo discutida mais recentemente após a caracterização do fenômeno fluid creep e pode ser causa de aumento da morbidade e mortalidade em crianças queimadas. A hiperhidratação impacta negativamente a evolução desses pacientes e já se estabeleceram associações do fenômeno fluid creep com diversas complicações, como, por exemplo, a síndrome compartimental abdominal. Pacientes queimados estão sob alto risco para infecção e sepse devido à perda da integridade da pele e à exposição prolongada ao ambiente nosocomial. A principal causa de óbito, se o paciente sobreviver à fase inicial do choque do queimado é a disfunção de múltiplos órgãos e sistemas secundária a sepse. Objetivos: Avaliar a associação entre o fluid creep e episódios infecciosos em crianças queimadas submetidas a duas estratégias diferentes de reanimação hídrica envolvendo albumina. Realizar análises de curvas de probabilidade livre de infecção, além de comparar o tempo de internação e número de procedimentos cirúrgicos realizados nestes grupos de pacientes. Metodologia: Estudo de coorte histórica envolvendo 46 crianças queimadas admitidas no Centro de Tratamento de Queimados do Hospital Universitário de Londrina entre junho de 2012 e janeiro de 2014 e que incluiu casos oriundos de um ensaio clínico randomizado controlado realizado no mesmo período. Foram incluídas crianças entre 1 e 12 anos, com queimaduras entre 15% e 45% de Superfície Corporal Queimada (SCQ) e profundidade de 2º e 3º graus, admitidas até a 12ª hora após o acidente. Todos os pacientes receberam reanimação fluídica com Ringer Lactato (RL), nas primeiras 24 horas, segundo a Fórmula de Parkland modificada (3ml/kg/%SCQ) ajustada de acordo com o débito urinário (DU). Os pacientes do grupo A = Exposto (n=23) receberam albumina 5% entre 8 e 12 horas do momento do acidente, e os do Grupo B= Não Exposto (n=23) receberam albumina 5% partir da 24a hora do acidente. Os grupos foram comparados quanto ao surgimento do fenômeno fluid creep, tempo de internação, número de procedimentos cirúrgicos realizados e infecção até a alta hospitalar. Resultados: Os pacientes do grupo A tiveram menos dias de internação comparadamente ao grupo B (p=0,007). O surgimento do fenômeno fluid creep foi maior em crianças no grupo B (p < 0,001). O tempo de internação maior de 14 dias assim como a presença de fluid creep foi associado com a presença de infecção, respectivamente p=0,002 e p=0,020. O tempo de internação bem como a presença de fluid creep apresentaram diferenças nas curvas de probabilidade livre de infecção (p < 0,05). Todas as crianças do grupo B receberam debridamento comparado com 73,9% daquelas incluídas no grupo A (p=0,022), assim como os enxertos foram mais frequentes no grupo B (p=0,032). Conclusões: Crianças queimadas que receberam albumina entre 8 e 12 horas após o acidente apresentaram significativamente menos fluid creep, menor tempo de internação e menor número de procedimentos cirúrgicos (debridamentos e enxertos) comparativamente ao grupo que recebeu albumina após 24 horas. A presença do fluid creep e o tempo de internação superior a 14 dias apresentaram diferenças nas curvas de probabilidade livre de infecção, demonstrando pior prognóstico infeccioso
Título em inglês
Association between hiperhidratation and infection in extensive burn children
Palavras-chave em inglês
Albumins
Burn units
Burns
Cohort studies
Edema
Infection
Intensive care units pediatric
Resuscitation
Resumo em inglês
Introduction: Aggressive fluid resuscitation, defined as the administration of a superior volume to the parameters recommended by Baxter, intend to rapidly set the euvolemia and avoid organ hypoperfusion in burn individuals. The practice became a trend during the last years and has been extensively discussed after the establishment of the fluid creep phenomenon and has been considered as a possible mortality and morbidity factor in burn children. A strong association of fluid creep development has already been established with many conditions, as abdominal compartment syndrome. Burn patients are at high risk of infection and subsequent progression to sepsis due to the loss of skin integrity and long-term exposure to hospital environment. If those patients survive to the burn shock, their main cause of death is the multiple organ failure secondary to sepsis, what highlights the importance of comprehensive knowledge of infectious complications in burn children. Objectives: Assess the association between fluid creep and infection episodes in burn children that were exposed to two different fluid resuscitation strategies with the use of albumin. Analyze the patients infection-free probability curves, length of stay and number of surgery procedures needed. Methods: We developed a historic cohort of 46 burn children admitted at the Burn Treatment Center, State University of Londrina. The same patients were simultaneously enrolled in a parallel clinical trial. In this study, were included patients from 1 to 12 years old, with 15% to 45% of the body surface area (BSA) compromised, second or third-degree burns, admitted up to 12 hours after the accident. Both groups were compared according to the exposure. All the patients received fluid resuscitation with Ringer Lactate (RL) in the first 24 hours, respecting the modified Parkland formula (3 ml/kg/% TBSA) adjusted according to the urine output (UO). Patients from group A were exposed to 5% albumin between 8 and 12 hours from the accident moment and the patients from group B received 5% albumin after 24 hours from the accident. The outcomes observed were development of fluid creep phenomenon, length of stay, number of surgery procedures needed and infection until the hospital discharge. Results: Compared to the group B, the group A had a shorter median length of stay (p=0,007). Fluid creep development had higher rates on group B compared to group A (p < 0,001). The length of stay for more than 14 days, as the fluid creep arising, was associated with infection (respectively, p=0,002 and p=0,02). Both the length of stay and the fluid creep presence showed difference at the infection-free probability curves (p < 0,05). All the patients from group B were submitted to debridement compared to 73,9 from group A (p=0,022). The need of skin graft procedure was also more frequent in patients from group A (p=0,032). Conclusion: Burn children that received albumin between 8 and 12 hours from the accident moment presented significant less fluid creep, shorter length of stay, and smaller number of surgery procedures (as debridement and skin graft) compared to the group that received albumin after 24 hours from the accident. Fluid creep development and length of stay superior to 14 days presented differences at the infection-free probability curves, providing a negative infectious prognosis
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2019-01-16
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.