• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.5.2006.tde-06022007-160826
Documento
Autor
Nome completo
Romy Schmidt Brock
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2006
Orientador
Banca examinadora
Falcão, Mário Cícero (Presidente)
Marba, Sergio Tadeu Martins
Okay, Thelma Suely
Título em português
Valores de referência do índice de massa corpórea para recém-nascidos de acordo com a idade gestacional
Palavras-chave em português
Antropometria
Avaliação nutricional
Crescimento
Idade gestacional
Índice de massa corpórea
Recém-nascido
Resumo em português
INTRODUÇÃO: A avaliação nutricional do recém-nascido é tarefa complexa e qualquer desvio da normalidade está associada a um aumento do risco de morbi-mortalidade. As medidas antropométricas têm representado o principal método de avaliação nutricional no período neonatal. Elas são importantes tanto para a classificação e diagnóstico do crescimento intra-uterino, quanto para posterior acompanhamento nutricional e de crescimento. Um único parâmetro antropométrico, como a medida simples de peso, não consegue avaliar adequadamente o estado nutricional do recém-nascido. O uso de medidas combinadas permite melhor determinação do estado nutricional e da proporcionalidade corpórea. O índice de massa corpórea (IMC) tem se tornado a medida de escolha na determinação do estado nutricional em crianças por ser uma relação entre peso e o comprimento, entretanto ainda sem padrões de referência para o período neonatal. OBJETIVOS: Proposição de valores normativos do índice de massa corpórea de recém-nascidos em diferentes idades gestacionais em ambos os sexos e elaboração de uma curva de percentis suavizados. METODOLOGIA: Estudo retrospectivo incluindo todos os recém- nascidos vivos admitidos no Berçário Anexo à Maternidade do Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo durante o período de janeiro de 1993 a dezembro de 2004, selecionando-se o peso e o comprimento dos recém-nascidos, adequados para a idade gestacional, classificados segundo a curva de Alexander et al (1996). Os casos excluídos corresponderam àqueles que apresentaram inadequação do crescimento intra-uterino, presença de malformações maiores, cromossomopatias, hidropisia fetal, infecções congênitas e gemelaridade. O cálculo do tamanho amostral foi desenvolvido em função da obtenção de dados suficientes para permitir a validação da amostra e o cálculo dos percentis nas idades gestacionais de 29 a 42 semanas, totalizando 2406 recém-nascidos. O cálculo do IMC foi realizado baseado na seguinte fórmula: [peso(kg)/comprimento(m)2 ] e os percentis 3, 5, 10, 25, 50, 75, 90, 95 e 97 foram determinados separadamente para cada idade gestacional. Para a construção da curva de percentis suavizados foi selecionado um modelo matemático denominado ?modelo de ajuste sinusoidal, correspondente a equação de menor erro residual e que ao mesmo tempo descreve uma tendência de crescimento compatível com o parâmetro biológico. RESULTADOS: Os resultados obtidos para cada idade gestacional nos diversos percentis demonstraram uma curva ascendente em ambos os sexos desde a 29ª. até a 40ª. semana, seguida de uma tendência a retificação até a 42ª. semana. O valor do percentil 50 do IMC para recém-nascido do sexo masculino foi de 8,53 kg/m 2 com 29 semanas e de 14,02 kg/m 2 com 42 semanas de idade gestacional. No sexo feminino, o resultado do percentil 50 do IMC foi de 8,36 kg/m 2 com 29 e 14,04 kg/m 2 com 42 semanas. Não houve diferença estatisticamente significante entre os valores de IMC em ambos os sexos, nas diferentes idades gestacionais. CONCLUSÕES: Os valores de IMC apresentam uma correlação direta com a idade gestacional em ambos os sexos nos 9 percentis estudados. As curvas de IMC são úteis para classificar os recém-nascidos de diferentes idades gestacionais proporcionando uma nova ferramenta de avaliação nutricional dos recém-nascidos com ênfase na proporcionalidade corpórea.
Título em inglês
Body mass index reference values for newborns according to gestational age
Palavras-chave em inglês
Anthropometry
Body mass index
Gestational age
Growth
Infant newborn
Nutrition assessment
Resumo em inglês
INTRODUCTION: The nutritional assessment of the newborn has been a challenging essay and any deviation from the normal is associated with an increased risk of morbidity and mortality. Anthropometric parameters have been the most important method to evaluate newborn nutrition. They are important in reflecting intrauterine growth and in defining a baseline for the infants' follow-up. A single standard anthropometric factor, as the measure of simple weight, cannot assess the nutritional status of the newborn properly. The use of a combination of two anthropometric factors has been more appropriate to assess body composition and proportions. The Body Mass Index (BMI) has become the measure of choice for the determination of nutritional status during pediatric years, as it assesses the relationship between weight and length, however there is a lack of reference values for the neonatal period. OBJECTIVES: This report presents references for body mass index of the newborn at different gestational ages for both sexes, and to construct a normal smoothed percentile curve. METHODS: Retrospective study including all admitted infants, born between January 1993 and January 2004, at the Newborn Nursery of Clinics Hospital, School of Medicine, University of São Paulo. The appropriate for gestational age newborns, following the Alexander et al curve (1996) were included. The excluded cases were represented by newborns with impaired fetal growth or abnormalities such as hydrops fetalis, congenital malformations or multiple births. The overall sample size was determined by the need to obtain sufficient data for valid calculation of percentile values from 29 to 42 weeks, totalling 2406 infants. The BMI was calculated based on the formula: [weight (kg)/ length (m)2 ], and selected percentiles (3, 5, 10, 25, 50, 75, 90, 95, 97) were determined for all target gestational ages. For the construction of a normal smoothed percentile curve, a statistical procedure based on the mathematical model of "sinusoidal fit" was applied to establish a curve that estimates the biological growth parameters. RESULTS: The BMI for gestational age and gender increased sharply from 29 to 40 weeks in all percentiles, followed by a slight increase up to 42 weeks. The values of the 50 th percentile for boys were 8,53 kg/m 2 in the 29 th week and 14,02 kg/m 2 in the 42 nd week. The girls values of the 50 th percentile were 8,36 kg/m 2 and 14,04 kg/m 2 in the 29 th and 42 nd week, respectively. There was no statistical difference between the BMI values for both sexes in the 9 percentiles evaluated. CONCLUSION: The results present a direct correlation between gestational age and BMI for both genders in the 9 studied percentiles. The BMI growth charts are useful to characterize the newborn BMI in different gestational ages, and can provide a useful reference to assess intra-uterine proportional growth.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
completa.pdf (997.19 Kbytes)
Data de Publicação
2007-02-12
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.