• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.5.2011.tde-24052011-143206
Documento
Autor
Nome completo
Mauro Cesar de Morais Filho
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2011
Orientador
Banca examinadora
Mattar Junior, Rames (Presidente)
Paula, Adilson de
Pinto, José Antonio
Título em português
Osteotomia femoral proximal para correção da deformidade em rotação interna do quadril na paralisia cerebral espática: fatores que influenciam os resultados
Palavras-chave em português
Fêmur
Marcha
Osteotomia
Paralisia cerebral
Recidiva
Resumo em português
Introdução: O aumento da rotação interna dos quadris é a causa mais comum de desvio interno dos pés na paralisia cerebral. A osteotomia de rotação externa do fêmur tem sido a forma preferencial de tratamento para os casos com aumento da anteversão femoral; no entanto, permanecem controversos os dados e fatores relacionados à recidiva do problema. Métodos: Estudo retrospectivo, com avaliação clínica e cinemática de 75 pacientes (99 osteotomias) com paralisia cerebral tipo diparesia espástica, com tempo de seguimento médio de 1 ano e 10 meses, submetidos à osteotomia de rotação externa do fêmur proximal. Os pacientes foram divididos em dois grupos, de acordo com a correção ou persistência da rotação interna do quadril durante a marcha na cinemática após a cirurgia. Os pacientes, com correção mantida na primeira avaliação, foram convocados para novo exame, realizado em média 4 anos e 5 meses após a osteotomia femoral. Os grupos foram comparados com uso dos Testes de Igualdade de Duas Proporções, Mann-Whitney e Wilcoxon. Resultados: Na primeira avaliação, realizada em média 1 ano e 10 meses após a osteotomia femoral, 33,33% dos membros tratados apresentavam persistência da rotação interna do quadril. Dos 54 pacientes com manutenção da correção na primeira avaliação, 35 (42 lados) retornaram para a segunda avaliação após em média 4 anos e 5 meses, quando foi observada recidiva da rotação interna do quadril em 9,53% dos casos. A persistência da rotação interna do quadril na primeira avaliação pós-operatória mostrou relação com o tipo de fixação interna utilizada na osteotomia femoral. O uso da placa angulada foi mais frequente nos pacientes com correção mantida, e a placa reta DCP foi mais usada no grupo de pacientes com persistência da rotação interna (p=0,033). Na segunda avaliação, a recidiva esteve relacionada com a realização da osteotomia femoral em pacientes mais jovens (p=0,032). Conclusão: A persistência da rotação interna do quadril após a realização da osteotomia de rotação externa do fêmur foi observada em um terço dos casos, e a realização da osteotomia femoral na região subtrocanteriana e fixação com placa reta DCP foi mais frequente nesse grupo de pacientes do que nos que mantiveram a correção. A recidiva da rotação interna esteve presente em 9,53% dos casos, e a idade de realização da osteotomia femoral foi menor nos pacientes com recorrência
Título em inglês
Correction of hip internal rotation deformity in spastic cerebral palsy using proximal femur osteotomy Factors related to the outcomes
Palavras-chave em inglês
Cerebral palsy
Femur
Gait
Osteotomy
Recurrence
Resumo em inglês
Introduction: Hip internal rotation is the most common cause of in toeing gait in cerebral palsy and femur external derotational osteotomy has been the preferential treatment option in cases with increase of femur anteversion, however the factors related to recurrence of the problem still controversial. Methods: Retrospective study, with clinical and kinematic evaluation of 75 diparetic spastic cerebral palsy patients, with mean follow-up time of 1 year and 10 months, underwent proximal femur external derotational osteotomy. The patients were divided in two groups according the correction or persistence of hip internal rotation during gait at kinematics after surgery. Patients with correction achieved were asked to come back for a second analysis, after a mean follow-up time of 4 years and 5 months. The groups were compared using two proportions equality test, Mann-Whitney test and Wilcoxon test. Results: In the first evaluation, with mean follow-up of 1 year and 10 months, 33.33% of osteotomies shown persistent hip internal rotation. Thirty-five of 54 patients of hip internal rotation correction at first evaluation came back for the second analysis after a mean follow-up time of 4 years and 5 months, when was observed a recurrence in the 9.53% of cases. The persistence of hip internal rotation at first evaluation after surgery exhibited relation to type of internal fixation used at proximal femur. The use of blade plates was more frequent at patients with correction achieved whereas dynamic compression plates were used more frequently in the group of patients of persistent hip internal rotation (p=0.033). In the second evaluation, the recurrence was related to femur osteotomy in the earlier age (p=0.032). Conclusion: The persistent hip internal rotation after femur external derotational osteotomy was observed at 33.33% of the cases and the use of dynamic compression plate for fixation was more frequent than the group with correction achieved. The recurrence of hip internal rotation was observed at 9.53% of the cases and the femur osteotomy was performed in earlier age in this group
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2011-05-25
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.