• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.5.2018.tde-03072018-091334
Documento
Autor
Nome completo
Thaís Queiroz Santolim
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2018
Orientador
Banca examinadora
Camargo, Olavo Pires de (Presidente)
Santarém Sobrinho, Jose Maria
Ferreira Neto, Arnaldo Amado
Rossato, Lisabelle Mariano
Título em português
Benefí­cios e riscos do cateter central de inserção periférica (CCIP): experiência em 1023 procedimentos
Palavras-chave em português
Cateterismo periférico
Cateterismo venoso central
Cuidados de enfermagem
Infusões intravenosas
Resumo em português
INTRODUÇÃO: As vantagens da utilização do Cateter Central de Inserção Periférica (CCIP) no ambiente hospitalar faz com que esse cateter ocupe uma posição de destaque na terapia intravenosa dos pacientes com indicação de administração de drogas com características que danificam a rede venosa periférica. A possibilidade de inserção do cateter a beira do leito por enfermeiros capacitados conferem maior facilidade para a inserção deste dispositivo. Por ser um cateter seguro e de fácil manutenção possibilita ainda a desospitalização precoce dos pacientes em antibioticoterapia e quimioterapia. Este trabalho relata o uso do CCIP nos pacientes do Instituto de Ortopedia e Traumatologia do Hospital das Clinicas da Universidade de São Paulo (IOT-HC-FMUSP) nos últimos 10 anos. MÉTODOS: Foram analisados 1.057 prontuários de pacientes submetidos a inserção do CCIP por enfermeiros qualificados no Instituto de Ortopedia e Traumatologia do Hospital das Clinicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo entre os anos de 2007 e 2017. Destes, 34 foram excluídos por não apresentar dados completos no prontuário para a análise posterior. Foram incluídos 1023 prontuários no total, onde foram analisados: idade, sexo dos pacientes, veia puncionada, diagnóstico, número de punções, tempo em que o paciente permaneceu com o cateter, motivo da retirada e posicionamento da ponta do CCIP. RESULTADOS: Um total de 1023 CCIPs inseridos durante o período de 10 anos cumpriram os critérios para inclusão neste estudo. Destes, 720 (70,4%) foram considerados adequadamente posicionados. O tempo médio de utilização do cateter foi de 34,3 dias. A veia basílica foi utilizada em 528 (51,6%) pacientes enquanto que a veia cefálica foi utilizada em 392 (38,3%) pacientes. Cento e cinquenta e sete (15,4%) cateteres foram removidos devido a complicações, sendo a oclusão a complicação mais frequentemente reportada, com 58 (5,7%) casos. Nenhum caso de trombose ou infecção relacionada ao cateter foi encontrado. Oitocentos e sessenta e seis (84,6%) pacientes completaram o tratamento. Destes, 791 (77,3%) completaram durante a hospitalização e 75 (7,3%) receberam alta com o dispositivo. A principal indicação do CCIP nos pacientes ortopédicos é a antibioticoterapia. CONCLUSÃO: Este estudo sugere que o CCIP é um dispositivo intravenoso seguro e pode ser utilizado para terapia intravenosa de média e longa duração em pacientes ortopédicos hospitalizados ou desospitalizados Benefits and risks of the peripherally inserted central catheter (PICC)
Título em inglês
Benefits and risks of the peripherally inserted central catheter (PICC): experience in 1023 procedures
Palavras-chave em inglês
Blood stream infusion
Central venous catheters
Nursing process
Peripherally inserted central catheters
Resumo em inglês
INTRODUCTION: The advantages of using a Peripherally Inserted Central Catheter (PICC) in hospitalized patients gives this dispositive great importance for the intravenous therapy, especially in patients with the indication of drugs that have a potential to damage peripheral veins. The possibility of inserting this catheter at bedside, procedure that should be realized by trained nurses, gives the use of this device an excellent choice for intravenous therapies. Also, for being a safe an easy maintain dispositive, it gives the patient the option of an early dismissal from the hospital to continue the intravenous therapy at home. This paper describes the uses of the Peripherally Inserted Central Catheter (PICC) in adult patients that used this device for intravenous therapy, and had complete information in the medical records between 2007 and 2016, at the Orthopedics and Traumatology Institute of the Clinics Hospital of the Medical School of the University of São Paulo. METHODS: This is a retrospective study in which we used 1.057 medical records from patients that receive intravenous therapy through a Peripherally Inserted Central Catheter (PICC). The procedure was carried out by trained nurses from the Orthopedics and Traumatology Institute of the Clinics Hospital of the Medical School of the University of São Paulo between 2007 and 2017. From the 1.057 medical records studied, 34 were excluded due to the lack of information or incomplete data at the time of the analyses. There were 1.023 medical files with complete information included in the study. We obtained the following information: age, gender, place of insertion, punctured vein, number of punctures, diagnosis, duration of the catheterization, complications of the catheter and positioning. RESULTS: A total of 1023 PICCs inserted during a 10 year period met eligibility criteria for this study. Of these, 720 (70.4%) were considered successfully positioned. Mean duration of catheterization was 34.3 days. The basilic vein was used in 528 (51.6%) patients, while the cephalic vein was used in 392 (38.3%) patients. One hundred and fifty seven (15.4%) catheters were removed due to complications. Of the complications, occlusion was reported in 58 (5.7%) patients. Incidence of catheter related thrombosis or infection was not found. Eight hundred and sixty six (84.6%) patients completed the treatment. Of these, 791 (77.3%) completed it during hospitalization and 75 (7.3%) were discharged with the catheter. PICCs in orthopedic patients are mainly used for antibiotic treatment. CONCLUSION: Our study suggests that PICC is a safe intravenous device that can be successfully utilized for medium and long lasting intravenous therapy in hospitalized and non-hospitalized orthopedic patients
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2018-07-03
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.