• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
Documento
Autor
Nome completo
Paula Schimidt Brum
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2017
Orientador
Banca examinadora
Yassuda, Monica Sanches (Presidente)
Goulart, Maria Teresa Carthery
Miotto, Eliane Correa
Novelli, Marcia Maria Pires Camargo
Radanovic, Marcia
Título em português
Treino de memória operacional para idosos saudáveis: impacto do número de sessões e grau de escolaridade dos participantes na eficácia da intervenção
Palavras-chave em português
Cognição
Escolaridade
Idoso
Memória operacional
Treino cognitivo
Resumo em português
Estudos de treino de memória operacional (MO) para idosos mostraram que esta intervenção tem beneficío específico para a MO e, muitas vezes, efeito de generalização para outras habilidades cognitivas não treinadas. As questões sobre o impacto da escolaridade dos participantes, do número de sessões e da modalidade da intervenção (individual versus grupo) sobre o efeito do treino não foram respondidas em estudos anteriores. Esta pesquisa teve como objetivos: 1. traduzir e adaptar o protocolo de avaliação e treino de MO verbal desenvolvido por Borella et al. (2010); 2. examinar a influência da escolaridade dos participantes (quatro versus oito anos e mais), 3. da dose do treino (três versus seis sessões); e 4. da modalidade (individual versus grupo), sobre os efeitos do treino de MO verbal oferecido a idosos saudáveis. Para atingir esses objetivos, 129 idosos participaram de diferentes experimentos. O Experimento 1 (replicação) contou com 11 idosos randomizados na condição treino e na condição controle ativo, todos com escolaridade acima de oito anos. O Experimento 2 (efeito da escolaridade) incluiu os participantes do estudo de replicação que foram comparados à 7 idosos randomizados na condição treino e 13 na condição controle ativo, que tinham quatro anos de escolaridade, As intervenções nos Experimentos 1 e 2 foram realizadas em três sessões individuais. No Experimento 3, 23 idosos foram randomizados na condição treino com seis sessões e 27 na condição controle ativo com seis sessões, todos com oito ou mais anos de escolaridade, e esta nova amostra foi comparada às respectivas condições dos Experimentos 1 e 2 reunidas em uma única amostra. Por fim, os participantes do Experimento 1 foram comparados a uma nova amostra de idosos com oito ou mais anos de escolaridade,16 idosos randomizados na condição treino e na condição controle ativo, que realizaram o treino de três sessões em grupo. Os resultados do estudo de replicação mostraram efeitos semelhantes aos relatados por Borella et al. (2010), isto é, apenas a condição treino aumentou seu desempenho em testes de MO e em testes de função executiva e velocidade de processamento, mantidos após seis meses. Participantes com quatro anos de escolaridade mostraram ganhos semelhantes ao grupo treino com oito ou mais anos de escolaridade, no pós-teste e após seis meses. Os resultados sobre o número de sessões indicaram que o treino com três ou seis sessões gera ganhos cognitivos equivalentes, mas há maior possibilidade de generalização do efeito para outras variáveis no treino com seis sessões. Os resultados sobre a modalidade do treino (individual versus grupo) indicaram que não existe diferença entre as modalidades nas variáveis de desfecho no pós-teste e na avaliação de seguimento. Em conclusão, os experimentos sugeriram que o treino de MO desenvolvido por Borella et al. (2010) é eficaz em diferentes contextos sócio-culturais, entre participantes com escolaridade igual a quatro anos ou superior a oito anos. Os treinos realizados em três e seis sessões mostraram efeitos semelhantes para as variáveis de desfecho, assim como o treino realizado individualmente e em grupo, sugerindo que este treino em MO promove a plasticidade cognitiva dos participantes
Título em inglês
Working memory training for older adults: impact of number of sessions and level of education of participants in intervention effectiveness
Palavras-chave em inglês
Cognition
Cognitive training
Education
Older adults
Working memory
Resumo em inglês
Working memory (WM) training studies for older adults have shown specific benefit for WM and, often, generalization effect for other untrained cognitive abilities. Questions regarding the impact of schooling, number of sessions and intervention modality (individual versus group) on the training effect have not been answered in previous studies. This research aimed to: 1. translate and adapt the verbal WM training and evaluation protocol developed by Borella et al. (2010); 2. to examine the influence of schooling (four versus eight years and more), 3. dose of training (three vs. six sessions); and 4. modality (individual vs. group) on the effects of verbal WM training offered to healthy older adults. To answer these questions, 129 older adults participated of different experiments. Experiment 1 (replication) included 11 older adults randomized in the training condition and 15 in the active control condition, all with more than eight years of schooling. Experiment 2 (effect of schooling) included the participants in the replication study who were compared to the older adults with four years of schooling, composed of 7 older adults randomized in the training condition and 13 in the active control condition. The interventions in Experiment 1 and Experiment 2 had three individual sessions. In Experiment 3, 23 older adults were randomized in the training condition with six sessions and 27 in the active control condition with six sessions, all with eight or more years of schooling, and this new sample was compared to the respective conditions of Experiments 1 and 2 united in a single sample. Finally, the sample of Experiment 1 was compared to a new sample of older adults with eight or more years of schooling, 16 older adults in the training condition and 17 in the active control condition, who underwent three group sessions. The results of the replication study showed effects similar to those reported by Borella et al. (2010), that is, only the training condition increased performance in WM, executive function and processing speed tests, maintained after six months. Participants with four years of schooling showed similar gains to the training group with eight or more years of schooling, in the post-test and after six months. The results indicated that training with three or six sessions generates equivalent cognitive gains, but there is a greater possibility of generalization of the effect in the six-session training. The results on the training modality (individual vs group) indicated that there is no difference between the modalities in the outcome variables in post-test and follow-up evaluation. In conclusion, the experiments suggested that the WM training developed by Borella et al. (2010) is effective in different socio-cultural contexts, among participants with schooling equal to or greater than eight years. The three and six sessions showed similar effects for the outcome variables, as well as individual and group training, suggested that this WM training promove a cognitive plasticity on participants
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2018-01-12
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2014. Todos os direitos reservados.