• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.5.2012.tde-18012013-120725
Documento
Autor
Nome completo
Ilham El Maerrawi
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2012
Orientador
Banca examinadora
Carvalho, Heraclito Barbosa de (Presidente)
Santos, Itamar de Souza
Figueiredo, Gerusa Maria
Gianini, Reinaldo José
Seibel, Sérgio Dario
Título em português
Estudo dos fatores de risco associados às infecções pelo HIV, hepatite B e C e sífilis e suas prevalências em população carcerária de São Paulo
Palavras-chave em português
Fatores de risco
HBV
HCV
HIV
Infecções
População confinada
Presidio
Treponema pallidum
Uso de crack
Uso de drogas injetáveis
Resumo em português
INTRODUÇÃO: Infecções pelo HIV, HBV, HCV e Treponema pallidum encontram no sistema prisional um ambiente favorável para suas propagações e representam grave problema de saúde pública. Neste estudo buscamos conhecer o perfil epidemiológico dos reeducandos de uma unidade prisional e a dinâmica do seu comportamento associado às infecções estudadas. Foram medidas as prevalências dessas infecções e suas coinfecções, investigados os potenciais fatores de risco, assim como medido o padrão de uso de drogas no presídio com ênfase no crack. MÉTODOS: Estudo epidemiológico transversal realizado de fevereiro a dezembro de 2007, na Penitenciária I de São Vicente. Realizada uma análise descritiva utilizando medidas de frequência, médias e desvio padrão. Foram considerados apenas os diagnósticos sorológicos para definição das infecções. Utilizado o OR (odds ratio) como medida de associação com nível de significância de 5% (?). Utilizada a regressão logística para estimar OR ajustado por algumas variáveis. RESULTADOS: Participaram das entrevistas 546 (84,1%) reeducandos e 514 (94,1%) realizaram as sorologias. Apresentaram um perfil jovem com idade média de 29,8 anos. 52,0% (283) referiram relacionamento conjugal com média de dois filhos. Declararam ser de cor parda 51,5% (280). O tempo médio de prisão foi de 10,5 anos. As prevalências identificadas foram: HIV 1,8% [IC95% = 0,1- 3,3], HBV 21,0% [IC95% = 17,8-25,1], HCV 5,3% [IC95% = 3,5-7,6], e 5,3% [IC95% =3,5-7,6] para a infecção pelo Treponema pallidum. Os fatores de risco associados com a infecção pelo HIV foram: uso de droga injetável (OR=15,38), > 30 anos (OR=13,3), uso de cocaína na vida (OR= 5,36) e uso de crack na vida (OR= 5,21). Nas análises multivariadas as variáveis que se mantiveram associadas com o HBV foram: uso de droga injetável (OR=3,36), ter referido DST (OR= 2,28), > de 30 anos (OR=1,86) e mais de cinco anos de prisão (OR= 2,17); com o HCV foram: uso de droga injetável (OR=9,65), uso de maconha na prisão (OR=2,91) e idade >30 anos (OR=8,41); com o Treponema pallidum foram: relação homossexual (OR=11,92) e ter referido sífilis (OR=10,88). As prevalências das coinfecções foram: 0,8% [IC95%= 0,2-2,0] para HIV/HBV, 1,4% [IC95%=0,5-2,8], para HBV/Treponema pallidum, 1,8% [IC95%= 0,8-3,3] para HBV/HCV, e para a tripla infecção 0,4% [IC95%= 0,5-1,4]. Confirmaram o uso de crack na vida 25,0% (136) dos entrevistados. Idade média de início de uso de drogas ilícitas foi de 15,4 anos. Na prisão, o uso de álcool foi relatado por 8,4% (45), tabaco por 62,0% (318), maconha por 36,5 % (194), cocaína por 9,0% (48), e crack por 11,7% (15), sendo seu uso diário referido por 2,3% (3). Uso de drogas injetáveis na vida foi referido por 5,9% (32) e nenhum uso nos últimos seis meses. As situações de violência relacionadas com drogas para 14,3% (28) foram de ameaças de morte, 16,7% (57) agressões físicas e 27,3% (3) sofreram agressão sexual. Para 15,8% (30) o crack esteve relacionado com estas situações. O seu uso com outras drogas foi referido por 41,5% (54). CONCLUSÃO: As prevalências encontradas na população confinada continuam maiores que as observadas na população geral. O consumo de drogas e praticas sexuais desprotegidas foram mantidas no período de confinamento. O tempo de confinamento mostrou-se fator importante na análise de risco. Os fatores de riscos identificados aparecem como importantes indicadores para a estruturação de estratégias de controle dessas infecções junto à população confinada.
Título em inglês
Study of prevalence and risk factors associated with hiv infection, hepatitis B and C and syphilis in a prison population of Sao Paulo State
Palavras-chave em inglês
Crack
HBV
HCV
HIV
Infection
Injected-drug use
Prisioners
Prison
Risk factors
Treponema pallidum
Resumo em inglês
INTRODUCTION: Infection by HIV, HBV, HCV and Treponema pallidum are common in the prison system due to an environment favorable to their propagation and represent a serious public health problem. This study aims to understand the epidemiological profile of the inmates in a prison unit and the behaviors associated with the infectious diseases studied. We estimated the prevalence of these infections and their co-infections, investigated potential risk factors, as well as identified the pattern of drug use in prison, especially crack use. METHODS: A cross-sectional epidemiological study conducted from February to December 2007 at the São Vicente Penitentiary . A descriptive analysis using frequency measures, means and standard deviations was conducted. We considered only the setting for serological diagnosis of infections. Odds ratio (OR) with a significance level of 5% (?) was used as a measure of association and a logistic regression was applied to estimate adjusted OR for some variables. RESULTS: A total of 546 prisoners were interviewed (84.1%). Of these, 514 (94.1%) underwent serological analysis. Results showed a profile of young men with an average age of 29.8 years. Fifty-two percent (283) reported marital relationship with an average of two children, and 51.5% (280) reported being of mixed ethnicity. The average time of arrest was 10.5 years. The prevalences were identified: HIV 1.8% [95% CI = 0.1 - 3.3], HBV 21.0% [95% CI 17.8 to 25.1], HCV 5.3% [95% CI = 3.5 to 7.6] and 5.3% [95% CI = 3.5 to 7.6] for infection with Treponema pallidum. The risk factors associated with HIV infection were injected-drug use (OR = 15.38), > 30 years (OR = 13.3), cocaine use (OR = 5.36) and use of crack during lifetime (OR = 5.21). According to multivariate analyzes, variables associated with HBV were: injected-drug use (OR = 3.36), reported any STD (OR = 2.28), > 30 years (OR = 1.86) and more than five years in prison (OR = 2.17); the variables associated with HCV were: injected-drug use (OR = 9.65), marijuana use in prison (OR = 2.91) and age> 30 years (OR = 8.41); the variables associated with Treponema pallidum were: homosexual intercourse (OR = 11.92) and have referred syphilis (OR = 10.88). The prevalence of co-infections were 0.8% [95% CI = 0.2 to 2.0] for HIV / HBV, 1.4% [95% CI = 0.5 to 2.8] for HBV / Treponema pallidum, 1.8% [95% CI = 0.8 to 3.3] for HBV / HCV infection and for the triple infection 0.4% [95% CI = 0.5 to 1.4]. Average age of onset of illicit drug use was 15.4 years. The use of crack during lifetime was reported by 25.0% (136) of respondents. In prison, alcohol use was reported by 8.4% (45), tobacco by 62.0% (318), marijuana by 36.5% (194), 9.0% for cocaine (48), and crack by 11.7% (15), with the daily use of crack reported by 2.3% (3). Injected-drug use during lifetime was reported by 5.9% (32), but no use in the last six months was reported. Drug-related violence episodes reported were death threats 14.3% (28), 16.7% (57) assaults and 27.3% (3) suffered sexual assault. To 15.8% (30) of the respondents, crack use was associated with violence episodes. The use of crack-cocaine in association with other drugs was reported by 41.5% (54). CONCLUSION: The prevalence found in the confined population is still larger than those observed in the general population. Drug use and unprotected sexual practices were maintained during the period of confinement. The confinement time proved to be an important factor in the analysis of risk of infection. The identified risk factors appear to be important indicators for developing strategies to control these infections in the prison environment.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
IlhamElMaerrawi.pdf (10.99 Mbytes)
Data de Publicação
2013-01-24
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.