• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.5.2013.tde-02082013-152354
Documento
Autor
Nome completo
Tania Aldrighi Flake
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2013
Orientador
Banca examinadora
Schraiber, Lilia Blima (Presidente)
França Junior, Ivan
Gomes, Romeu
Njaine, Kathie
Peres, Maria Fernanda Tourinho
Título em português
Violência no namoro entre jovens universitários no estado de São Paulo
Palavras-chave em português
Adulto jovem
Agressão/psicologia
Corte/psicologia
Depressão
Estudantes
Fatores de risco
Maus-tratos conjugais/psicologia
Relações interpessoais
Violência na família
Resumo em português
O estudo faz parte de pesquisa multicêntrica "Estudo Internacional de Violência no Namoro - IDVS", usando seu instrumento padronizado. Objetivou-se contribuir para o reconhecimento da ocorrência de violência entre parceiros íntimos na fase de namoro, tendo como base conceitual as questões de gênero e seus elementos para a compreensão da constituição da relação de intimidade. Dialoga, ainda, com as teorias do desenvolvimento humano, da aceitação da violência na resolução de conflitos e do aprendizado da violência da perspectiva geracional. Os recortes propostos foram três: um estudo descritivo sobre as prevalências da violência, ao longo do relacionamento de namoro e em seus diversos tipos; um segundo, abordou a violência e os fatores associados, e um terceiro, avaliou o impacto da violência na saúde mental a partir do quadro de depressão. O questionário foi auto preenchido por 362 alunos de duas universidades, uma pública e outra privada, do Estado de São Paulo, sendo 37% do sexo masculino e 63% do feminino, com idade mediana de 20 anos. Estimou-se a prevalência da violência em relacionamentos íntimos, sofrida ou perpetrada, para os tipos físico, psicológico e sexual, descrevendo-se as sobreposições entre eles. Quanto às violências, 75,9% sofreu algum tipo na vida e 76,4% as perpetraram. O tipo de violência mais prevalente, tanto sofrida como perpetrada, foi a psicológica, seguida da sexual. A grande sobreposição entre violências sofridas e perpetradas (83,9%) reflete a reciprocidade das agressões, sem diferença entre homens e mulheres. Na análise dos fatores associados ter vida sexual no namoro e aprovação da violência se mantiveram associadas a sofrer violência para as mulheres, enquanto para os homens ter tempo de namoro maior de 6 meses e uso associado de álcool e drogas mantiveram-se associados. No caso da violência perpetrada, mantiveram-se associadas para as mulheres o uso de substância 01psicoativa do tipo associação droga e álcool, ciúmes e tempo de namoro maior de dois anos. No modelo que considerou os tipos de violência e a associação com depressão, para as mulheres ter sofrido violência física exclusiva e física e sexual concomitantes mantiveram-se associadas. Os resultados estão em consonância com a literatura que analisa a violência no namoro, com alta prevalência de violências sofridas e perpetradas, além da reciprocidade tanto entre homens como entre mulheres. A situação de conjugalidade parece alterar quer a mutualidade das agressões, quer o sentido das violências e os agressores, para mulheres e para homens, em contraste com a situação de namoro. As consequências da vitimização no namoro para as mulheres são mais expressivas, enquanto que para os homens é importante se examinar com maior detalhamento as especificidades para a questão do ponto de vista masculino. Os achados trazem para o contexto brasileiro a confirmação da necessidade de ações e políticas públicas nesta direção, ao produzir conhecimento importante para programas de prevenção para jovens em fase de namoro, seja no plano dos serviços de saúde, seja no das escolas e universidades, onde se concentram os jovens, de forma a minimizar as chances de que as agressões continuem no casamento.
Título em inglês
Intimate partner violence among undergraduate students of state of São Paulo
Palavras-chave em inglês
Agression/psychology
Courtship
Depression
Family violence
Interpersonal relations
Risk factors
Spouse abuse/psychology
Undergraduate
Young adult
Resumo em inglês
The study is part of a multicenter survey "International Study of Violence in Dating - IDVS" using its standardized instrument. The objective was to contribute for the recognition of the occurrence of intimate partner violence during phase dating, based on conceptual issues of gender and its elements for understanding the formation of intimate relationship. Dialogue also with theories of human development, the acceptance of violence in conflict resolution and learning the violence of generational perspective.The proposed cut were three: a descriptive study on the prevalence of violence over the dating relationship and its various types; a second, addressed the violence and associated factors; and a third, evaluated the impact of violence on mental health from the depression disorder. The questionnaire was self-reported by 362 undergraduate students from two universities, one public and one private, of the State of São Paulo, with 37% male and 63% female, median age 20 years. We estimated the prevalence among students of violence in intimate relationships, suffered or perpetrated, for the kinds physical, psychological and sexual, describing the overlap among them. As for violence, 75.9% suffered some sort in life and 76.4% were perpetrators. The most prevalent type of violence, both suffered as perpetrated, was psychological, followed by sexual. The large overlap between violence suffered and perpetrated (83.9%) reflects the reciprocity of aggression, with no difference between men and women. In the analysis of factors associated with sex life in dating and approval of violence remained associated to suffer violence for women, while for men longer relationship more than 6 months and use of alcohol and drugs concomitant remained associated. In the case of perpetrated violence, the use of drugs and alcohol concomitant, jealousy and long relationship more than two years remained associated for women. In the model considered the types of violence and the association with depression, for women have suffered physical violence exclusive and physical and sexual concurrent remained associated. The results are consistent with previous literature on dating violence that shows high prevalence of violence suffered and perpetrated, beyond reciprocity between both, men and women. The situation seems to change either marital mutuality of aggression, whether the meaning of violence and the perpetrators, for women and for men, in contrast to the dating situation. The consequences of victimization in dating for women are more expressive, while for men it is important to examine in greater detail the specifics for the issue of male point of view. The findings of this study bring to the Brazilian context confirming the need for action and public policy in this direction, to produce important knowledge for prevention programs for young people in the stage dating, either in the health service, either in schools and universities, which concentrates the specific population of young people, in order to minimize the chances that the assaults continue in the marriage.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2013-08-07
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.