• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.5.2015.tde-23092015-110341
Documento
Autor
Nome completo
Paula Ramos Pinto
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2015
Orientador
Banca examinadora
Passarelli, Marisa (Presidente)
Abdulkader, Fernando Rodrigues de Moraes
Pauli, Jose Rodrigo
Título em português
Treinamento físico aeróbio em camundongos selvagens e transgênicos para CETP não altera a remoção de colesterol celular e a expressão de genes envolvidos no fluxo de lípides em macrófagos e arco aórtico
Palavras-chave em português
Aterosclerose
Colesterol
Exercício
Lipoproteínas
Macrófagos
Resumo em português
O exercício físico regular contribui para prevenção e redução da aterosclerose, em grande parte, por melhorar o perfil lipídico e o transporte reverso de colesterol (TRC). O TRC é um sistema antiaterogênico que promove a remoção do excesso de colesterol de macrófagos pelas apo A-I e HDL e seu transporte ao fígado, com eliminação de colesterol na bile e fezes. Em camundongos selvagens e transgênicos para proteína de transferência de colesterol esterificado (CETP-tg), o treinamento físico aumentou a transferência de colesterol radioativo de macrófagos para o plasma, fígado e fezes e o conteúdo dos receptores B-E e SR-BI no fígado. Em leucócitos, hepatócitos e enterócitos, o exercício físico aumentou a expressão do receptor de HDL, ABCA-1. Entretanto, não é claro se o exercício físico modula o fluxo de lípides em macrófagos, o que seria determinante para a primeira etapa do TRC. Assim sendo, avaliou-se, em camundongos selvagens e CETP-tg, o efeito do treinamento físico aeróbio sobre: 1) a expressão de genes envolvidos no fluxo de lípides, modulação da resposta inflamatória, vasodilatadora e antioxidante: Pparg (PPAR?), Nr1h3 (LXRalfa), Nr1h2 (LXRbeta), Abca1 (ABCA-1), Abcg1 (ABCG-1), Scarb1 (SR-BI), Cd36 (CD-36), Olr1 (LOX-1), Ccl2 (MCP-1), Tnf (TNFalfa), Il6 (IL-6), Il10 (IL10), Nos3 (eNOS) e Cat (Catalase) na parede arterial e em macrófagos peritoneais; 2) o efluxo de 14C-colesterol de macrófagos peritoneais para HDL2 e apo A-I e 3) a captação de 3H-colesteril oleoil éter-LDL (3H-COE-LDL) acetilada por macrófagos peritoneais. Camundongos machos com 12 semanas de idade, recebendo dieta padrão e água ad libitum, foram aleatoriamente divididos em grupo sedentário e treinado. O treinamento físico foi realizado em esteira, 15m/min, 30 min/dia, 5 vezes/semana, durante 6 semanas. Arco aórtico e macrófagos da cavidade peritoneal foram isolados dos animais sedentários e treinados, imediatamente (0 h) e após 48 h da última sessão de exercício. A expressão de genes foi avaliada por RT-PCR e o efluxo de colesterol, por meio da sobrecarga de macrófagos peritoneais com LDL acetilada e 14C-colesterol, seguindo-se incubação com apo A-I ou HDL2. A captação de LDL foi determinada pela incubação de macrófagos com 3H-COE-LDL acetilada. Não foram observadas alterações sistemáticas na expressão de genes envolvidos no fluxo de lípides em macrófagos e na aorta comparando-se animais sedentários e treinados, selvagens ou CETP-tg. De modo semelhante, não houve diferença no efluxo de colesterol celular e na captação de LDL. Em conclusão, não foram evidenciadas alterações em macrófagos peritoneais e na parede arterial frente ao treinamento físico aeróbio que possam contribuir para o TRC em modelo experimental de camundongos não dislipidêmicos, sem intervenção farmacológica ou alimentar. Sendo assim, o efeito do treinamento físico na melhora do transporte reverso de colesterol, observado em estudos anteriores, deve ser consequente à sua ação sistêmica sobre mediadores deste transporte e expressão de receptores no fígado e intestino
Título em inglês
Aerobic exercise training in wild type and CETP transgenic mice does not affect cellular cholesterol removal and expression of genes involved in lipid lipid flux in macrophages and aortic arch
Palavras-chave em inglês
Atherosclerosis
Cholesterol
Exercise
Lipoproteins
Macrophages
Resumo em inglês
Regular physical exercise prevents and reduces atherosclerosis mainly by improving lipid profile and reverse cholesterol transport (RCT). RCT is an antiatherogenic system that promotes excess cholesterol removal from macrophages by apo A-I and HDL and its transport to the liver. Then, cholesterol can be secreted into bile and excreted in feces. In wild type and cholesteryl ester transfer protein transgenic (CETP-tg) mice exercise training increased the transfer of 14C-cholesterol from macrophages to plasma, liver and feces and elevated SR-BI and B-E receptor content in the liver. In leucocytes, hepatocytes and enterocytes, physical exercise increased mRNA of HDL receptor, ABCA-1. Nonetheless, it is not clear if exercise can modulate lipid flux in macrophages that can be important for the first phase of the RCT. It was analyzed in wild type and CETP-tg mice the effect of aerobic exercise training in: 1) the expression of genes involved in lipid flux, inflammation, oxidation and vasodilation: Pparg (PPAR?), Nr1h3 (LXRalfa), Nr1h2 (LXRbeta), Abca1 (ABCA-1), Abcg1 (ABCG-1), Scarb1 (SR-BI), Cd36 (CD-36), Olr1 (LOX-1), Ccl2 (MCP-1), Tnf (TNFalfa), Il6 (IL-6), Il10 (IL10), Nos3 (eNOS) and Cat (Catalase) in arterial wall and peritoneal macrophages; 2) the apo A-I and HDL2-mediated cholesterol efflux from macrophages and 3) the uptake of 3H-cholesteryl oleoyl ether- acetylated LDL (3H-COE-LDL) by macrophages. Twelve week old male mice fed a chow diet and water ad libitum were randomly assigned to sedentary and trained groups. Exercise training was performed in a treadmill (15m/min, 30 min/day, 5 times/week, during 6 weeks). Aortic arch and peritoneal macrophages were isolated from sedentary and trained animals immediately (time 0) and 48 h after the last exercise session. Gene expression was analyzed by RT-PCR and cholesterol efflux mediated by apo A-I or HDL2 after macrophage overloading with acetylated LDL and 14C-cholesterol. LDL uptake by macrophages was determined by incubation with 3H-COE-acetylated LDL. There were no systematic changes in the expression of macrophages and aortic genes comparing sedentary and trained wild type or CETP-tg mice. Similarly, there were no changes in cholesterol efflux and LDL uptake by macrophages. In conclusion, it was not found alteration in gene expression and cholesterol flux in macrophages and arterial wall that can contribute to the RCT in experimental model of non-dyslipidemic mice without pharmacological or dietary interventions. Therefore, the benefits of aerobic training in improving RCT, observed in previews studies, should be consequent to its systemic action on mediators of this transport and on the expression of hepatic and intestinal receptors
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
PaulaRamosPinto.pdf (3.66 Mbytes)
Data de Publicação
2015-09-23
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.