• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.5.2011.tde-30112011-181142
Documento
Autor
Nome completo
João Manoel da Silva Júnior
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2011
Orientador
Banca examinadora
Santos, Sigrid de Sousa dos (Presidente)
Salomão, Reinaldo
Soriano, Francisco Garcia
Título em português
Caracterização da resposta inflamatória no paciente com infecção por HIV/aids e sepse
Palavras-chave em português
Calcitonina/sangue
HIV
Inflamação
Interleucina-10
Letalidade
Marcadores biológicos
Proteína C-reativa
Sepse
Síndrome de imunodeficiência adquirida
Resumo em português
Sepse é uma resposta sistêmica do hospedeiro à infecção caracterizada por alterações clínicas e laboratoriais. Em pacientes imunodeprimidos, tais alterações podem não ser nem sensíveis nem específicas para causas infecciosas, assim como agentes etiológicos, focos primários de infecção e evolução clínica podem ser distintos. A identificação de marcador laboratorial de sepse poderia auxiliar no diagnóstico, tratamento e avaliação prognóstica dessa população. O objetivo do presente estudo foi avaliar a evolução clínica, laboratorial e de marcadores inflamatórios em pacientes com infecção pelo HIV/aids e sepse, comparando-os a pacientes sépticos não infectados pelo HIV. Tratou-se de estudo prospectivo observacional de pacientes adultos com sepse grave ou choque séptico associados ou não à infecção pelo HIV/aids e admitidos em unidade de terapia intensiva. Os pacientes foram avaliados à admissão, no terceiro e sétimo dias de internação na unidade de terapia intensiva quanto a parâmetros clínicos, laboratoriais e escores de gravidade, assim como os seguintes marcadores inflamatórios: proteína c-reativa (PCR), procalcitonina (PCT), interleucina-6, interleucina-10 e TNF-. Os pacientes também foram avaliados quanto à sobrevida por ocasião da alta da hospitalar, aos 28 dias e após seis meses de inclusão no estudo. O estudo envolveu 58 pacientes consecutivamente com sepse grave e/ou choque séptico, sendo 36 com infecção pelo HIV/aids e 22 com sorologia negativa para HIV. Todos os pacientes com infecção pelo HIV preencheram critérios para aids (CDC/2008). Os pacientes sépticos com infecção pelo HIV/aids apresentaram maior ocorrência de infecções pulmonares (83,3% versus 40,9% p=0,001) e de etiologia fúngica (44,4% versus 9,1% p=0,001). Apesar dos grupos serem semelhantes em termos de xii gravidade, a mortalidade hospitalar e após 6 meses da admissão foi maior nos pacientes com infecção pelo HIV/aids em comparação aos pacientes não infectados pelo HIV (55,6 versus 27,3% p=0,03, e 58,3 versus 27,3% p=0,02, respectivamente). As concentrações iniciais de PCR e PCT foram mais baixas nos pacientes sépticos com aids que em pacientes soronegativos para HIV (130 versus 168 mg/dL p= 0,005 e 1,19 versus 4,06 ng/mL p= 0,04, respectivamente), com tendência a diminuição progressiva nos pacientes sobreviventes. Não houve diferença significativa entre as concentrações iniciais de IL-6 e TNF- em pacientes com ou sem infecção pelo HIV/aids. As concentrações iniciais de IL-10 foram maiores (4,4 pg/mL versus 1,0 pg/mL; p=0,005) e apresentaram melhor poder em predizer o óbito (área sob a curva ROC =0,74) em pacientes sépticos com infecção pelo HIV/aids. Concluindo, a evolução da sepse foi mais grave em pacientes com aids, sendo mais comuns o foco pulmonar e a etiologia fúngica. Além disso, os marcadores de resposta inflamatória apresentaram concentrações menos elevadas na população séptica soropositiva para HIV, exceto pela IL10, que também mostrou ter importante poder prognóstico nesta população
Título em inglês
Inflammatory response characters in patients with sepsis and HIV infection/AIDS
Palavras-chave em inglês
Acquired immunodeficiency syndrome
Biological markers
C - reactive protein
Calcitonin/blood
HIV
Inflammation
Interleukin-10.
Mortality
Sepsis
Resumo em inglês
Sepsis is a systemic host response to infection characterized by clinical and laboratory findings. In immunosuppressed patients, these findings may not be sensitive or specific for infectious insults, and etiologic agents, primary foci of infection and clinical outcome may also be different. The identification of a laboratory marker of sepsis could help in diagnosis, treatment and assessment of prognosis for that population. Therefore, the aim of this study was to evaluate the course of clinical, biochemical and inflammatory markers in HIV-infected and HIV-uninfected patients with sepsis. The study was prospective observational in adult patients with severe sepsis or septic shock associated or not to HIV infection/AIDS, and admitted to intensive care unit. Patients were evaluated on the first, third and seventh day of admission in relation to clinical and laboratory parameters, severity scores, besides the following inflammatory markers: c-reactive protein (CRP), procalcitonin (PCT) interleukin-6, interleukin-10 and TNF-. Patients were evaluated according survival at hospital discharge and after six months of admission on the study. The study involved 58 consecutive patients with severe sepsis or septic shock, 36 with HIV infection/AIDS and 22 non HIV-infected. All patients with HIV infection met criteria for AIDS (CDC/2008). The septic patients with HIV infection/AIDS presented more pulmonary infections (83.3% versus 40.9% p = 0.001) and fungal etiology (44.4% versus 9.1% p = 0.001). Although groups presented similar severity, the mortality rate at hospital discharge, 28 days and 6 months after admission was higher in patients with AIDS compared to patients without HIV infection (55.6 versus 27 3% p=0.03, and 58.3 versus 27.3% p=0.02, respectively). The initial concentrations of CRP and PCT were lower in septic patients with AIDS than in HIV-negative patients (130 versus xiv 168 mg/dL p= 0.005 and 1.19 versus 4.06 ng/mL p=0.04, respectively), with tendency to a progressive decrease in surviving patients. There was no significant difference between the initial concentrations of IL-6 and TNF- in patients with or without HIV infection/AIDS. The initial concentrations of IL-10 were higher (4.4 pg/mL versus 1.0 pg/mL, p = 0.005) and also they were better able to predict death (area under ROC curve = 0.78) in septic patients with HIV infection/AIDS. Concluding, the sepsis course was more severe in patients with AIDS, with more common pulmonary focus and fungal etiology. Furthermore, the markers of inflammatory response showed lower concentrations in septic HIV infected patients, except for IL10, which proved to have a significant prognostic power in this population
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2011-12-02
 
AVISO: O material descrito abaixo refere-se a trabalhos decorrentes desta tese ou dissertação. O conteúdo desses trabalhos é de inteira responsabilidade do autor da tese ou dissertação.
  • SILVA, João Manoel, and SANTOS, Sigrid De Sousa dos. Sepsis in AIDS patients : clinical, etiological and inflammatory characteristics [doi:10.7448/IAS.16.1.17344]. Journal of the International AIDS Society [online], 2013, vol. 16, n. 1.
  • SILVA, João. C-reactive protein and procalcitonin in septic and HIV infection patients. In Fifth International Symposium on Intensive Care and Emergency Medicine for Latin America (ISICEM), 15, São Paulo, 2009.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.