• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.5.2013.tde-26092013-145111
Documento
Autor
Nome completo
Maria Cristina Tejero Vallenas
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2013
Orientador
Banca examinadora
Tengan, Fatima Mitiko (Presidente)
Abdala, Edson
Ferraz, Maria Lúcia Cardoso Gomes
Título em português
Avaliação da resistência à insulina em pacientes com hepatite C crônica não diabéticos
Palavras-chave em português
Estudos transversais
Hepatite C crônica
Hepatite C crônica/epidemiologia
HOMA-IR
Manifestações extra-hepáticas
Resistência à insulina
Resumo em português
INTRODUÇÃO: O vírus da hepatite C (VHC) é a maior causa de hepatite crônica em todo o mundo. É um vírus hepatotrópico e linfotrópico que está associado a diversas manifestações extra-hepática que tem sido associada à infecção pelo VHC. A presença de RI nos pacientes com hepatite C está implicada em pior resposta ao tratamento antiviral com interferon, na progressão da fibrose hepática, na instalação da esteatose e maior risco de carcinoma hepatocelular. O método mais comumente utilizado para o diagnóstico da RI é o índice HOMA-IR (homeostasis model assessment). OBJETIVOS: Avaliar a frequência de resistência à insulina e os fatores associados em pacientes infectados com o vírus da hepatite C. MÉTODOS: Incluídos 202 pacientes infectados pelo VHC e não diabéticos em estudo transversal realizado no ambulatório de hepatites virais do DMIP- HCFMUSP de março de 2010 a fevereiro de 2012. Foram avaliados dados demográficos, antropométricos, bioquímicos (incluindo HOMA-IR) e dados de estudo anatomopatológico do fígado. Os pacientes foram divididos em dois grupos: resistentes à insulina (HOMA-IR >= 3) e não resistentes à insulina (HOMA-IR < 3). Esses grupos foram submetidos à análise uni e multivariada (regressão logística), para ajuste dos fatores de confusão. RESULTADOS: Dos pacientes incluídos no estudo, 87 (43,1%) eram do sexo masculino e 115 (56,9%) do sexo feminino. A média de idade foi de 49,65 anos. O fator de risco mais frequente para aquisição da VHC foi a transfusão sanguínea. O genótipo 1 foi o mais frequente (77,2%), seguido pelo genótipo 3 (18,3%). Trinta e três pacientes (16,3%) apresentaram grau de fibrose avançado (3 e 4). Noventa e cinco pacientes (47%) apresentaram algum grau de esteatose. Cinquenta e dois pacientes (25,74%) apresentaram HOMA-IR >= 3. Entre os pacientes infectados pelo VHC genótipo 1 (n = 156), encontramos 41 pacientes (26,3%) com resistência à insulina; entre os pacientes com genótipo 3 (n = 37), encontramos 10 pacientes (27,0%) com HOMA-IR >= 3. Encontramos associação positiva entre índice de massa corpórea maior ou igual a 25 kg/m2, presença de esteatose hepática e presença de resistência à insulina. Atividade necroinflamatória e esteatose hepática foram fatores independentes associados à fibrose hepática. CONCLUSÕES: Considerando a prevalência e as implicações clínicas da resistência à insulina, são necessários mais estudos para se conhecer a melhor abordagem para os pacientes resistentes à insulina nos pacientes com hepatite C crônica
Título em inglês
Evaluation of insulin resistance in patients with chronic hepatitis C non-diabetics
Palavras-chave em inglês
Cross-sectional studies
Extra-hepatic manifestations
Hepatitis C chronic
Hepatitis C chronic/epidemiology
HOMA-IR
Insulin resistance
Resumo em inglês
BACKGROUND: Hepatitis C virus (HCV) is the leading cause of chronic hepatitis worldwide. It is a hepatotropic and lymphotropic virus that is associated with several extrahepatic manifestations. Insulin resistance (IR) is an extrahepatic manifestations that have been associated with HCV infection. The presence of IR in patients with hepatitis C is implicated in poor response to antiviral therapy with interferon, in the progression of liver fibrosis, the installation of steatosis and increased risk of hepatocellular carcinoma. The most commonly used method for the diagnosis of IR is the HOMA-IR (homeostasis model assessment). OBJECTIVES: To assess the frequency of insulin resistance and associated factors in patients infected with hepatitis C. METHODS: The sample comprised 202 non-diabetic patients infected with HCV and non-diabetic study performed in the outpatient clinic of the viral hepatitis DMIP-HCFMUSP between March 2010 and December 2011. We evaluated demographic, anthropometric, biochemical (including HOMA-IR) data and histological features of of the liver. The patients were divided into two groups: insulin resistant (HOMA-IR >=3) and non-insulin resistant (HOMA-IR < 3). These groups were subjected to univariate and multivariate analysis (logistic regression) to adjust for confounding factors. RESULTS: Of the patients studied, 87 (43.1%) were male and 115 (56.9%) females. The mean age was 49.65 years. The most common risk factor for acquisition of HCV was blood transfusion. Genotype 1 was the most frequent (77.2%), followed by genotype 3 (18.3%). Thirty-three patients (16.3%) had advanced fibrosis (3 and 4). Ninety-five patients (47%) had some degree of steatosis. Fifty-two patients (25.74%) had HOMA-IR >= 3. CONCLUSIONS: Among patients infected with HCV genotype 1 (n = 156), we found 41 patients (26.3%) with insulin resistance, among patients with genotype 3 (n = 37), we found 10 patients (27.0% ) with HOMA-IR >= 3. We found a positive association between body mass index greater than or equal to 25 kg/m2, presence of hepatic steatosis and presence of insulin resistance. Necroinflammatory activity and hepatic steatosis were independent factors associated with liver fibrosis. CONCLUSIONS: Given the prevalence and clinical implications of insulin resistance, further studies are needed to know the best approach for insulin resistant patients with chronic hepatitis C
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2013-11-13
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.