• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.5.2015.tde-11052015-133426
Documento
Autor
Nome completo
Larissa Marques de Oliveira
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2014
Orientador
Banca examinadora
Costa, Silvia Figueiredo (Presidente)
Barbosa, Maria Clara Padoveze Fonseca
Tengan, Fatima Mitiko
Título em português
Detecção e caracterização molecular de Staphylococcus aureus meticilina resistente em amostras de pacientes hepatopatas
Palavras-chave em português
Caracterização molecular
Colonização
Hepatopatas
Infecção hospitalar
Staphylococcus aureus meticilina resistente
Transplante de fígado
Resumo em português
Introdução: Staphylococcus aureus é um patógeno que frequentemente coloniza pacientes cirróticos e transplantados de fígado. A colonização por S. aureus aumenta o risco de infecções invasivas por MRSA (Methicillin Resistant Staphylococcus aureus) o que aumenta a duração da hospitalização, os custos, a morbidade e a mortalidade. Com isso, é de grande importância o desenvolvimento de estratégias para identificação rápida, prevenção e controle de MRSA nesta população de pacientes. Objetivos: detectar MRSA em pacientes hepatopatas e descrever as características fenotípicas e moleculares de isolados MRSA neste grupo de pacientes. Metodologia: swabs nasais e inguinais foram coletados de 126 pacientes pré-transplante e 64 pacientes transplantados de fígado. Os swabs foram destinados para cultura microbiológica e também para extração direta de DNA. Foi determinada a Concentração Inibitória Mínima de 10 antimicrobianos de todos os isolados MRSA os quais também foram submetidos à caracterização de SCCmec, PFGE e spa typing. Amostras de DNA também foram submetidas à PCR 16S, MPCR coA/mecA e caracterização de SCCmec. Resultados: de acordo com a cultura microbiológica 12% dos swabs cultivados apresentaram crescimento de MRSA, resultando em 44 isolados MRSA. Todos os isolados foram resistentes à oxacilina, penicilina e sensíveis à vancomicina; todos amplificaram os genes coA e mecA; SCCmec tipo II e spa t002 predominaram nos dois grupos de estudo; além disso houve um cluster entre os isolados, o qual foi relacionado ao clone New York/Japan. O Clone Endêmico Brasileiro (BEC) foi relacionado somente à 4 isolados póstransplante. 98% das amostras de DNA amplificaram o gene 16S; a M-PCR identificou a presença de MRSA em 71% amostras de DNA e 61% das amostras tiveram a caracterização de SCCmec. O SCCmec tipo II predominou nos dois grupos de estudo. Conclusão: uma alta proporção de pacientes hepatopatas está colonizada com MRSA. Pacientes transplantados de fígado foram mais colonizados que pacientes cirróticos pela cultura microbiológica. A M-PCR coA/mecA diretamente de swabs foi mais sensível que a cultura microbiológica para identificar MRSA. Além disso, o PFGE demonstrou ter maior poder discriminatório que spa typing e não houve uma boa concordância entre os padrões de PFGE e spa types. Este estudo também demonstrou que está havendo uma mudança de clones MRSA em nosso hospital, devido à substituição do clone BEC pelo clone NY/Japan na última década
Título em inglês
Detection and molecular characterization of methicillin-resistant Staphylococcus aureus in samples of patients with liver disease
Palavras-chave em inglês
Colonization
Liver disease
Liver transplant
Methicillin-resistant Staphylococcus aureus
Molecular characterization
Nosocomial infection
Resumo em inglês
Introduction: Staphylococcus aureus is a pathogen that frequently colonizes cirrhotic and also liver transplanted patients. The S. aureus colonization increases the risk of invasive infections by MRSA (Methicillin Resistant Staphylococcus aureus) that increases the duration of hospitalization, costs, morbidity and mortality. Thus, it is of great importance to develop strategies for early identification, prevention and control of MRSA in this population of patients. Objectives: to detect MRSA in patients with liver diseases, in addition to observe the phenotypic and molecular characteristics of MRSA isolates in this group of patients. Methods: nasal and groin swabs were collected from 126 patients pre-transplant and 64 liver transplanted patients. The swabs were designed to microbiological culture and also to direct extraction of DNA. Determined the Minimum Inhibitory Concentration of 10 antimicrobials of all MRSA isolates which were also submitted to M-PCR of coA/mecA, characterization of SCCmec, PFGE and spa typing. DNA samples were also submitted to PCR of 16S, M-PCR of coA/mecA and characterization of SCCmec. Results: according to microbiological culture, 12% of swabs showed growth of MRSA, resulting in 44 MRSA isolates. All isolates were resistant to oxacillin, penicillin and vancomycin susceptible; all amplified the coA and mecA genes; SCCmec type II and spa t002 predominated in both groups; in addition there was a cluster among isolates, which was related to clone New York / Japan. Furthermore Brazilian Endemic Clone (BEC) was also related to 4 post transplantation isolates. 98% of DNA samples amplified 16S gene; M-PCR identified the presence of MRSA in 71% of DNA samples and 61% of the samples had the characterization of SCCmec. SCCmec type II was predominant in the two study groups. Conclusion: a high proportion of patients with liver disease are colonized with MRSA. Liver transplant patients are more colonized that cirrhotic patients by culture method. M-PCR CoA / mecA directly from swabs was more sensitive than microbiological culture to identify MRSA. Moreover, the PFGE shown to have a higher discriminatory power than spa typing and there was no good concordance between PFGE patterns and spa types. This study also demonstrated that there is a change of MRSA clones in our hospital, due to the replacement of the clone BEC by NY/Japan clone in the last decade
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2015-05-11
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.