• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.5.2008.tde-26032009-113115
Documento
Autor
Nome completo
Luciana Archetti Conrado
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2008
Orientador
Banca examinadora
Rivitti, Evandro Ararigboia (Presidente)
Criado, Paulo Ricardo
Kadunc, Bogdana Victoria
Sanches Junior, Jose Antonio
Torres, Albina Rodrigues
Título em português
Prevalência do transtorno dismórfico corporal em pacientes dermatológicos e avaliação da crítica sobre os sintomas nessa população
Palavras-chave em português
Cirurgia plástica
Comorbidade
Dermatologia
Estudo comparativo
Imagem corporal
Prevalência
Procedimentos cirúrgicos minimamente invasivos
Transtorno dismórfico corporal
Transtorno obsessivo-compulsivo
Transtornos somatoformes/epidemiologia
Resumo em português
São cada vez mais freqüentes as queixas cosméticas na sociedade contemporânea objetivando a perfeição das formas do corpo e da pele. Os dermatologistas e cirurgiões plásticos são frequentemente consultados para avaliar e tratar essas queixas. Sendo assim é importante conhecer o Transtorno Dismórfico Corporal, inicialmente chamado de dismorfofobia que foi pouco estudado até recentemente. Esse transtorno é relativamente comum, por vezes incapacitante, e envolve uma percepção distorcida da imagem corporal caracterizada pela preocupação exagerada com um defeito imaginário na aparência ou com um mínimo defeito corporal presente. A maioria dos pacientes apresenta algum grau de prejuízo no funcionamento social e ocupacional e como resultado de suas queixas obsessivas com a aparência podem desenvolver comportamentos compulsivos, em casos mais graves há risco de suicídio. O nível de juízo crítico é prejudicado, não reconhecem que seu defeito é mínimo ou inexistente e freqüentemente procuram tratamentos cosméticos para um transtorno psíquico. A prevalência do transtorno na população geral é de 1 a 2% e em pacientes dermatológicos e de cirurgia cosmética de 2,9 a 16%. Neste estudo investigou-se a prevalência do Transtorno Dismórfico Corporal em pacientes dermatológicos. Entrevistadores treinados avaliaram com questionários e entrevistas semi-estruturadas (SCID) pacientes que procuravam tratamentos cosméticos clínicos e cirúrgicos (grupo Cosmiatria, n=150), que procuravam a dermatologia em geral (grupo Geral, n=150) e grupo controle de 50 pacientes. Três psiquiatras independentes fizeram a melhor estimativa diagnóstica (best estimate diagnosis). Foram diagnosticados 32 pacientes (Cosmiatria 14%; Geral 6,7%; Controle 2%). As diferenças entre as prevalências nos três grupos foram significativas, bem como entre o grupo da Cosmiatria e o Controle. A regressão logística mostrou maior prevalência na Cosmiatria do que no grupo Geral e Controle, em indivíduos solteiros e com menor índice de massa corpórea. A gravidade foi moderada (em escala validada) e as obsessões foram mais significativas no grupo da Cosmiatria do que no Geral. A aplicação de escala de avaliação de crenças mostrou que o nível de juízo crítico estava mais prejudicado nos pacientes do grupo da Cosmiatria. Nenhum paciente havia sido diagnosticado previamente. As comorbidades psiquiátricas foram freqüentes, principalmente o Transtorno Depressivo Maior e o Transtorno Obsessivo Compulsivo. A comparação de subgrupos de pacientes que tinham o Transtorno Dismórfico Corporal ou este associado ao Transtorno Obsessivo-Compulsivo não mostrou diferenças significativas quanto às variáveis demográficas, comorbidades psiquiátricas, gravidade do transtorno ou nível de juízo crítico. As queixas dermatológicas mais freqüentes, em média duas, foram: discromias, acne, quanto à forma do corpo e ao envelhecimento. No grupo Cosmiatria a maioria dos pacientes já havia se submetido a tratamentos ou cirurgias cosméticas com resultados insatisfatórios. Os achados desse estudo apontam para uma maior prevalência em pacientes dermatológicos, principalmente nos que procuram tratamentos cosméticos, sugerindo que possam ser mais obsessivos e ter pior nível de juízo crítico em relação aos seus sintomas. Considerando a alta prevalência do Transtorno Dismórfico Corporal em pacientes dermatológicos e que os tratamentos cosméticos raramente melhoram seus sintomas, o treinamento dos profissionais para a investigação sistemática, diagnóstico e encaminhamento para tratamento psiquiátrico parece fundamental
Título em inglês
Prevalence of body dysmorphic disorder among dermatological patients and level of insight about their symptoms
Palavras-chave em inglês
Body image
Comorbidity
Comparative study
Dermatology
Obsessive-compulsive disorder
Prevalence
Somatoform disorders/epidemiology
Surgery plastic
Surgical procedures minimally invasive
Resumo em inglês
Cosmetic concerns are increasingly pervading the contemporary societies, focusing on body shape and the skin perfection. Dermatologists and plastic surgeons are frequently consulted to evaluate and treat these concerns. Therefore it is important to be aware of the Body Dysmorphic Disorder, also known as dysmorphophobia, little studied until recently. This disorder is relatively common sometimes causing impairment involving a distorted perception of the body image characterized by an excessive preoccupation with an imagined or minimal appearance defect. Most of the patients experience some degree of impairment in social or occupational functioning and as a result, their obsessive thoughts, may lead to repetitive behaviors and in severe cases, to attempted suicide. Most individuals have poor insight and they do not acknowledge the defect is minimal or inexistent and seek out cosmetic treatments for a psychiatric disorder. The prevalence of this disorder among general population ranges from 1 to 2 % and in dermatological and cosmetic surgery patients ranges from 2, 9 to 16%. This study assessed the prevalence of Body Dysmorphic Disorder in dermatological patients. Trained interviewers used questionnaires (BDDQ) and semi-structured clinical interviews (SCID) to access patients seeking clinical or surgical cosmetic treatments (Cosmetic group, n=150), seeking dermatology in general (General group, n=150) and a control group of 50 subjects. Three independent psychiatrists assigned the best estimate diagnosis and 32 patients were diagnosed with the disorder (Cosmetic 14%, General 6, 7% and Control 2%). Prevalence differences in the three groups were significant, also for Cosmetic and Control groups. In the logistic regression a higher prevalence has been noticed in the Cosmetic group (when compared with General and Control groups), in patients that are not currently married and with less body mass index. The severity of the symptoms assessed by a validated scale (BDD-YBOCS) was moderate and the obsessions were significantly higher in the Cosmetic group as compared to the General one. Beliefs were assessed by a scale (BABS) and insight were significantly poorer in the Cosmetic group. None of the patients had been previously diagnosed. Psychiatric co-morbidities were frequent, mostly Major Depressive Disorder and Obsessive-Compulsive Disorder. Comparing two patients subgroups with just Body Dysmorphic Disorder and patients with Obsessive-Compulsive Disorder as comorbidity show no differences according to demographic variables, Axis I psychiatric comorbidity, symptoms severity and level of insight. The most frequent dermatological concerns were dyschromias, acne, the shape of the body and ageing. In the Cosmetical group most of the patients have performed clinical or surgical cosmetic treatments with poor results. Our findings provide further support for higher prevalence of Body Dysmorphic Disorder in dermatological patients, mainly those seeking cosmetic treatments and suggests that those patients might be more obsessive and having poorer insight into their symptoms. Taking into account the high prevalence of Body Dysmorphic Disorder in dermatological patients and cosmetic treatments that rarely improve symptoms there are compelling reasons for training professionals to systematically investigate, diagnose and refer these patients to adequate psychiatric treatment
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2009-04-06
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.