• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.5.2008.tde-24112008-141751
Documento
Autor
Nome completo
Marcos de Paula Nogueira
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2008
Orientador
Banca examinadora
Pereira, Paulo Roberto Bueno (Presidente)
Carmona, Murilo Alexandre
Maximiano, Linda Ferreira
Otoch, Jose Pinhata
Zantut, Luiz Fernando Correa
Título em português
Uso do silicone e poliuretano na uretroplastia dorsal: estudo experimental em coelhos
Palavras-chave em português
Coelhos
Poliuretanos
Silicones
Uretra/cirurgia
Resumo em português
INTRODUÇÃO: O tratamento cirúrgico das estenoses uretrais com enxertos limita-se ao emprego de materiais orgânicos, mais freqüentemente autoenxertos. O sucesso no uso de biomateriais sintéticos em diferentes áreas da medicina motivou a pesquisa desses materiais na reconstrução uretral. A informação de que o uso de prótese mamária de silicone recoberta com espuma de poliuretano revelou menor retração cicatricial que as próteses convencionais e o fato desses polímeros já serem empregados como elastômero na confecção de cateteres urinários, levou à escolha deste material para estudo. MÉTODOS: Foi realizada a ressecção de segmento dorsal da uretra anterior de 20 coelhos machos NZW. O defeito uretral foi tratado com o implante no leito uretral dorsal de uma placa não tubularizada de silicone, revestida externamente com espuma de poliuretano (Si-Pu). Como controle foi confeccionado o grupo Sham (GS) com 12 animais. Este grupo foi submetido à uretrotomia dorsal longitudinal e uretrorrafia, sem qualquer tipo de implante. As análises foram feitas com 2, 4, 8 e 24 semanas após a cirurgia. Analisaram-se alterações da circunferência da uretra e complicações cirúrgicas. Fez-se estudo histológico com coloração de Tricrômico de Mason, Hematoxilina-eosina e Picrosírirus red. Foram avaliadas: intensidade e características da resposta inflamatória, espessura da parede da uretra (edema) e concentração do colágeno na submucosa da uretra. Foi realizada análise microbiológica e pesquisa de incrustação do implante por termogravimetria. Os achados foram comparados com os dados de três coelhos que não sofreram qualquer intervenção. RESULTADOS: Não foram encontradas fístulas, estenoses, obstrução, calcificação, retração cicatricial ou deiscências. Ocorreu expulsão do implante em 1/5 dos animais após 4 semanas, em 2/5 com 8 semanas e em 3/5 com 24 semanas. Não houve redução da circunferência da uretra na comparação entre os grupos Experimental (GE) e GS, exceto para o intervalo de 8 semanas. Ocorreu infecção do sítio cirúrgico em 11 de 12 animais do GS e em 13 de 20 animais do GE. As bactéria mais comumente encontradas foram Staphylococcus DNAse negativa (9/32) e Escherichia coli (5/32). A presença de infecção por Enterobacter cloacae foi acompanhada de menor ganho de peso pelos animais (P=0,02), fato não observado na infecção com outras bactérias. A circunferência uretral foi maior (P=0,006) na vigência de infecção por Staphylococcus do que nas amostras estéreis. A histologia do GE mostrou processo inflamatório severo e substituição das fibras musculares da lâmina própria por colágeno com regressão do edema e das células inflamatórias, tardiamente. No GS ocorreu deposição tardia de colágeno e inflamação leve, porém constante. Houve re-epitelização da uretra nos dois grupos. A concentração de colágeno na área manipulada foi maior apenas na comparação entre os GE e GS com 24 semanas (P<0,001). O edema da parede uretral foi maior no GE que no GS nos intervalos de 2 semanas e de 4 semanas com P<0,001, e após 8 semanas com P<0,05. Após 24 semanas não se verificou diferença entre as espessuras da submucosa. Na análise descritiva da termogravimetria observou-se incrustação de material orgânico no implante, que não se mostrou significante estatisticamente na análise quantitativa de perda de massa. A incrustação de material inorgânico ao implante foi desprezível. CONCLUSÕES: O uso do Si-Pu leva à formação de cápsula colágena que permite a re-epitelização da uretra sem ocasionar retração local, funcionando como um biomolde, porém a expulsão do implante limita seu uso
Título em inglês
The silicone and polyurethane used in dorsal on lay urethroplasty: experimental study in rabbits
Palavras-chave em inglês
Polyurethanes
Rabbits
Silicones
Urethra/ surgery
Resumo em inglês
BACKGROUND: Actually, the treatment of urethral stenosis employs biological grafts, usually autologous grafts. The success with synthetic biomaterials in others medical specialtys motivated the search of these materials in urethral reconstruction. The knowledge about the silicone mamarian prosthesis covered with polyurethane foam reduces capsular contracture in breast implants and because these polymers are already used in the urinary tract like catheters make the choice for these materials. METHODS: The resection of dorsal segment of anterior urethra of 20 male rabbits NZW was carried through. The urethral defect was treated with the on lay dorsal graft in urethra, compound a silicone not tabularized, coated with polyurethane foam in one face (Si-Pu). The control group (sham) was confectioned with 12 animals was submitted to longitudinal dorsal uretrotomy and suture, without any type of implantation (SG). The analyses intervals were 2, 4, 8 and 24 weeks after surgery. The circumference of urethra and surgical complications had been analyzed. Material for histological evaluation was stained with Massons thrichrome, hematoxylin and eosin and Picrosirius red. Intensity and characteristics of the inflammatory response, thickness of the urethra (oedema) and concentration of the collagen in the submucosa had been evaluated. Still, was performed microbiological analysis and research of implants incrustation with thermogravimetry. The findings had been compared with the data of three rabbits that had not suffered any intervention. RESULTS: The morfological analysis not founded fistula, obstruction, stenosis, cicatricial retraction, calcification and dehiscence. The graft was extruded after 4 weeks in 1/5 of the animals, in 2/5 after 8 weeks and after 24 weeks, 3/5 of the animals had failure of union with the surrounding tissue. Except for the interval of 8 weeks, It did not have urethral circumference reduction in the comparison between groups, Experimental (EG) and SG. Infection of the surgical place occurred in 11 of 12 animals of the GS and in 13 of 20 animals of EG. Staphylococcus DNAse-negative and Escherichia coli were the most frequent bacterium founded, and occurred in 9/32 and 5/32, respectively. The infection with Enterobacter cloacae was associated to lesser weight gain for the animals (P=0,02), fact not observed in infection with other bacteria. The Staphylococcus infection was associated to larger urethral circumference (P=0,006), when compared to sterile samples. The EG histological analysis showed early severe inflammatory process and substitution of smooth muscle fibers for collagen and regression of edema and inflammatory cells decrease laterly. Occurred delayed deposition of collagen and slight inflammation in the SG, however this process was constant. Was observed urothelial reepithelialization in both groups. The collagen concentration in urethral wall at surgical site was larger in EG with 24 weeks when compared to SG at same time (P< 0.001). There was significantly less urethral wall oedema in SG at 2 weeks, at 4 weeks (P< 0.001) and after 8 weeks (P< 0,05) than EG at the same time. After 24 weeks no difference was verified in submucosa thickness between the groups. The descriptive thermogravimetric analysis showed graft incrustation with organic material, however without statistic significance in quantitative analysis of mass loss. The inorganic graft incrustation was negligible. CONCLUSIONS: The use of Si-Pu implants in urethra originated a fibrous collagen capsule that allows reepitelialization without local contracture, like a biological skeleton. Nevertheless, grafts extrusion limits their clinical employment
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
MarcosPNogueira.pdf (13.88 Mbytes)
Data de Publicação
2008-12-16
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.