• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
Documento
Autor
Nome completo
Carolina Maria Pinto Domingues de Carvalho e Silva
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2018
Orientador
Banca examinadora
Hajjar, Ludhmila Abrahão (Presidente)
Galas, Filomena Regina Barbosa Gomes
Maia, Lilia Nigro
Santos Filho, Raul Dias dos
Título em português
O efeito das estatinas na prevenção de complicações pós-operatórias em pacientes adultos submetidos a cirurgias cardíaca e não-cardíaca: revisão sistemática e metanálise com análise sequencial de estudos randomizados
Palavras-chave em português
Cirurgia cardíaca
Cirurgia não-cardíaca
Complicações pós-operatórias
Estatinas
Estudos clínicos randomizados
Metanálise
Resumo em português
Introdução: Estudos anteriores sugerem possível benefício do uso perioperatório das estatinas para redução de eventos cardiovasculares pósoperatórios. Metanálise previamente publicada demonstra que as estatinas reduzem mortalidade e infarto perioperatório em pacientes submetidos a cirurgia não-cardíaca. Entretanto, novas evidências em cirurgia cardíaca sugerem efeitos neutros ou mesmo deletérios das estatinas, sendo que metanálise recente demonstrou aumento da incidência de insuficiência renal aguda e tendência a maior mortalidade pós-operatória. Devido aos resultados conflitantes e escassez de evidências definitivas, foi realizada uma revisão sistemática e metanálise de estudos randomizados para avaliar os efeitos do uso perioperatório das estatinas em cirurgia cardíaca e nãocardíaca. Objetivo: Avaliar em pacientes adultos submetidos à cirurgia cardíaca e não-cardíaca a associação entre o uso perioperatório de estatinas e a incidência pós-operatória de infarto agudo do miocárdio, acidente vascular cerebral, insuficiência renal aguda e mortalidade. Metodologia: As bases de dados Pubmed, EMBASE e Cochrane foram avaliadas por 2 pesquisadores independentes até 1º de maio de 2018 para busca de artigos apropriados. Foram incluídos estudos randomizados que avaliaram o uso perioperatório de estatinas comparadas a placebo ou a nenhum tratamento em pacientes submetidos a cirurgia cardíaca e nãocardíaca. Foram calculados o risco relativo (RR) ou razão de chances (odds ratio, OR) e intervalo de confiança 95% (IC 95%) por meio de metanálise de efeitos fixos. Foi realizada a análise sequencial dos estudos (trial sequential analysis, TSA) para quantificar a confiabilidade estatística dos dados. A metodologia Cochrane foi utilizada. Os desfechos primários foram definidos como infarto agudo do miocárdio, acidente vascular cerebral, insuficiência renal aguda e mortalidade no período pós-operatório. Resultados: Foram incluídos 35 estudos randomizados totalizando 8200 pacientes. O uso de estatina comparado ao controle foi associado a menor incidência de infarto em pacientes submetidos a cirurgia não-cardíaca (OR=0,44 [IC 95%, 0,30 a 0,64], p < 0,0001), mas não em pacientes submetidos a cirurgia cardíaca (OR=0,93 [IC 95%, 0,70 a 1,24], p=0,61). O uso da estatina foi associado a maior incidência de insuficiência renal aguda em cirurgia cardíaca (RR=1,15 [IC 95%, 1,00 a 1,31], p=0,05), mas não em cirurgia não-cardíaca (RR=1,52 [IC 95%, 0,71 a 3,26], p=0,28). Não foi observado impacto do uso das estatinas na ocorrência de acidente vascular cerebral e mortalidade em ambos os grupos cirúrgicos. No entanto, a análise dos estudos com baixo risco de viés em cirurgia cardíaca demonstrou maior mortalidade com o uso de estatinas comparadas a placebo (OR=3,71 [IC 95%, 1,03 a 13,34], p=0,04). A análise sequencial dos estudos (TSA) não sugeriu conclusões definitivas sobre o assunto. Conclusão: As estatinas parecem ter efeito protetor contra infarto pós-operatório em cirurgia não-cardíaca, mas estão associadas a maior risco de insuficiência renal aguda em cirurgia cardíaca. Possíveis efeitos positivos ou negativos sobre a mortalidade não podem ser excluídos. Os dados dos estudos randomizados disponíveis até o momento ainda são insuficientes para conclusões definitivas sobre o uso perioperatório das estatinas. Estudos randomizados adicionais são necessários para avaliar o perfil de segurança e possíveis efeitos benéficos destas medicações nos desfechos pós-operatórios
Título em inglês
Perioperative statin therapy in cardiac and non-cardiac surgery: a systematic review and meta-analysis with trial sequential analysis of randomized controlled trials
Palavras-chave em inglês
Cardiac surgery
Meta-analysis, Postoperative complications
Non-cardiac surgery
Randomized controlled trials
Statins
Resumo em inglês
Introduction: Previous studies supported potential beneficial effects of perioperative statin therapy to reduce postoperative complications. Accordingly, previous meta-analysis concluded that statin treatment decreases the perioperative incidence of mortality and myocardial infarction in non-cardiac surgery. In contrast, growing evidences on perioperative statins administration in cardiac surgery setting suggested neutral or even detrimental results. A recent systematic review and meta-analysis found that perioperative statin therapy in this population was associated with an increased incidence of postoperative acute kidney injury and a trend toward increased mortality. Due to the contrasting results and lack of definitive evidence, we performed a systematic review and meta-analysis of randomized controlled trials to examine the effects of perioperative statin therapy on postoperative outcomes in adult cardiac and non-cardiac surgery patients. Objective: To assess the association between perioperative statin therapy and postoperative myocardial infarction, stroke, acute kidney injury and mortality in patients submitted to cardiac and non-cardiac surgery. Methods: Pubmed, EMBASE, and Cochrane databases were searched through May 1st, 2018 for appropriate articles. Articles were independently assessed by 2 reviewers. Randomized controlled trials evaluating adult cardiac and non-cardiac surgery patients comparing perioperative statin therapy versus placebo or no treatment were included. Risk ratio (RR) or odds ratio (OR) and 95% confidence interval (CI) were obtained using fixedeffects meta-analyses. Trial sequential analysis (TSA) was performed to quantify the statistical reliability of data. The Cochrane methodology was used. Main outcomes were postoperative myocardial infarction, stroke, acute kidney injury, and mortality. Results: Data from 35 randomized controlled trials involving 8200 patients were included. Perioperative statin therapy was associated with lower incidence of postoperative myocardial infarction in noncardiac surgery compared to control (OR=0.44 [95% CI, 0.30 a 0.64], p < 0.0001), but not in cardiac surgery OR=0.93 [95% CI, 0.70 a 1.24], p=0.61). Higher incidence of acute kidney injury was evident in cardiac surgery patients receiving perioperative statins (RR=1.15 [95% CI, 1.00 a 1.31], p=0.05), but not in the non-cardiac surgery population (RR=1.52 [95% CI, 0.71 a 3.26], p=0.28). No difference in postoperative stroke and mortality was present in patients undergoing either cardiac or non-cardiac surgery. However, low risk of bias trials performed in cardiac surgery showed a higher mortality with statins versus placebo (OR=3.71 [95% CI, 1.03 a 13.34], p=0.04). Trial sequential analysis suggested no firm conclusions on the topic. Conclusions: Statins appear to be protective against postoperative myocardial infarction in non-cardiac surgery and associated with an increased risk of acute kidney injury in cardiac surgery. Possible positive or even negative effects on mortality could not be excluded. There is still insufficient randomized data for firm conclusions on perioperative statin therapy. Further randomized controlled trials should evaluate both the safety profile and possible effects on patients' outcomes
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2018-10-24
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.