• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.5.2008.tde-12092008-140813
Documento
Autor
Nome completo
Elizabete Silva dos Santos
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2008
Orientador
Banca examinadora
Timerman, Ari (Presidente)
Coelho, Otavio Rizzi
Nicolau, José Carlos
Piegas, Leopoldo Soares
Stefanini, Edson
Título em português
Escore de risco Dante Pazzanese para síndrome coronária aguda sem supradesnivelamento do segmento ST
Palavras-chave em português
Angina instável
Fatores de risco
Infarto do miocárdio
Prognóstico
Resumo em português
INTRODUÇÃO: As doenças cardiovasculares representam uma importante causa de morte mundial. Geralmente, são a primeira causa, não só em países desenvolvidos, como também em desenvolvimento. Pacientes com Síndrome Coronária Aguda (SCA) sem supradesnivelamento do segmento ST (SST) apresentam ampla variação do risco para ocorrência de óbito ou eventos isquêmicos recorrentes. Determinar o risco da ocorrência desses eventos adversos é importante para a triagem inicial na seção de emergência, assim como para identificar os que se beneficiam de condutas mais agressivas, dispendiosas e de maior morbidade e mortalidade. OBJETIVO: Realizar um modelo simples de estratificação de risco, facilmente aplicável no Departamento de Emergência, em uma população brasileira não selecionada de ensaios clínicos com o uso de variáveis clínicas, eletrocardiográficas, bioquímicas e biomarcadores plasmáticos. CASUÍSTICA E MÉTODOS: É um estudo prospectivo de pacientes com SCA sem SST recrutados de 1 de julho de 2004 a 31 de outubro de 2006. Foram submetidos a seguimento de 14 e 30 dias para análise do desfecho de morte por todas as causas, infarto (re-infarto) e revascularização miocárdica urgente por isquemia recorrente e de 180 dias para o desfecho de morte por todas as causas. Excluíram-se os pacientes com bloqueios de ramo, ritmo de marcapasso, ritmo de fibrilação atrial e os com episódio isquêmico secundário a causas não cardíacas. Para o modelo de desenvolvimento, optou-se pelo desfecho de morte por todas as causas ou infarto (re-infarto) em até 30 dias. Dados da história clínica, exame físico, eletrocardiograma da admissão, hemograma, bioquímica e biomarcadores plasmáticos foram selecionados para uma análise exploratória. As variáveis que apresentassem nível de significância menor que 10% na análise exploratória ou que fossem consideradas de relevância clínica, foram submetidas a um modelo de regressão logística múltipla. RESULTADOS: A população de desenvolvimento foi de 1.027 pacientes, sendo 589 homens (57,4%) e média de idade de 61,55 anos (± 0,35). O desfecho combinado de morte ou infarto (re-infarto) em 30 dias ocorreu em 54 pacientes (5,3%). Em decorrência do fenômeno de multicolinearidade entre a depressão do segmento ST e a troponina I cardíaca, estas variáveis foram combinadas. Foram identificadas sete variáveis prognósticas: idade em anos; antecedentes pessoais de diabete melito ou acidente vascular cerebral; não uso de inibidor da enzima conversora da angiotensina; combinação de elevação da troponina I cardíaca e depressão do segmento ST; creatinina sérica. O C statistic para o modelo de desenvolvimento foi de 0,78 e para o Escore de Risco Dante Pazzanese foi de 0,74. CONCLUSÃO: Em pacientes com SCA sem SST, o Escore de Risco Dante Pazzanese mostrou-se de fácil execução, com alto valor preditivo para eventos cardiovasculares em 30 dias de evolução, orientando o prognóstico e o tratamento desses pacientes. Pode ser fonte de informações à equipe médica, ao paciente e a seus familiares, englobando importante informação prognóstica.
Título em inglês
Dante Pazzanese risk score for non-ST-segment elevation acute coronary syndrome
Palavras-chave em inglês
Myocardial infarction
Prognosis
Risk factors
Unstable angina
Resumo em inglês
BACKGROUND: Cardiovascular diseases are usually the leading cause of death in both developed and developing countries. Patients with non-ST-segment elevation (NSTE) acute coronary syndrome (ACS) are at varying degrees of risk for death and recurrent ischemic events. It is important that the risk for these adverse events be determined for the initial screening at the emergency department, as well as for identifying patients who may benefit from treatment options that are more aggressive, expensive and associated with higher morbidity and mortality. OBJECTIVE: To develop a simple risk-stratification model, easily performed in the Emergency Department setting, based on a non-selected Brazilian sample of clinical trials using clinical, electrocardiographic, and biochemical variables, as well as plasma biomarkers. PATIENTS AND METHODS: This is a prospective study of patients with NSTE-ACS recruited from July 1 2004 to October 31 2006. Patients were followed up for 14 and 30 days to assess the endpoints of all-cause mortality, infarction (reinfarction), and urgent myocardial revascularization due to recurrent ischemia, and for 180 days to assess all-cause mortality. Patients with bundle branch blocks, pacemaker rhythm, or atrial fibrillation were excluded from the study, as were those with ischemic episodes of non-cardiac causes. For the model under development the endpoint chosen was all-cause mortality or infarction (reinfarction) up to 30 days. Data on clinical history, physical examination, admission electrocardiogram, blood cell count, biochemistry, and plasma biomarkers were selected for an exploratory analysis. Variables with a significance level of less than 10% on the exploratory analysis or considered clinically relevant were included in a multiple logistic regression model. RESULTS: The study population included 1027 patients, of which 589 were men (57.4%). Mean age was 61.55 (± 0.35). Fifty-four patients (5.3%) reached the endpoints of death and/or infarction (reinfarction) within 30 days. Due to the multicolinearity phenomenon between ST-segment depression and cardiac troponin I, these variables were combined. Seven prognostic variables were identified, namely, age in years, past history of diabetes mellitus or stroke, nonuse of angiotensin-converting enzyme inhibitors, increased cardiac troponin I levels combined with ST-segment depression; and serum creatinine. The C-statistic for the model was 0.78, and for the Dante Pazzanese Risk Score was 0.74. CONCLUSION: In non-ST-segment elevation ACS patients, the Dante Pazzanese Risk Score proved to be easy to perform, with a high predictive value for cardiovascular events at 30 days, guiding prognosis and treatment of these patients. It may be a source of information for the medical team, the patients and their families, including important prognostic data.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
ElizabeteSSantos.pdf (1.20 Mbytes)
Data de Publicação
2008-10-31
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.