• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.48.2011.tde-20012012-093539
Documento
Autor
Nome completo
Adélia Mara Pasta da Silva
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2011
Orientador
Banca examinadora
Aquino, Julio Roberto Groppa (Presidente)
Baptista, Luis Antonio dos Santos
Favaretto, Celso Fernando
França, Sonia Aparecida Moreira
Pietri, Emerson de
Título em português
A constituição do sujeito escrevente no dispositivo do ensino: uma leitura sobre a governamentalização da escrita escolar
Palavras-chave em português
dispositivo
ensino de escrita
governamentalidade
Michel Foucault
Resumo em português
A escrita e seu ensino configuram, respectivamente, o tema geral e o objeto de problematização do presente estudo. A partir do aporte teórico de Michel Foucault, especialmente dos conceitos governamentalidade e dispositivo, toma-se a escrita como um regime que, no âmbito escolar, é forjado para atender a uma função estratégica dominante no que se refere ao governo das existências escolares. Desta feita, o objetivo nuclear deste estudo é analisar projetos de ensino de escrita em vigor inspirados pelas noções de gêneros do discurso, apreendendo alguns efeitos dessa abordagem nas concepções de escrita e na constituição dos sujeitos que escrevem. O corpus da análise é composto por um conjunto de documentos oficiais relativos ao tema (a partir dos Parâmetros Curriculares Nacionais) que, dispostos à moda de um mapa, compõem um complexo discursivo que fornece princípios, formas e prescrições, operando como maquinaria produzida historicamente com o fito de responder a uma urgência política. A lógica que anima o dispositivo de ensino da escrita é da ordem da capacitação de uma população; o que nele está em jogo é o desenvolvimento de competências e de habilidades para que se tenha acesso ao mundo letrado, conferindo a cada um o estatuto de cidadão autônomo. Se, por um lado, observam-se ideais democráticos iluminando tal empreitada, uma vez que ela afirmaria o domínio da escrita como direito de todos, por outro, a linguagem aí em causa parece reduzir-se a fins utilitaristas, submetida que é a uma modelização dos gêneros do discurso. Assim, ainda que gêneros com tendência mais literária sejam apresentados como mobilizadores em potencial da escrita escolar, eles encontram-se cativos do imperativo da eficácia comunicativa. Daí o fato de a literatura, neste trabalho, ser destacada como mais um discurso que compõe o dispositivo do ensino de escrita a operar no jogo da governamentalização escolar; mais especificamente, tratou-se de situar os sentidos de seu uso no ensino e, desse modo, configurar os enunciados relativos à literatura como instituição. Opera-se, portanto, com duas noções de literatura: uma institucional e outra denominada escrita menor, esta pensada como uma experiência possível de estilização existencial. A análise do material empírico desenvolve-se segundo o que foi denominado configurações-efeito: 1) a escrita como instrumento da ação comunicativa; 2) transcrição, reprodução e decalque como percurso de formação de um sujeito escrevente; e 3) a literatura como estetização da escrita. O estudo atinge, então, sua conclusão ao propor que as práticas de ensino da escrita concorrem para reduzir a amplitude dos sentidos da linguagem a prescrições de cunho escolarizante e, na mesma medida, limitam a esfera de experimentação dos sujeitos em nome de uma escrita confinada a finalidades comunicativas. Por se alinhar às linguagens entendidas hoje como imprescindíveis, o ensino da escrita pode produzir uma acentuada despotencialização na experiência daqueles que escrevem, ainda que ele consiga lograr, ao fim e ao cabo, a formação de sujeitos capazes de reproduzir uma escrita competente.
Título em inglês
The constitution of the writing-subject within the education dispositif: an analysis on the governmentalization of the school writing
Palavras-chave em inglês
dispositif
governmentality
Michel Foucault
teaching of writing
Resumo em inglês
Writing and its teaching configure, respectively, the overall theme and the problematization object of the present study. Based on Michel Foucaults theoretical contributions, particularly the concepts of governmentality and dispositif, writing is taken as a regime that is created, within the education scope, to function as a dominant strategy in regard to the government of the schools individuals. Therefore, the central aim of the study is to analyze writing teaching programs in force inspired by existing notions of speech genres, grasping some effects of this approach in the writing concepts and in the formation of subjects who write. The corpus of the analysis consists of a set of official documents relating to this theme (from the National Curriculum Parameters) that, arranged as a map, compose a discursive complex which provides principles, forms and prescriptions, operating as a historical-produced machinery in order to meet a political urgency. The logic that underpins the writing teaching dispositif is related to the populations qualification; what is at stake is the development of skills and abilities to allow the access to the literate world, giving everyone the status of an autonomous citizen. If on one hand, we can distinguish some democratic ideals enlightening such undertaking, since it would affirm the mastery of writing as a universal right, on the other hand, the language in question seems to be reduced to utilitarian purposes, subjected to a speech genre modelization. Thus, despite some literary genres tend to appear mobilizing the school writing potential, they are captives of the communicative efficacys imperative. Hence the fact that literature, in the present paper, is highlighted as another discourse that composes the writing teaching dispositif, taking part in the schools governmentalization; more specifically, this investigation attempted to identify the meanings of its use in teaching and, consequently, tried to configure the statements relating to literature as institution. The present study works, then, with two literature notions: an institutional one and another called minor writing, an experience that can be thought as an art of existence. The analysis of the empirical material is developed in accordance with what has been called effect-settings: 1) writing as a tool for communicative action; 2) transcription, replication and tracing as a formation procedure for a writing subject; and 3) literature as an aestheticization of writing. The study reach its conclusion by proposing that writing teaching practices contribute to reduce the amplitude of the languages senses to schools prescriptions basis; and, at he same extent, they limit the scope of subjects experimentation on behalf of a writing constrained to communication purposes. Since writing is aligned as an indispensable language nowadays, the teaching of writing may produce severe disempowerment for the experience of those who write, though it manages to achieve, at the end, the formation of subjects able to reproduce a competent writing.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2012-01-24
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.