• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.48.2007.tde-10122007-155211
Documento
Autor
Nome completo
Marcilene Regina Blanco
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2007
Orientador
Banca examinadora
Nicolau, Marieta Lucia Machado (Presidente)
Carneiro, Maria Angela Barbato
Nascimento, Maria Letícia Barros Pedroso
Título em português
Jogos cooperativos e educação infantil: limites e possibilidades.
Palavras-chave em português
Cooperação
Educação Infantil
Jogos cooperativos
Lúdico
Mediação
Resumo em português
A presente pesquisa buscou investigar a cooperação na Educação Infantil, de modo a refletir sobre o processo educativo envolvido na interação entre as crianças e estas com o professor, no sentido de analisar o papel do professor na promoção de atitudes cooperativas bem como a existência de jogos cooperativos neste nível de ensino. Com base na pesquisa qualitativa em educação, a metodologia adotada para este estudo é a do tipo etnográfico, em que a investigação proposta foi realizada através da observação participante, filmagens, entrevistas e pesquisa documental. Os subsídios teóricos estão baseados nos pressupostos de autores e pesquisadores que se dedicam ao estudo do lúdico e da Educação Infantil, como Kishimoto (2005), Friedmann (1992; 1996), Wajskop (1995), Nicolau (2003), Carneiro (2006), Kramer (2006), Vygotsky (1994), Brotto (2001), Teixeira (2001), Soler (2005; 2006), Brown (2006). A análise dos dados obtidos pela pesquisa aponta para uma prática em que o lúdico resume-se a passatempo e recreação apesar de aparecer no discurso como um instrumento de ensino; o brincar não é planejado, estruturado ou mediado pelas educadoras, restringindo-se a brincadeiras livres; as educadoras não conhecem os jogos cooperativos e não os utilizam na sua prática educativa; em suas falas não demonstraram clareza sobre o conceito de cooperação, apresentando dificuldades em desenvolver atividades que a objetivem. Entretanto, observou-se a possibilidade de promover atitudes cooperativas nas crianças de 4 a 6 anos de idade pela mediação de um adulto mais experiente quando estão brincando. Para melhoria desta realidade, é necessário a capacitação dos diretores, professores, monitores e funcionários das creches municipais através de cursos, treinamentos, formação continuada, voltados à Educação Infantil, contextualizando-a historicamente, definindo o seu papel como um nível de ensino e como lugar da socialização, trabalhando a teoria na prática, para que esta seja criativa e comprometida com a educação das crianças, uma educação que privilegie a cooperação.
Título em inglês
Cooperative Games and Childhood Education: limits and possibilities.
Palavras-chave em inglês
Childhood education
Cooperation
Cooperative games
Ludic
Mediation
Resumo em inglês
This paper is aimed at investigating cooperation in Childhood Education, in order to reflect about the educational process involved in the interaction between children and their teacher. It intended to analyze the teacher's role when promoting cooperative attitudes as well as the existence of cooperative games in this level of education. Based on the qualitative study in education, the methodology used was the ethnographic research, using filming, observation, interviews and documentary research to gather data. The theory is based on authors and researchers who have dedicated their lives to the study of the ludic and the childhood education, such as Kishimoto (2005), Friedmann (1992;1996), Wajskop (1995), Nicolau (2003), Carneiro (2006), Kramer (2006), Vygotsky (1994), Brotto (2001), Teixeira (2001), Soler (2005;2006), Brown (2006). The analysis of the data gathered from the research points to a performance where the ludic is summarized to a pastime and recreation although it appears in the discourse as an education instrument; playing is not planned, structured or mediated by the educators, being restricted to free games; the educators do not know the cooperative games and they do not use them in their educational performance; in their speech they do not seem to be aware of the cooperation concept, presenting difficulties in developing activities that objectify it. However, it was observed the possibility to promote cooperative attitudes in 4 and 6 year-old children through the mediation of a more experienced adult when they are playing. To improve this reality, the qualification of principals, teachers, monitors and employees of municipal day-care centers through courses, training, continued formation is necessary, aimed at Childhood Education, contextualizing it historically, defining its role as an education level and as place of the socialization, bringing theory into practice so that it is creative and committed to children's education, an education that privileges cooperation.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2007-12-14
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.