• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.48.2008.tde-02032009-151542
Documento
Autor
Nome completo
Cristina Canto
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2008
Orientador
Banca examinadora
Machado, Nilson Jose (Presidente)
Saiani, Claudio
Tescarolo, Ricardo
Título em português
Descendência japonesa e o bom desempenho em matemática: uma reflexão sobre as causas.
Palavras-chave em português
cultura
descendência japonesa
educação
processo cognitivo
Resumo em português
O bom desempenho dos descendentes de japoneses em matemática não é novidade para a maioria das pessoas. As interpretações sobre as causas desse resultado podem, no entanto, ser divergentes. Com a intenção de desmistificar algumas concepções sobre tal tema iniciamos esta pesquisa. Para fundamentar tal intenção, buscamos inicialmente um levantamento de dados estatísticos que caracterizassem nosso ponto de partida, recorrendo aos bancos de dados de instituições responsáveis pelos vestibulares de duas das maiores universidades públicas do país a USP e a UNESP (respectivamente, a FUVEST e a VUNESP). Tal levantamento confirmou amplamente a sensação inicial, no que se refere ao desempenho diferenciado dos descendentes de japoneses. A partir daí, partimos em busca dos motivos que poderiam justificar os fatos observados. Nossa hipótese foi a de que os fatores culturais envolvidos seriam decisivos na interpretação de tal desempenho. Mesmo tendo tal perspectiva como ponto de partida, transitamos por variados territórios, em que a discussão sobre características genéticas ou inatas se fazia presente, amealhando argumentos que justificassem a hipótese inicial. Em tal busca, Keith Devlin e seu livro O Gene da Matemática desempenharam um papel fundamental. Tendo por base os fatos apresentados nesse livro, perceberemos também que não se trata de desconsiderar as capacidades biológicas inatas, e sim de entender que, no caso da aprendizagem de matemática, tais capacidades são partilhadas por todos os seres humanos, de modo análogo ao que ocorre com a competência para aprender a língua materna. Voltando-nos então para a discussão sobre a influência da cultura sobre o processo cognitivo, buscamos entender o modo como os elementos culturais influenciam a valorização da educação, favorecendo especificamente a relação entre os estudantes e a matemática. Em sua vida escolar no Japão, ou transcendendo fronteiras, como no caso dos descendentes de japoneses que vivem no Brasil os alunos educados segundo tais princípios desenvolvem sentimentos e relações afetivas favoráveis com a escola, revelando uma grande influência da cultura na formação pessoal. Na história do Japão, buscamos o modo como certos fatores, como a fragilidade geográfica e os parcos recursos naturais, foram importantes elementos que contribuíram para a valorização da educação. No caso específico dos descendentes nipo-brasileiros, podemos perceber que alguns elementos culturais originais, como o respeito à hierarquia, a ética do débito, a religiosidade, que aparecem fortemente na constituição do ser japonês, apesar de transformados pela assimilação de traços característicos da cultura brasileira, ainda apresentam resíduos importantes em seus descendentes. Complementarmente, um novo fator aparece fortemente como motivador dos alunos descendentes de japoneses, no Brasil: a busca da ascensão econômica, e conseqüentemente profissional, por meio da educação faz com que esses alunos atuem com bastante empenho em prol desse projeto de vida. Tais sentimentos impulsionam os alunos no sentido de valorizar o esforço, a vontade, a dedicação ao enfrentarem as naturais dificuldades encontradas em seu percurso escolar. Concluímos nosso percurso com a expectativa de haver evidenciado o peso decisivo dos elementos culturais na interpretação dos resultados diferenciados obtidos entre nós pelos descendentes de japoneses.
Título em inglês
Japanese descendants and the good perfomance in mathematis: a reflection about the causes.
Palavras-chave em inglês
cognitive process
culture
education
Japanese descent.
Resumo em inglês
The good performance of Japanese descendents in mathematics is not new to most of the people. Nevertheless, the interpretations about the causes of this result can be divergent. We start this research in order to demystify some conceptions about this theme. To base this intention, at first we looked for a collection of statistical data that characterized our starting point, we fell back upon the data banks of institutions responsible for the entrance examinations of the two largest public universities in the country USP and UNESP (FUVEST and VUNESP, respectively). Such collection widely confirmed the initial sensation regarding the differentiated performance of the Japanese descendents. From this, we started the search for the reasons that could justify the facts observed. Our hypothesis was that the cultural factors involved would be decisive in the interpretation of such collection. Even having such perspective as starting point, we moved through varied territories where the discussion about the genetic or innate characteristics was present, building arguments that justified the initial hypothesis. In such search, Keith Devlin and his book The Math Gene performed a fundamental role. Having as base the facts presented in this book, we will also realize that it is not the question to disregard the innate biological capacities but to understand that in the case of the mathematics learning, such capacities are present in all human beings, in an analogue way to what occurs with the competence to learn the mother tongue. Turning to the discussion about the culture influence on the cognitive process, we tried to understand the way how the cultural elements influence the valorization of the education, promoting, specifically, the relationship between students and the mathematics. In their school life in Japan, or overseas, as the case of the Japanese descendents who live in Brazil the students educated according to such principles develop feelings and favorable affective relations with the school, revealing a great influence of the culture in the personal upbringing. In the history of Japan, we searched the way how certain factors, as the geographical fragility and the scarce natural resources were important elements that contributed to valorization of the education. In the specific case of the Nipo-Brazilian descendents, we can apprehend that some original cultural elements, such respect to the hierarchy, the debt ethics, the religious disposition which strongly appear in the constitution of the Japanese being, despite changed by the assimilation of characteristic traits of the Brazilian culture, they still present important remnants from their descendents. As a complement, a new factor appears strongly as motivation of the Japanese descendent students, in Brazil: the search of economic ascension, and consequently, professional, by means of education make these students act with much devotion on this project of life. Such feelings stimulate the students in the sense of value the effort, the will, the dedication when facing the natural difficulties found in his school life. We concluded our study with the expectative of having shown clearly the decisive weight of cultural elements in the interpretation of the differentiated results obtained among us by the Japanese descendents.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Cristina_Canto.pdf (1.42 Mbytes)
Data de Publicação
2009-04-22
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2014. Todos os direitos reservados.