• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.48.2014.tde-01042015-141345
Documento
Autor
Nome completo
Rafael Ferreira de Souza Mendes Pereira
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2014
Orientador
Banca examinadora
Gottschalk, Cristiane Maria Cornelia (Presidente)
Carvalho, José Sergio Fonseca de
Velasco, Patricia Del Nero
Título em português
Os jogos de linguagem e o ensino de filosofia: uma abordagem wittgensteiniana
Palavras-chave em português
Ensino de filosofia
Filosofia da educação
Filosofia da linguagem
Jogos de linguagem
Persuasão
Wittgenstein
Resumo em português
Este trabalho apresenta uma análise wittgensteiniana de alguns problemas ligados ao ensino de filosofia. Tomando como ponto de partida a difícil relação entre a formação inicial do professor e a cultura escolar, esta dissertação trata as transformações a que a filosofia é submetida na passagem da academia à escola como mudanças nos usos da linguagem filosófica. Esta mudanças são esclarecidas à luz dos conceitos de jogos de linguagem e formas de vida, desenvolvidos na filosofia tardia de Ludwig Wittgenstein, como alternativa a teorias linguísticas referenciais e metafísicas. Examinando os limites das explicações que fundamentam os jogos de linguagem em geral, torna-se compreensível o aspecto do aprendizado dos jogos linguísticos da filosofia que, irredutível à compreensão de razões, reside na vontade do aprendiz que, como tal, só pode ser persuadida. Este é o viés pelo qual será enfrentada a questão didática da motivação dos alunos. Ademais, o problema da persuasão e a atenção aos usos da linguagem filosófica animam, se não um método, uma estratégia de uso da história da filosofia no ensino médio, na qual a história da filosofia se torna uma ocasião para o aluno afrontar os limites do sentido de sua forma de vida.
Título em inglês
Language games and teaching of philophy: a wittgensteinian reading
Palavras-chave em inglês
Language games
Persuasion
Philosophy of education
Philosophy of language
Philosophy teaching
Wittgenstein
Resumo em inglês
This work presents a Wittgensteinian analysis of some problems linked to the teaching of philosophy. Taking as starting point the difficult relationship between initial training teachers and school culture, this dissertation deals with the transformations that philosophy is subjected in passing the academy to school as shifts in the uses of philosophical language. The shifts are explained in the light of the concepts of language games and forms of life developed in the later philosophy of Ludwig Wittgenstein as an alternative to referential language and metaphysical theories. Examining the limits of the reasons that base the language games in general, it becomes understandable the aspect of the linguistic games of philosophy learning that, irreducible to the understanding of learning reasons, lay on the willingness of the learner, as such, can only be persuaded. This is the bias by which will be faced the didactic issue of student motivation. Moreover, the problem of persuasion and attention to the uses of philosophical language animate, if not a method, a strategy of using the history of philosophy in high school, in which the history of philosophy becomes an opportunity for the student to confront the limits of sense of their way of life.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
RAFAEL_PEREIRA.pdf (962.37 Kbytes)
Data de Publicação
2015-04-27
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.