• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.47.2006.tde-11102006-074919
Documento
Autor
Nome completo
Pedro Fernando Bendassolli
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2006
Orientador
Banca examinadora
Malvezzi, Sigmar (Presidente)
Mello, Sylvia Leser de
Sato, Leny
Valverde, Antonio José Romera
Wood Junior, Thomaz
Título em português
Os ethos do trabalho. Sobre a insegurança ontológica na experiência atual com o trabalho
Palavras-chave em português
Autoconceito
Identidade
Modernidade
Pós-modernidade
Psicologia organizacional
Significado
Trabalho
Resumo em português
Durante boa parte dos dois últimos séculos o relacionamento entre o sentido que uma pessoa dava de si mesma, sua identidade, e o trabalho pago que ela desempenhava durante a vida era fonte de relativa estabilidade e segurança. Trabalho e identidade arranjaram-se como duas realidades intrinsecamente relacionadas. Contudo, nas últimas décadas tornou-se comum a crença de que chegamos a seu fim. De acordo com essa perspectiva, o trabalho teria perdido sua centralidade no processo de constituição da identidade. Ao mesmo tempo, existem cren-ças que defendem o inverso, de que ele continua central. Nosso objetivo neste estudo foi reco-locar o debate sobre a centralidade ou o fim do trabalho à luz de uma outra perspectiva. Bus-camos identificar quais as razões de o trabalho ter sido associado à identidade e o que vem ocorrendo quando essa associação tornou-se problemática. Para reconstruir esse trajeto, em primeiro lugar definimos, analiticamente, como ontologia do trabalho a sua forte associação com a identidade. Em seguida, usando de uma argumentação baseada no pragmatismo, de-monstramos que tal ontologia dependeu, para sua emergência, primeiro de um arranjo institu-cional em que o trabalho se firmou como central do ponto de vista econômico, moral, ideoló-gico, filosófico e contratual e, segundo, das principais crenças do projeto moderno de constru-ção da identidade, no qual está se constrói em referência a algo extrínseco, por exemplo, o trabalho. Em um terceiro momento mostramos que a ontologia do trabalho foi submetida a um forte questionamento na segunda metade do século vinte, processo ao qual muitos denominam, erroneamente, de morte do trabalho. Como conseqüência, mostramos que é a ambigüidade que caracteriza a relação com o trabalho hoje. Ela é causada pela coexistência de vários ethos, cada um dos quais reservando para si uma definição específica sobre o valor e sentido do tra-balho na definição da identidade. Cabe aos indivíduos, privadamente, definirem o valor que o trabalho tem no conjunto formado por outras fontes agora disponíveis de expressão de suas identidades. Mostramos, por fim, que essa ambigüidade provoca um estado de insegurança ontológica na experiência atual com o trabalho, realçando a necessidade de respostas para lidar com a situação. Concluímos este estudo com uma apreciação crítica sobre os limites e potencialidades dessas respostas.
Título em inglês
The ethos of the work: on the ontological insecurity in the current experience to work
Palavras-chave em inglês
Identity
Industrial psychology
Labour
Meaning
Modernity
Postmodernism
Self-conception
Resumo em inglês
For a large portion of the past two centuries, the relationship between the sense a person as-signed herself, her identity and the paid labor she did throughout her life was a source of rela-tive stability and security. Work and identity were two intrinsically related realities. In the past few decades, however, a generalized belief has set in that this has come to an end. Ac-cording to this perspective, work has lost its centrality in the identity constitution process. At the same time, beliefs exist to the contrary, that is, that work is still central. Our goal in this study was to relocate the debate on the centrality of work or its end, in the light of a different perspective. We sought to identify why work became associated with identity and what has been taking place since this association became problematic. To rebuild this path, we first perform an analytical definition of the ontology of work as its strong association with identity. Then, using an argument based on pragmatism, we show that the emergence of this ontology relied first on an institutional arrangement where work established itself as central from the economic, moral, ideological, philosophical and contractual perspectives and, second, on the main beliefs of the modern identity construction project, where identity is constructed in ref-erence to something extrinsic, such as work, for example. We then proceed to show that the ontology of work endured strong questioning in the second half of the 20th Century, a process many mistakenly call the death of work. As a consequence we show that ambiguity is the main characteristic of the relationship with work today. It is caused by several coexisting ethos, each which retains a specific definition of the worth and sense of work in defining iden-tity. It befalls individuals to privately define the worth of work among the set of other cur-rently available sources for expressing their identities. Finally, we show that this ambiguity brings about a sense of ontological insecurity in today’s work experience, stressing the need for answers to deal with the situation. We conclude the study with a critical appraisal of the limitations and potentiality of such answers.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
final22062006.pdf (745.03 Kbytes)
Data de Publicação
2006-11-06
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.