• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.47.2008.tde-09012009-154159
Documento
Autor
Nome completo
Fernando Braga da Costa
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2008
Orientador
Banca examinadora
Goncalves Filho, Jose Moura (Presidente)
Bosi, Eclea
Furtado, Joaci Pereira
Massola, Gustavo Martineli
Safra, Gilberto
Título em português
Moisés e Nilce: retratos biográficos de dois garis. Um estudo de psicologia social a partir de observação participante e entrevistas
Palavras-chave em português
Etnografia
Garis
Psicologia Social
Resumo em português
A composição desta pesquisa desenvolvese em dois sentidos complementares: 1. observação participante, segundo o regime de uma pesquisa etnográfica; 2. histórias de vida, obtidas através de relatos orais. Este trabalho visa dar seqüência à dissertação de mestrado defendida em 2002 e que, para sua realização, supôs o desempenho do ofício de gari dez anos, semanalmente (um ou dois dias). Estabelecer um diário de campo, descrever fenômenos psicossociais e interpretá-los foram os objetivos gerais da pesquisa anterior. A investigação no mestrado quis estimar traços sociais e psicológicos assumidos por uma forma de trabalho não-qualificado e subalterno: o trabalho de garis. Discutimos problemas de humilhação social ali reconhecíveis, especialmente aquele então designado como invisibilidade pública (problema singular que polarizou toda a investigação). O pesquisador testemunhou muitas vezes o fato de que os garis não simplesmente padeciam pancadas de humilhação social, mas respondiam aos golpes: ressentindo, conversando e agindo. As ações nunca alcançaram a figura plena de reações coletivas politicamente organizadas. Entretanto, os sentimentos, as opiniões e atitudes testemunhados mostraram-se de tal modo significativos que o pesquisador não pôde deixar de, todo tempo, também assinalar a resistência e o ponto de vista daqueles trabalhadores. O diário de campo e seu estudo, os dados obtidos e sua discussão serviram como importantes balizas para definição da etapa atual de pesquisa. O mestrado iniciou-se reconhecendo um problema vinculado ao antagonismo de classes, o que conduziu à orientação de um estudo encorpado por preocupações que tomavam os sujeitos um a um, mas, de qualquer maneira, tendo como objetivo testemunhar e ouvir o que os garis pessoalmente e como grupo social poderiam nos ensinar sobre o fenômeno da invisibilidade pública. A realização e o aprofundamento da pesquisa e, sobretudo, os vínculos pessoais de amizade estabelecidos entre mim e os garis foram deslocando cada vez mais minha atenção: a atenção para o que é retirado deles, política e moralmente, foi sendo ultrapassada pela atenção para o que eles trazem. Neste doutorado, escolhemos como regime metodológico aquele que se propõe obter histórias de vida através de relatos orais. Aqui, nossos autores de referência foram especialmente Ecléa Bosi e José Moura Gonçalves Filho. Situações crônicas de disparidade social e econômica, em geral fundadas sobre vínculos de mandonismo e subalternidade, prejudicam e até mesmo interrompem o poder de comunicação que é próprio aos seres humanos. Todos calam. Ninguém conversa. A comunicação retrai-se. Acabamos habituados às conversas magras e pálidas, anoréxicas. É porque ficamos todos nós também anoréxicos, recusando o sabor dos outros azedume ou doçura, não importa sem que seja possível alimentar-se da presença do outro. A conversa econômica, magra por assim dizer, é resultado de olhar estreito também magro que no mundo mercantil admitimos, em geral, anestesiados. Na sociedade de classes, deslocar-se para o lado dos oprimidos é o que possibilita enxergar o mundo de um lugar diferente do meu, um lugar o mais próximo possível do ponto a partir do qual a vida se abre para meu interlocutor. É aqui, finalmente, que podemos conversar. Conversa livre tensa ou não, não importa. Conversar é o que pode mudar meus sentimentos e imprimir marcas em minhas ações, pode me fazer recuar. Pode me fazer contestar o que antes eu considerava óbvio, pode me deixar inseguro sobre minhas convicções. Mas pode, sobretudo, inspirar simpatia entre eu e o outro. Escolhemos entrevistar Nilce e Moisés, exgaris aposentados pela Universidade de São Paulo. Entrevistá-los representa o intuito de fazer retratos, é a tentativa de fotografá-los por meio das suas vozes com o máximo de fidelidade possível. É o rosto deles que deve aparecer. O sentido primeiro da tarefa a que me propus é que o leitor possa relacionar-se com os depoentes que vão lhe falar. Desejo que o leitor tenha o sentimento de estar ele próprio frente a frente com meus amigos garis. Para tanto, as entrevistas não foram amarradas por perguntas seguidas de perguntas que já indicassem respostas pretendidas. Foi preciso não pretender senão as narrativas de Nilce e Moisés. O tom de voz, as pausas, os lapsos, as contradições, os esquecimentos. O riso e o choro. Tudo contou. Nada foi dispensado. Passado para o papel, o depoimento configurou-se como uma espécie de debate, uma discussão viva confrontando a lembrança do depoente com nossa própria lembrança e discussão do fenômeno, confrontando-as também com autores dedicados ao tema. Uma tese possível deverá ser sempre o que houver decididamente percorrido a memória do fenômeno e o diálogo alargado.
Título em inglês
Moises and Nilce: stories of life from two street sweepers - a social psychology research from participant observation and oral reports
Palavras-chave em inglês
Ethnography
Social Psychology
Street Cleaners
Resumo em inglês
This research has been developed in two complementary meanings: 1. Participant observation, according to the scheme of an ethnographic method; 2. Stories of life, obtained through oral reports. This work aims to give the sequence a dissertation defended in 2002 and that for their achievement, depended of working as a street sweeper - ten years, weekly (one or two days). Establish a daily field, describe psychosocial phenomena and interpret them were the general goals of the previous research. The investigation adopted for the previous paper wanted to estimate social and psychological traces assumed in an unqualified and subaltern kind of work: the work of street sweeper. The survey found, and gradually clarified as soon describe discuss problems of social humiliation there recognizable, especially one so designated as public invisibility (singular problem that polarized any research). The researcher had testified lots of times the fact that street sweepers not simply suffering shots of social humiliation, but responded to the attacks: hurting, talking and acting. The stock never reached the full picture of reactions collective politically organized. Meanwhile, the feelings, opinions and attitudes witnessed showed to be so significant that the researcher could not stop, every time, also noted the resistance and the point of view of those workers. The daily field in their study, the data obtained and its discussion served as beacons important to define the current stage of research. The dissertation started acknowledging a problem linked to the antagonism of classes, which led to the guidance of a study including concerns by taking the subjects one by one, but, in any way, with the objective witness and hear what the street sweeper - personally and as a social group - could teach us about the phenomenon of public invisibility. The performance and deepening of the research and especially the personal ties of friendship established between me and street sweeper were increasingly shifting my attention: attention to what is withdrawn them, politically and morally, it was being overtaken by attention to what they bring. In this doctorship, chosen as methodological scheme that proposes to obtain stories of life through oral reports. Here, our authors of reference were specifically Ecléa Bosi and José Moura Gonçalves Filho. Situations of chronic social and economic disparity, generally based on ties of prepotency and inferiority, prejudice - and even interrupt - the power of communication that is itself to humans. All impose the silence. Nobody talk about it. The communication retracts itself. We used to talk leanness and pale, anorexics. It is because we are also anorexics, refusing the taste of the other - sourness or sweetness, no matter - without it being possible food is the presence of the other. The conversation economic, lean as it were, is the result of close look - also lean - that the world market admits, in general, anesthetized. In the society of classes, move to the side of the oppressed is that it can see the world from a different place of my own, a place as close to the point from which the life up into to myself. It is here, finally, we can talk. Talk free - tense or not, no matter. Talk is what can change my feelings and print marks in my actions, it can make me back. Can I make that challenge before I considered obvious, I can leave unsure about my beliefs. But it can, especially inspire sympathy between me and the other. We chose interview Nilce and Moisés, exstreet sweeper retired from the University of São Paulo. Interview them represents an effort to make pictures, is the attempt to photograph them - through their voices - with the maximum possible fidelity. It is the face of them that should appear. The first order of the task to which I have proposed is that the reader can relate to with the interviewee ranging him speak. I want the reader has the feeling of being himself face to face with my friends street sweeper. Thus, the interviews were not tied by questions followed by questions that have answers indicate desired. It must not only claim the narratives of Nilce and Moisés. The tone of voice, the pauses, lapses, the contradictions, the forgetfulness. The laughter and crying. Everything said. Nothing was dispensable. The link with the interviewee has lasted thirteen years. Thats included displacements and strangeness, conversations and controversies, pleasures and displeasures: get ahead. What decides the success of this contract is the possibility victims by revive his memories. Related on the paper, the evidence set up as a kind of debate, a discussion confronting alive the memory of street sweeper with our own memory and discussion of the phenomenon, confronting them with authors also devoted to the subject. An argument can be what there always resolutely traveled the memory of the phenomenon and extended dialogue.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
costafernando_do.pdf (1.22 Mbytes)
Data de Publicação
2009-02-11
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.