• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.47.2009.tde-07122009-145916
Documento
Autor
Nome completo
Renata Paparelli
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2009
Orientador
Banca examinadora
Sato, Leny (Presidente)
Bernardo, Marcia Hespanhol
Navarro, Vera Lucia
Silva, Edith Seligmann
Souza, Marilene Proenca Rebello de
Título em português
Desgaste mental do prefessor da rede pública de ensino: trabalho sem sentidosob a política de regularizaçãode fluxo escolar
Palavras-chave em português
Professores
Psicologia escolar
Psicologia social
Saúde mental
Saúde ocupacional
Trabalho docente
Resumo em português
O desgaste mental dos professores da rede pública de ensino representa um grave problema nos tempos atuais. Partindo da perspectiva da Saúde do Trabalhador, procuramos identificar a participação da escola na produção desse problema, considerando o lugar ideológico de justificação das desigualdades sociais ocupado por essa instituição na sociedade de classes, as questões de exclusão escolar tais como se configuram no interior das políticas educacionais atuais (programas de regularização de fluxo escolar) e a natureza do trabalho docente, cuja lógica é avessa à organização do trabalho produtor de mercadorias. Desse modo, buscamos responder as seguintes perguntas: quais são os principais determinantes do desgaste mental de professores de ensino fundamental nas escolas públicas hoje? Como eles aparecem na vivência dos professores? Que formas de enfrentamento e de resistência estão sendo engendradas pelos trabalhadores? Para respondê-las, entrevistamos professoras de uma escola da rede municipal de ensino paulistana, que viviam diferentes situações de trabalho: readaptada, afastada por problemas mentais e atuante em sala de aula. Desde a invasão da escola por uma lógica neoliberal produtivista, materializada pelos programas de regularização de fluxo escolar implantados a partir dos anos 1990, o trabalho docente vem passando por reestruturações que vão na direção de sua intensificação, da ampliação dos tipos de tarefas, da sua desqualificação e da precarização das relações de emprego, consolidando-se a desvalorização do trabalho educativo. A pesquisa constatou que, em uma escola norteada pela seriação, os ciclos de aprendizagem pioram as condições de trabalho no magistério, na medida em que o impedimento à ação de reprovar os alunos implica em perda do controle docente, em aumento da indisciplina e do desinteresse do alunado por uma escola cujo objetivo tornou-se basicamente credencialista. Sob essas condições, os alunos que até os anos 1980 viviam a exclusão da escola, agora nela permanecem, mas sem aprender, vivendo a exclusão na escola. As inúmeras tentativas docentes de reverter esse quadro acabam, freqüentemente, transformando-se em estratégias para minimizar o desgaste no trabalho, sendo concretizadas em ações que representam uma espécie de renúncia ao papel de educador. Essa desistência de educar significa, ao mesmo tempo, uma renúncia ao sentido do trabalho docente, que, desse modo, passa a gerar intenso desgaste mental.
Título em inglês
Mind damage on state schools teachers: meaningless work under the policy of school flow regulation
Palavras-chave em inglês
Mental health
Occupational health
School psychology
Social psychology
Teachers
Teaching work
Resumo em inglês
Mind damage of state schools teachers represents a serious current issue. From the Workers Health perspective, this work aims to identify the school part in this problem, considering: its institutional place in the ideological justification of social inequalities in class society, the issues of school exclusion shaped by current educational polices (programs of school flow regulation) and the nature of the teaching job, which works on a logic that is contrary to the organization of the work involved in goods production. In this way, we aim to answer the following questions: (1) what are todays main determinants in the mind damage of fundamental school teachers working at state schools? (2) How do they emerge on teachers lives? (3) What kinds of resistance and confrontation are being engendered by the workers? In order to respond to these questions, we interviewed teachers in a public school in the municipality of São Paulo in different work conditions: readapted; away, due to mental health problems; and working in the classroom. Since the schools have been invaded by a neoliberal and productivist logic in the material shape of school flow regulation programs, implemented since the 1990s, the teaching job has been restructured so that it has been intensified, broadened regarding the tasks it encompasses, while it has also been disqualified and job relations have become precarious, consolidating the devaluation of the educational work. This research has found that in a school oriented towards serialization, the learning cycles have worsened teaching work conditions in the sense that the impossibility to fail students means teachers lose a measure of control over their students, who become undisciplined and also lose interest in a school that has become fundamentally a credential issuing institution. In these conditions, students who experienced the exclusion from the school in the 1980s now remain in the school, but without learning, experiencing exclusion within the school. Teachers numerous attempts to reverse this situation frequently become strategies to minimize work damage that take place in actions that represent some sort of abandonment of an invested educator role. This resigning as educator also means resigning to the meaning of the teaching job, which, consequentially, incurs in intense mind damage.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
tesepaparelli2009.pdf (1,014.42 Kbytes)
Data de Publicação
2010-01-14
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.