• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.47.2019.tde-25022019-152927
Documento
Autor
Nome completo
Nathalia Teixeira Caldas Campana
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2018
Orientador
Banca examinadora
Gomes, Isabel Cristina (Presidente)
Bastos, Marise Bartolozzi
Granato, Tania Mara Marques
Martins Filho, José
Oliveira, Danielly Passos de
Ribeiro, Marina Ferreira da Rosa
Título em português
Um estudo sobre a parentalidade contemporânea e a rede de cuidados com a primeira infância
Palavras-chave em português
Casal
Gênero
Parentalidade
Psicanálise
Rede de cuidados
Resumo em português
A família nuclear sofreu mudanças ao longo das últimas décadas em sua estrutura e na maneira como se relacionam seus membros, principalmente em virtude da emancipação feminina que possibilitou que as mulheres construíssem uma carreira profissional e não se restringissem ao papel de mãe. A presente tese teve como objetivo principal compreender como a parentalidade apresenta-se em casais heterossexuais de classe média-alta com filhos de até três anos, cujos membros têm entre 30 e 40 anos de idade. Como objetivos secundários, buscou-se compreender o lugar que a escola e o pediatra ocupam junto às funções parentais e identificar a noção que os entrevistados têm acerca do cuidado oferecido às crianças. Foram entrevistados oito casais, assim como os pediatras e as coordenadoras das escolas responsáveis, respectivamente, pelos filhos dos casais participantes, e as entrevistas foram gravadas. A análise dos dados foi realizada a partir do referencial psicanalítico, com ênfase na teoria winnicottiana do amadurecimento pessoal e de estudos psicossociais e de gênero. Os resultados foram discutidos a partir de quatro categorias: 1) o cuidado materno e o cuidado parental; 2) possibilidades de cuidado: terceirização e compartilhamento; 3) o cuidar na interface com o educar: como se lida com os limites e a frustração; e 4) o parental, o conjugal e o individual. A partir desse estudo, observou-se que parecem coexistir tradição e inovação no que diz respeito à dinâmica da parentalidade, e que a apropriação da parentalidade pode ser discutida em dois âmbitos. No âmbito do casal, a parentalidade caracterizou-se por 1) maior fluidez nos papéis parentais; 2) cuidado parental igualitário, com predomínio no discurso de atribuição de maior valor à figura materna; ou 3) rompimento com o binarismo de gênero no exercício parental, com predomínio da responsabilidade pelos cuidados em um dos cônjuges. Em um segundo âmbito, considerando a parceria estabelecida entre os pais e os profissionais da saúde e da educação, estes apareceram como representantes do social que oferecem suporte e confiança ao casal, e nesse sentindo oferecem holding ao holding parental, além de aparecerem como ocupantes de um lugar de orientação (no caso dos pediatras), ou de substitutos momentâneos das funções parentais, de parceria junto aos pais e/ou de terceiros, representantes da cultura, que se interpõem entre pais e filho (no caso das escolas). Dentre as noções de cuidados encontradas nos discursos dos entrevistados, destacamos o paradoxo vivido pelos pais entre uma maior quantidade de possibilidades de caminhos de vida e diversas demandas, relacionadas à satisfação individual, à satisfação conjugal e ao exercício da parentalidade, que pode resultar em vivência de maior autenticidade, mas também em maior angústia. Destacou-se que maternidade e paternidade devem ser compreendidas em suas diferenças pela lógica da alteridade, e não pela diferença de sexo/gênero
Título em inglês
A study on contemporary parenting and the early childhood network of care
Palavras-chave em inglês
Couple
Gender
Network of care
Parenting
Psychoanalysis
Resumo em inglês
The nuclear family has undergone changes over the last decades in its structure and in the way its members relate, mainly because of the feminine emancipation that enabled women to build a professional career, not restricting themselves to the mother role. The main objective of this thesis was to understand how parenting occurs in middle-upper-class heterosexual couples with children up to three years old, whose members are between 30 and 40 years old. As secondary objectives, we sought to understand the place the school and the pediatrician occupy in relation to the parental functions and to identify the notion that the interviewees have about child care. Eight couples, the pediatricians attending the children of these couples and the coordinators of the schools where the children of these couples study were interviewed. The interviews were recorded. Data analysis was carried out based on the psychoanalytical framework, with emphasis on the Winnicottian theory of personal maturation and the psychosocial and gender studies. Results were discussed in four categories: 1) maternal care and parental care; 2) possibilities of care: outsourcing and sharing; 3) to care in the interface with to educate: how to deal with limits and frustration; and 4) the parental, the conjugal and the individual. From this study, it was observed that tradition and innovation seem to coexist in the dynamics of parenting, and that the appropriation of parenting can be discussed in two areas. In the couples context, parenting was characterized by 1) greater fluidity in the parental roles; 2) parental equal care, with discursive predominance of an attribution to the greater value of the maternal figure; or 3) disruption with gender binarism in parental exercise, with a predominant attribution of responsibility to one parent. In a second context, considering the partnership established between parents and health and education professionals, these experts appeared as social representatives that could offer support and trust to the couple. In that sense, they offer holding to the parental holding, besides appearing as occupants of a place of orientation (in the case of pediatricians), or temporary substitutes for parental functions, in partnership with parents and / or third parties, representatives of culture, who stand between parents and children (in the case of schools). Among the notions of care found in the interviewees' discourses, we highlight the paradox experienced by parents: a greater number of possibilities of life paths and different demands, related to individual satisfaction, marital satisfaction and the exercise of parenting, which may result in experiencing greater authenticity, but also greater anguish. It was emphasized that motherhood and fatherhood should be understood in their differences by the logic of alterity, and not by the difference of sex / gender
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
campana_do.pdf (4.88 Mbytes)
Data de Publicação
2019-03-06
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.