• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.47.2014.tde-10102014-123404
Documento
Autor
Nome completo
Felipe Alkmin Carvalho
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2014
Orientador
Banca examinadora
Bertolla, Márcia Helena da Silva Melo (Presidente)
Ribeiro, Wagner Silva
Teixeira, Maria Cristina Triguero Veloz
Título em português
Bullying, problemas de comportamento e adversidade familiar em adolescentes de escolas públicas paulistas
Palavras-chave em português
Adversidade familiar
Bullying
Problemas de comportamento
Violência na escola
Vitimização
Resumo em português
Sofrer bullying na infância e na adolescência se configura como fator de risco para a instalação e manutenção de problemas de comportamento e de transtornos psiquiátricos. A adversidade familiar, por sua vez, contribui para o envolvimento em situações de bullying. Os objetivos do presente estudo foram: (1) avaliar e comparar os escores de problemas de comportamento em dois grupos (vítimas e não vítimas de bullying), obtidos por meio do autorrelato e do relato dos professores e (2) verificar correlações entre os escores de adversidade familiar e de problemas de comportamento nos dois grupos. Participaram 154 adolescentes, dos quais 31 (20,1%) foram identificados como vítimas de bullying, por meio da Escala de Violência Escolar (EVE) e da versão traduzida do Peer Assessment. Para avaliar os problemas de comportamento foram utilizadas as versões brasileiras do Youth Self Report/11-18 (YSR) e do Teacher Report Form (TRF). O índice de adversidade familiar (IAF) avaliou o nível de adversidade familiar entre as famílias. Mais adolescentes vítimas de bullying foram avaliados com problemas de comportamento internalizantes, externalizantes e totais em nível clínico, quando comparados ao grupo de não vítimas. As maiores diferenças entre grupos foram verificadas na subescala de Depressão e Ansiedade, a partir do relato dos adolescentes, e na escala de Comportamento Agressivo, de acordo com os professores. Os alunos alvos de bullying relataram mais problemas de comportamento internalizantes (F=13,3 e p=0,001) e menos problemas de comportamento externalizantes (F=6,63 e p=0,013), quando comparados ao relato de seus professores. A presença de discórdia conjugal foi mais frequente em famílias de alunos vítimas de bullying, atingindo diferença estatisticamente significativa entre os grupos ( 2 =4,2 e p=0,04). Houve correlação positiva e ligeira entre os escores de problemas de comportamento, relatados pelos alunos, e os escores de adversidade familiar (=0,288 e p=0,001). Embora os escores de problemas de comportamento, sobretudo internalizantes, relatados por vítimas de bullying tenham sido significativamente superiores aos relatados por não vítimas, e tenham atingido níveis clínicos, os professores parecem não estarem sensíveis a estes indicadores. Identificar problemas de comportamento e características familiares adversas associadas à vitimização, assim como avaliar a percepção dos próprios envolvidos e de seus professores, contribui para o desenvolvimento de medidas preventivas de bullying em escolas brasileiras
Título em inglês
Bullying, behavior problems and family adversity in youth from public school
Palavras-chave em inglês
Behavioral problems
Bullying
Family adversity
Victimization
Violence in school
Resumo em inglês
Being bullied in childhood and adolescence is configured as a risk factor for the installation and maintenance of behavioral problems and psychiatric disorders. Family adversity, in turn, contributes to involvement in bullying situations. The aims of the study were: (1) to evaluate and compare the scores of behavior problems in two groups (victims and non-victims of bullying), obtained by self-report and by teachers report, and (2) examine correlations between the scores of family adversity and behavior problems of the two groups. Participated 154 adolescents, of whom, 31 (20.1%) were identified as victims of bullying, through the School Violence Scale (EVE) and through the translated version of the Peer Assessment. To assess the behavioral problems, the Brazilian versions of the Youth Self Report/11-18 (YSR) and the Teacher Report Form (TRF) were used. The family adversity index (LAI), from Rutter, assessed the level of family adversity among the families. Most adolescent victims of bullying were assessed with internalizing problems, externalizing, and total behavior at a clinical level, when compared with non-victims. The biggest differences between groups were found in the subscale of Depression and Anxiety, according to the teenagers and the Aggressive Behavior scale, according to teachers. The target of bullying students reported more internalizing behavior problems (F = 13.3, p = 0.001) and fewer externalizing behavior problems (F = 6.63, p = 0.013), when compared with their teachers. The presence of interparental conflict was more frequent in families of students bullied, reaching statistically significant difference between groups ( 2 = 4.2, p = 0.04). There was a slight and positive correlation between the scores of behavioral problems reported by students and the family adversity scores ( = 0.288, p = 0.001). While scores of behavior problems, especially internalizing, reported by victims of bullying were significantly higher than those reported by non-victims, and have reached clinical levels, the teachers do not seem to be sensitive to these indicators. Identify behavior problems and family characteristics associated with victimization, and to evaluate the perception of the involved and their teachers contribute to the development of preventive measures of bullying in Brazilian schools
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2014-10-15
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.