• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.47.2007.tde-06052008-162313
Documento
Autor
Nome completo
Ana Lúcia Alcantara de Oliveira Ulian
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2007
Orientador
Banca examinadora
Silvares, Edwiges Ferreira de Mattos (Presidente)
Banaco, Roberto Alves
Hübner, Maria Martha Costa
Marinho, Maria Luiza
Meyer, Sonia Beatriz
Título em português
Uma sistematização da prática do terapeuta analítico-comportamental : subsídios para a formação
Palavras-chave em português
análise de contingências
análise funcional
formação do psicólogo
supervisão clínica
terapia comportamental
Resumo em português
A análise funcional tem sido considerada o instrumento básico do analista de comportamento. Entretanto, a literatura denuncia a escassez de pesquisas sobre o processo de desenvolver e usar a análise funcional em clínica dificultando a tarefa dos supervisores de estágio ao ensinar seus alunos a se tornarem terapeutas, justamente por não terem disponíveis os métodos que eles usam e como determinam em que ordem usá-los. Com o objetivo de preencher essa lacuna foi feito um levantamento dos relatos de casos publicados pelos terapeutas analíticocomportamentais para identificar o que fazem quando atendem seus clientes. Parece que o consenso entre eles é que sua atividade básica é a análise funcional, embora haja muitas controvérsias sobre tal termo, que é discutido neste trabalho concluindo-se por sua substituição pelo termo análise de contingências. Com base no levantamento feito, elaborou-se um programa de ensino dessa prática, do qual participaram oito estagiários que foram treinados a elaborar análises de contingências. O programa foi constituído de três módulos: revisão de princípios básicos do Behaviorismo Radical, elaboração de análises por escrito de casos relatados na literatura, de acordo com critérios elaborados por Sturmey (1996) e análise de pelo menos um caso atendido pelo terapeuta estagiário que foi gravado em vídeo e assistido pela supervisora e pelos colegas. Os procedimentos utilizados foram modelagem (reforçamento diferencial logo após a elaboração das análises por escrito e das sessões de atendimento) e modelação (observação das sessões de atendimentos dos colegas e da supervisora, observação do próprio comportamento de atender o cliente pela fita de vídeo e vivência da própria análise do seu comportamento de analista durante as sessões de supervisão). Os resultados demonstraram a eficácia do programa pela diferença significativa das notas dadas às análises por escrito antes e depois do treino. Para avaliar a efetividade do programa, as sessões de quatro dos oito participantes foram novamente observadas e as ações ao vivo durante o processo da análise de contingências puderam ser categorizadas. Foi possível definir treze categorias de falas dos terapeutas e analisar as porcentagens de freqüências delas, descrevendo os comportamentos dos terapeutas quando atendiam seus clientes, culminando numa proposta de sistematização da tarefa do terapeuta analíticocomportamental, que poderá ser usada como um dos critérios orientadores para a formação desse profissional.
Título em inglês
An analytical-behavioral therapist practice systematization : subsidies for formation
Palavras-chave em inglês
behavior therapy
clinical supervision
contingency analysis
functional analysis
psychologist education
Resumo em inglês
Functional analysis has been considered the behavioral analyst's basic instrument. However, the literature denounces the shortage of researches on the process of developing and using functional analysis in clinics, which makes the task of professional training supervisors more difficult as they teach their students to become therapists, exactly because the methods which they use are not available, neither how they determine in what order these methods are used. To fulfilling this gap a search in literature was performed to identify by case reports what the analytical-behavioral therapist does when he is in attendance of his clients. It seems that there is a consensus among them considering functional analysis their basic activity, although there are many controversies about such terminology, which is discussed in this paper, leading to its substitution to contingency analysis term. Based on this research, a program for the teaching of this practice was conceived, in which eight trainees were taught to elaborate contingency analysis. The program had three modules: revision of basic principles of Radical Behaviorism, written analysis of cases found in the literature according to Sturmey's criteria (1966), and analysis of at least one case treated by the trainee therapist, which was recorded in video and observed by the professional supervisor and other trainees. The teaching used procedures were shaping (differential reinforcement right after written analysis as well as therapeutical sessions), and modelling (observation of therapeutical sessions performed by his peers and his supervisor, observation of his own behavior in session by watching the videotape, and his own experience in analyzing his own behavior as an analyst during supervision sessions). The results show the efficacy of the program by the significant difference of the grades given for the written analysis before and after training. To assess the effectiveness of the program, the sessions of four out of the eight participants were again observed and their actual actions during the process of contingency analysis could be categorized. It was possible to define thirteen therapists' talk categories, whose frequency percentages demonstrated trainees behavior when attended their clients, what led to a proposal for the systematization of the analytical-behavioral therapist's task, which could be used as one of the orientation criteria for professional formation.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Ulian_doutorado.pdf (2.50 Mbytes)
Data de Publicação
2008-08-26
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.