• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
Documento
Autor
Nome completo
Filipe Barbosa Margarido
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2017
Orientador
Banca examinadora
Antúnez, Andrés Eduardo Aguirre (Presidente)
Pansarelli, Daniel
Protasio, Myriam Moreira
Safra, Gilberto
Título em português
O desespero humano: Søren Kierkegaard e a clínica psicológica
Palavras-chave em português
Angústia
Desespero
Morte
Psicologia Clínica
Sofrimento
Resumo em português
Investigamos acerca do sofrimento humano e suas vicissitudes na clínica psicológica, a partir do pensamento de Kierkegaard, especificamente a partir do conceito de desespero. Objetivase analisar os caminhos que o psicólogo tem para compreender os fenômenos mentais, e relacioná-los com a filosofia kierkegaardiana, pautado numa metodologia qualitativa de pesquisa. Sendo o sofrimento humano um fenômeno subjetivo, ele adquire uma semântica diferente para cada indivíduo. Kierkegaard explora o sofrimento a partir da universalidade do fenômeno do desespero. No livro A doença mortal, o autor faz uma análise estrutural sobre as diversas manifestações que o desespero pode ter para cada pessoa, de acordo com os níveis de consciência que cada um possui. Nesse percurso, a proposta desta investigação articulou esses saberes à clínica psicológica naquilo que se revela no sofrimento. Para tanto, constatamos que o terapeuta precisa estar fundamentado numa epistemologia que acolha a questão do mistério e do inominável da condição humana, tal como foi examinada a partir do pensamento de Kierkegaard. Este autor analisou o desespero num horizonte filosófico e teológico. Na perspectiva clínica, vemos que o desespero encontra-se num horizonte de compreensão que paciente e terapeuta têm no instante da sessão psicoterápica
Título em inglês
The sickness unto death: Søren Kierkegaard and the clinical psychology. Master's degree dissertation
Palavras-chave em inglês
Anguish
Clinical Psychology
Death
Despair
Suffering
Resumo em inglês
We investigated the human suffering and its vicissitudes at the psychological clinic in Kierkegaards thought, specifically on the concept of despair. The goal is to analyze the paths that the psychologist possess to understand the mental phenomena and to relate them with the kierkegaardian philosophy, based on a qualitative research methodology. Since human suffering is a subjective phenomenon it acquires different semantics for each individual. Kierkegaard explores the suffering from the universality of the phenomenon of despair. In the book The sickness unto death, the author performs an structural analysis about the diversity of despair demonstrations that can be perceived in different persons in accordance with levels of consciousness that each possesses. Therefore, this research aims to articulate these knowledges to psychological clinic regarding what is revealed in the suffering. To this end, we note that the therapist needs to be based on an epistemology that embrace the mystery and unnameable of human condition as has been examined on Kierkegaards thought. This author has analyzed the despair in a philosophical and theological horizon. From the clinical perspective, we observe that the despair is found on a horizon of understanding established between patient and therapist during the psychological session
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
margarido_me.pdf (797.79 Kbytes)
Data de Publicação
2017-10-06
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2014. Todos os direitos reservados.