• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
Documento
Autor
Nome completo
Adriana Saavedra Moreno
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2017
Orientador
Banca examinadora
Valentova, Jaroslava Varella (Presidente)
Soares Filho, Paulo Sergio Dillon
Varella, Marco Antonio Corrêa
Título em português
Efeito de contraste na resposta ocular: avaliação de um procedimento
Palavras-chave em português
Aprendizagem por discriminação
Condicionamento
Contraste Sucessivo
Expectativa
Eyetracking
Perda
Rastreamento Ocular
Respostas oculares
Resumo em português
O Contraste Sucessivo é um dos paradigmas experimentais que modelam a experiencia de perda. Nele, os organismos deixam de estarem expostos à eventos reforçadores, apetitivos e/ou preferidos para entrarem em contato com outros de menor qualidade ou valor. Isto resulta numa série de estratégias comportamentais caracterizadas por um importante componente emocional, uma diminuição na execução da resposta (consumatória ou operante) que não está mais correlacionada com a consequência, um aumento na execução de respostas que eram menos prováveis, e uma conservação da estrutura do comportamento exibido antes da perda ou deterioro. A função dos estímulos antecedentes e/ou discriminativos envolvidos, que constituem a parte vigente da contingência que foi quebrada, também tem se mostrado comprometida. Contudo, a interação entre essas características tem sido estudada de modo separado, seja por complicações técnicas ou por isolamento teórico entre os paradigmas. Neste experimento se apresenta uma proposta que tenta obter uma caracterização mais abrangente das estratégias comportamentais que emergem numa situação de perda, aproveitando a versatilidade topológica e funcional da resposta ocular, e a disponibilidade de recursos técnicos que permitem obter medidas precisas dela. Para isso, no procedimento utilizado foram disponibilizadas alternativas de resposta com diferentes valores de reforçamento em cada. 192 fotografias do IAPS foram categorizadas segundo seu valor emotivo e seu conteúdo em seis categorias: Eróticas, Filhotes (Agradáveis), Paisagens naturais, Paisagens artificiais (Neutrais), Doenças e Violência (Desagradáveis). Pares dessas fotografias foram apresentadas num arranjo de quatro quadrantes na tela do computador, antecedidas de forma consistente por Figuras geométricas específicas para cada categoria, enquanto os tempos de fixação eram registrados com um rastreador ocular. Uma sétima figura geométrica foi pareada aleatoriamente com fotografias de todas as categorias. Após atingir um critério de estabilidade baseado no ranqueamento e correspondência entre os tempos de fixação das Figuras geométricas e das Fotografias, as Fotografias da categoria mais observada foram substituídas por Fotografias daquela correspondente ao terceiro lugar, mas continuaram sendo antecedidas pela mesma Figura geométrica. Os resultados mostraram que o procedimento foi sensível às condições e a manipulação experimental. Foi possível estabelecer um ranqueamento entre as categorias a partir das respostas oculares e caracterizar um padrão de observação após a incongruência introduzida. No caso, as preferências exibidas pela participante foram reorganizadas, com um aumento nos tempos de fixação das categorias agradáveis, evitação das fotografias da categoria Doença enquanto a Figura geométrica que à antecedia começou a ser mais observada, e um aumento no tempo de fixação da categoria de imagens aleatórias. No caso das Categorias alteradas, as fotografias de Filhotes (terceira categoria no ranqueamento) que começaram a ser antecedidas pela Figura geométrica correspondente à categoria Violência (a mais observada), foram menos observadas do que àquelas antecedidas pela figura geométrica treinada na fase anterior. São discutidas as melhoras que o procedimento poderia ter assim como o uso das medidas mais apropriadas na exploração de diversos fenômenos comportamentais. Se analisa se os resultados podem ser entendidos dentro do paradigma de contraste e por último se apresentam comentários sobre a necessidade de aproveitar os desenvolvimentos técnicos que permitem executar experimentos mais complexos
Título em inglês
Not informed by the author
Palavras-chave em inglês
Conditioning
Discrimination Learning
Expectation
Eye Tracking
Eyetracking
Loss
Ocular Responses
Successive Contrast
Resumo em inglês
Successive Contrast is one of the experimental paradigms that models the experience of loss. On it, organisms are no longer exposed to reinforcing, appetitive and/or preferred events, but to some others with less quality or value. This results in different behavioral strategies characterized by an important emotional component, a decrement in the response not any longer associated with the consequence (consummatory or operant), an increment in less likely responses, and a preservation of behavioral structure from before the impairment. The role of the antecedent and / or discriminative stimuli involved, which constitute the current part of the contingency that has been broken, has also shown to be compromised. However, the interaction between these characteristics has been studied separately, either by technical complications or by theoretical isolation between paradigms. In this study, we propose a procedure to obtain a more comprehensive characterization of the behavioral strategies that emerge in a situation of loss, taking advantage of the topological and functional versatility of the ocular response, and the availability of technical resources that allow to obtain precise measurements of it. To solve this, alternatives for responding with different values of reinforcement were available. 192 photographs from the IAPS were categorized into six categories according to their emotional value and their content: Erotic, Puppies (Pleasant), Natural Landscapes, Artificial Landscapes (Neutral), Diseases and Violence (Unpleasant). Pairs of these photographs were presented in a four-quadrant arrangement on the computer screen, consistently preceded by specific geometric figures for each category, while fixation times were recorded with an eye tracker. A seventh geometric figure was randomly paired with photographs of all categories. After reaching a stability criterion based on the ranking and correspondence between the fixation times of the Geometric Figures and the Photographs, the Photographs of the most observed category were replaced by Photographs of the one corresponding to the third place, but continued to be preceded by the same Geometric Figure. The results showed that the procedure worked well within our experimental conditions and manipulation. It was possible to establish a ranking from the ocular responses among the categories and to characterize a pattern of observation after the introduced incongruity. The preferences exhibited by the participant were reorganized, with an increase in the fixation time of the pleasant categories, avoidance of photographs of the category Disease while its geometric Figure became more observed, and an increase in the fixation time of the category of random images. On the changed Categories, the photographs of Pups (third category in the ranking) that began to be preceded by the geometric Figure corresponding to the category Violence (the most observed category), were less observed than those preceded by the geometric figure trained in the previous phase. The improvements that the procedure could have as well as the use of the most appropriate measures in the exploration of several behavioral phenomena are discussed. It is analyzed if the results can be understood within the contrast paradigm and finally comments are made on the need to take advantage of the technical developments that allow to execute more complex experiments
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
moreno_me.pdf (2.11 Mbytes)
Data de Publicação
2017-12-15
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.