• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.47.2009.tde-04122009-160706
Documento
Autor
Nome completo
Raquel de Paula Faria
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2009
Orientador
Banca examinadora
Hunziker, Maria Helena Leite (Presidente)
Banaco, Roberto Alves
Bernardi, Maria Martha
Título em português
Interação entre choques incontroláveis, consumo de álcool e aprendizagem de fuga em ratos
Palavras-chave em português
Álcool
Choque
Condicionamento de esquiva.
Desamparo aprendido
Privação
Resumo em português
O objetivo desse trabalho foi verificar os efeitos de choques elétricos, controláveis e incontroláveis, sobre o aumento temporário do consumo e preferência por álcool após um período de abstinência, efeito denominado Alcohol Deprivation Effect (ADE). Buscou ainda verificar se uma história de ingestão e privação de álcool pode afetar a aprendizagem de fuga, e, em direção oposta, se a exposição a uma contingência de fuga pode modificar o padrão inicial de consumo e preferência alcoólica. Vinte e quatro ratos foram treinados a consumir álcool em um esquema de livre escolha entre água e uma solução alcoólica (10%). Posteriormente foram colocados em privação de álcool por quatro dias, sendo que no último dia, eles receberam tratamento com choques controláveis (contingência de fuga), incontroláveis, ou nenhum choque (n=8 cada). Outros seis sujeitos não expostos previamente ao consumo de álcool foram submetidos à contingência de fuga. Após o tratamento, todos os animais tiveram livre acesso à solução alcoólica. Os resultados mostraram que: (1) o tratamento durante a privação com choques incontroláveis, mas não com choques controláveis, produziu um aumento significante na preferência por álcool, (2) a ingestão de álcool, seguido por três dias de privação, não interferiu na aprendizagem de fuga, e (3) a experiência prévia com uma contingência de fuga aumentou o consumo e a preferência inicial por álcool comparado com sujeitos ingênuos. Esses resultados são discutidos em termos da influência de diferentes histórias com estímulos aversivos sobre a auto-administração de álcool.
Título em inglês
Interaction among uncontrollable shocks, alcohol consumption and escape learning in rats
Palavras-chave em inglês
Alcohol
Avoidance conditioning
Deprivation
Learning helplessness
Shock
Resumo em inglês
The objective of this study was to evaluate the effects of controllable and uncontrollable electric shocks on the temporary increase of alcohol consumption and preference after a period of abstinence, which is termed as Alcohol Deprivation Effect (ADE). It was also sought to determine whether a history of alcohol intake and deprivation could interfere with escape learning and, on opposite direction, if the exposure to an escape contingency could modify the initial pattern of alcohol consumption and preference. Twenty four rats were trained to consume alcohol in a period of free choice between water and an alcohol solution (10%) followed by alcohol deprivation for four days. The animals were exposed to controllable (escape contingency), uncontrollable or no shocks (each group, n = 8) on the fourth day. Another six subjects not previously exposed to alcohol were submitted to escape contingency. All animals had free access to the alcohol solution after treatment. The results revealed that (1) treatment during deprivation with uncontrollable, but not controllable, shocks produced a significant increase in preference for alcohol, (2) the alcohol intake, followed by three days of deprivation, did not interfere with escape learning and, (3) compared to naive subjects, previous experience with escape contingency has increased the initial consumption and preference for alcohol. These results are discussed in terms of the influence of different histories of exposure to aversive stimuli on alcohol self-administration.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2010-01-11
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.