• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.47.2015.tde-07082015-110156
Documento
Autor
Nome completo
Felipe Martins Afonso
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2015
Orientador
Banca examinadora
Guirado, Marlene (Presidente)
Crochik, Jose Leon
Serrano, Cesar Eduardo Gamboa
Título em português
Do Inconsciente da metapsicologia ao dispositivo clínico: uma análise institucional do discurso de Freud
Palavras-chave em português
Análise institucional do discurso
Clínica
Inconsciente
Metapsicologia
Sigmund Freud
Resumo em português
Partindo de trabalhos recentes que analisaram os discursos de psicanalistas contemporâneos sobre seu fazer e que se orientaram segundo o método da Análise Institucional do Discurso (AID), pudemos afirmar que a teoria informa o fazer clínico da psicanálise. Isso implicou dizer também que, por via inversa, é a clínica que materializa a teoria. Dessas duas afirmações levantamos uma pergunta: como Freud formula um conceito específico dessa teoria que informa a escuta e o pensamento desses psicanalistas? Escolhemos o conceito de inconsciente, pois ele é, ao que tudo indica, o carro-chefe da metapsicologia freudiana. Assim, analisamos o texto O inconsciente de Freud pelo método da AID. Nossos resultados foram, de certa forma, surpreendentes. No que diz respeito ao lugar constituído pelo e para o conceito, verificou-se, por um lado, que o texto de Freud é um jogo constante entre mostrar o inconsciente, descobri-lo, revelá-lo, caracterizá-lo (como se o inconsciente fosse um fato, um dado da experiência), e entre demonstrá-lo, inferi-lo, hipotetizá-lo, derivá-lo (de modo teórico). Por outro lado, também pudemos verificar que o conceito de inconsciente constrói-se como em bloco, ou melhor, como um caleidoscópio; como se outros conceitos fossem exigidos para dele dar conta. No que se refere ao modo como Freud produz conhecimento, nossas análises apontaram para um modo de enunciação que coloca o inconsciente no contra: contra a filosofia, contra a medicina e contra uma psicologia da consciência. Esse estar no contra é o que, para Freud, insere, incrivelmente, a psicanálise na ordem do discurso da ciência. Ainda no que concerne aos modos de produção de verdade, a metapsicologia parece se sustentar sobre um determinado disposto institucional, que nomeamos como análise. Seria esse dispositivo, segundo nossa pesquisa, que efetua o passe de mágica pelo qual a teoria ganha ares de uma verdade. Por fim, discutimos duas questões: a primeira é relativa ao dispositivo analítico como o definidor da psicanálise, e não necessariamente a metapsicologia. A segunda, à proposta de Guirado para uma clínica ao arrepio da metapsicologia
Título em inglês
From metapsychologys unconscious to clinical dispositive: a Freuds institutional analysis of discourse
Palavras-chave em inglês
Clinic
Institutional analysis of discourse
Metapsychology
Sigmund Freud
Unconscious
Resumo em inglês
Based on recent studies that analyzed the discourse of contemporary psychoanalysts, we could state that the theory informs the psychoanalysis clinical work; or, in a reverse way, we could state that the clinic becomes the theory real. These two statements raise a question about how Freud built a specific concept of psychoanalytical theory and the relationship between theory formulation and clinic or the analytical interpretation. The concept of unconscious, considerer the flagship of Freudian metapsychology, was analyzed supported by Institutional Analysis of Discourse method, as it is presented at "The Unconscious" by Freud. The results were surprising. From the question which organized the research to the analytical procedures our studies was guided by IAD. Our analysis indicated that, about the place was built for and by the concept, it has been found, first , the Freuds text has shown constant play between discovering unconscious, developing it, characterizing it (as the unconscious were a fact, a fact of experience), and between demonstrating it, inferring it, hypothesizing it, deriving it ( in theoretical mode). Moreover, it has been found that the unconscious concept was constructed as a block, or rather like a kaleidoscope; as if other concepts were required to explain unconscious itself. Relating to the way Freud produces knowledge, our analysis indicated that the unconscious is placed "against"; against philosophy, against medicine and against a psychology of consciousness. This "being against" is what inserts, incredibly, psychoanalysis in science discourse order, for Freud. Even with regard to knowledge production modes, metapsychology seems to stand on a certain institutional dispositive, which we name as "analysis". According to our research, this dispositive is the one that makes the "magic" in which theory gains airs of truth. Finally, we have discussed two issues, first, the analytical dispositive, not necessarily the metapsychology, as the definer of psychoanalysis; second, Guirados proposition of a clinic out of metapsychology
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
afonso_me.pdf (1.08 Mbytes)
Data de Publicação
2015-08-11
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.