• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
Documento
Autor
Nome completo
Ana Paula Amaral
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2017
Orientador
Banca examinadora
Caetano, Luciana Maria (Presidente)
Agli, Betania Alves Veiga Dell
Folquitto, Camila Tarif Ferreira
Souza, Maria Thereza Costa Coelho de
Título em português
A família como contexto de desenvolvimento moral para crianças e adolescentes com Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade
Palavras-chave em português
Legitimidade da Autoridade Parental
Psicologia Moral
Relação pais e filhos
Representações de si
Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade
Resumo em português
O Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) é um transtorno neurobiológico amplamente estudado e o que mais acomete a população infantil em idade escolar. No entanto, pesquisas relacionando o contexto familiar destas crianças e adolescentes com a moralidade são escassas. Este estudo teve por objetivo mapear o contexto familiar deste público no que diz respeito às concepções educativas morais, a legitimidade da autoridade parental e as representações de si dessas mães. MÉTODO: Participaram da pesquisa 17 mães e 5 avós (responsáveis legais) de crianças e adolescentes com diagnóstico de TDAH atendidos por uma instituição filantrópica especializada localizada na cidade de São João da Boa Vista, interior do estado de São Paulo. Para a coleta de dados, os instrumentos utilizados foram: Escala de Concepções Educativas Morais ECEM, Questionário de legitimidade da autoridade parental e Representações de si de mães de crianças e adolescentes com TDAH. RESULTADOS: Os resultados apontaram para mães que priorizam o respeito unilateral, a justiça retributiva com o uso de sanções expiatórias, o desejo pela obediência e baixa autonomia. Além disso, as mães legitimam a autoridade parental em todos os domínios, sendo as regras de domínio pessoal menos legitimadas que as demais. O uso de punições físicas está muito presente no discurso dessas mães. As representações de si como pessoa dessas mães estão voltadas para a maternidade como valor central e para um olhar positivo sobre si mesmas. Como mães, essas mulheres tem representações de si positivas e positivas morais com ênfase no cuidado. A maior parte das mães percebem diferenças entre educar crianças com TDAH e sem o transtorno. Elas também apresentam representações de si positivas, quando questionadas sobre como o filho, os familiares, os professores e os profissionais da saúde que atendem o filho com TDAH as veem como mães. Em relação às apresentações do TDAH, podemos destacar que as mães de crianças com apresentação predominantemente hiperativa/impulsiva apresentam a menor média para o construto autonomia e as maiores médias para o construto obediência e para as regras de domínio pessoal. As mães de crianças com apresentação predominantemente desatenta utilizam mais regras e apresentam maior legitimidade da autoridade parental, exceto quando se trata das regras de domínio pessoal. As mães de crianças com apresentação combinada apresentam as menores médias em todos os domínios, o que aponta para menor legitimidade da autoridade parental e menor expectativa de obediência. CONCLUSÃO: O contexto familiar dessa amostra não favorece o desenvolvimento moral. As participantes deste estudo desejam filhos obedientes e utilizam sanções expiatórias para garantir a obediência. Para as participantes, ser boa mãe está relacionado ao cuidado e o sacrifício pelos filhos
Título em inglês
The family as a context of moral development for children and adolescents with Attention Deficit Hyperactivity Disorder
Palavras-chave em inglês
Attention Deficit Hyperactivity Disorder
Legitimacy of the Parental Authority
Moral Psychology
Parents and children
Representations of self
Resumo em inglês
Attention Deficit Hyperactivity Disorder (ADHD) is a neurobiological disorder that is widely studied and which affects the school-age children. However, research relating the family context of these children and adolescents with morality is scarce. This study aimed to map the family context of this public with regard to moral educational conceptions, the legitimacy of parental authority and the self-representations of these mothers. METHODS: 17 mothers and 5 grandmothers (legal guardians) of children and adolescents diagnosed with ADHD attended by a specialized philanthropic institution located in the city of São João da Boa Vista, in the state of São Paulo, participated in the study. For the data collection, the instruments used were: Moral Educational Conceptions Scale - ECEM, Questionnaire of legitimacy of parental authority and Self-representations of mothers of children and adolescents with ADHD. RESULTS: The results pointed to mothers who prioritize unilateral respect, retributive justice with the use of expiatory sanctions, the desire for obedience and low autonomy. In addition, mothers legitimize parental authority in all domains, with rules of personal dominance less legitimized than the others. The use of physical punishments is very present in the discourse of these mothers. The self-representations as a person of these mothers are focused on motherhood as a central value and a positive image at themselves. As mothers, these women have positive and positive moral self-representations with an emphasis on care. Most mothers perceive differences between educating children with ADHD and without the disorder. They also present positive self-representations when questioned about how the child, family members, teachers, and health professionals who treat the child with ADHD see them as mothers. Regarding the presentations of ADHD, we can highlight that the mothers of children with predominantly hyperactive / impulsive presentation present the lowest mean for the autonomy construct and the highest averages for the obedience construct and the rules of personal dominance. Mothers of children with predominantly inattentive presentation use more rules and have greater legitimacy of parental authority, except when it comes to rules of personal domain. Mothers of children with a combined presentation have the lowest averages in all domains, which points to a lower legitimacy of parental authority and lower expectation of obedience. CONCLUSION: The family context of this sample does not favor moral development. Participants in this study desire obedient children and use expiatory sanctions to ensure obedience. For the participants, being a good mother is related to the care and sacrifice for the children
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
amaral_corrigida.pdf (1.15 Mbytes)
Data de Publicação
2017-10-05
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2014. Todos os direitos reservados.