• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.45.2006.tde-07052007-092617
Documento
Autor
Nome completo
Evelyn Cristina Pinto
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2006
Orientador
Banca examinadora
Simon, Imre (Presidente)
Cesar Junior, Roberto Marcondes
Ferreira, Sueli Mara Soares Pinto
Título em português
"Repensando os commons na comunicação científica"
Palavras-chave em português
acesso aberto
bibliotecas temáticas
commons
comunicação científica
informação científica
open archives initiative
provedores de dados
provedores de serviços
self-archiving
transição
Resumo em português
Recentemente estudiosos como Benkler, Lessig, Boyle, Hess e Ostrom retomaram o uso do conceito de commons, mas agora relacionado à informação em geral ou à informação científica. Nesse trabalho, nós lançamos mão desse termo para destacar o caráter cooperativo da pesquisa científica, a importância da transparência e neutralidade no acesso ao commons da Ciência e a natureza anti-rival da informação científica. O conceito de commons nos é muito útil para focar todo o conjunto dos artigos científicos já publicados, quer estejam na forma impressa ou na digital. Ainda permite um estudo através de prismas multidisciplinares e, finalmente, enfatiza a dinâmica das comunidades científicos como um todo. Em qualquer commons de informação, quanto maior a distribuição do conhecimento, mais dinâmico e eficiente é o processo de evolução do conhecimento. A tecnologia da imprensa tem desempenhado um papel fundamental na divulgação de informação e o seu surgimento marcou uma revolução no conhecimento e na cultura da nossa civilização. A tecnologia digital tem se mostrado mais eficiente ainda, uma vez que a natureza da sua implementação em bits se aproxima mais da natureza anti-rival das idéias do que qualquer outra tecnologia hoje empregada para preservação e distribuição de informação. Em nosso estudo, constatamos que o commons da Ciência pode ser enormemente enriquecido através de práticas cooperativas e de acesso aberto na publicação da academia. Percebemos também que o uso da tecnologia digital no commons científico, especialmente na publicação dos resultados da pesquisa, aumenta grandemente a distribuição do conhecimento acadêmico, suas oportunidades de escrutínio e validação, a dinâmica de amadurecimento das idéias científicas e, conseqüentemente, pode tornar o desenvolvimento da Ciência mais veloz e eficiente. No entanto, o meio digital tem sido utilizado tanto para criar um ambiente de livre circulação de idéias quanto para controlá-las. Por um lado, código computacional tem sido implementado para garantir o acesso apenas aos que pagam pelos altos preços das revistas científicas. Por outro lado, a publicação de revistas on-line de acesso aberto e outras formas alternativas de disseminação de conteúdo científico têm se proliferado. Ainda, o decrescente orçamento das bibliotecas, o crescente preço das assinaturas de revistas científicas e as crescentes restrições aplicadas pelas leis de propriedade intelectual têm minado a natureza livre das idéias científicas e colocado a Comunicação Científica numa crise. Estamos no meio de uma transição de paradigmas quanto à publicação dos resultados de pesquisa científica, onde aspectos legais, tecnológicos e sócio-econômicos estão em renegociação. À luz das oportunidades da tecnologia digital e da publicação em acesso aberto, as formas de disseminação dos resultados da pesquisa científica presentemente estabelecidas tem sido repensadas. Inserimos essa análise num contexto maior, o paradigma da Comunicação Científica. Isso nos auxilia a fazer um estudo mais abrangente das complexas questões envolvendo nosso tema, analisando os aspectos tecnológicos, legais e sócio-econômicos de uma possível transição para o modelo de publicação de acesso aberto. Tão grandes são as oportunidades desse novo modelo que ele tem agregado em torno de si iniciativas sócio-acadêmicas conhecidas por Movimento de Acesso Aberto à literatura científica. Atualmente, há muitos testes e modelos de publicação dessa literatura. Em especial, nesse trabalho focamos o modelo de acesso aberto aos resultados científicos, suas vantagens, as dificuldades para seu estabelecimento e como ele tem se desenvolvido. Analisamos a viabilidade de criação de um ecossistema de bibliotecas digitais de acesso aberto, especializadas em cada ramo da Ciência. Nossos modelos de partida baseiam-se em alguns aspectos de serviços como arXiv, CiteSeer e Google Scholar. Entre as muitas conclusões desse estudo, constatamos que bibliotecas desse tipo aumentam sobremaneira a dinâmica de circulação, geração, transformação e renovação do conhecimento científico. Assim, o processo de produção de recursos no commons científico pode se tornar muito mais eficiente.
Título em inglês
Rethinking the access to the scientific communication
Palavras-chave em inglês
commons
data provider
digital libraries
electronic journals
harvesting
open access
open archives initiative
scientific communication
self-archiving
service provider
subject libraries
transition
Resumo em inglês
Recent studies done by Benkler, Lessig, Boyle, Hess and Ostrom look at the concept of commons again however, this time in relation to information in general more specifically to scientific information. In this study, we focused on the cooperative character of scientific research, the importance of transparency and neutrality to access the scientific commons. The concept of commons is highly useful to focus on every scientific article that has already been published in print or digitally. This allows studies through several multidisciplines and finally emphasizes the dynamic of scientific communities around the world. In each commons of information, the higher the distribution of knowledge, the more dynamic and efficient the process of the evolution of this information. Technology of the press has been key in the divulging of information and its expansion marked a revolution in knowledge and culture in our civilization. Digital technology has shown more efficiency. Its implementation into bits is closer to the non-rival nature of the ideas than other technologies used to preserve it and used to distribute information. In our work, we realized that the science of commons should be enriched through cooperative practices and open access to scientific results. We also realized that digital technology in scientific commons improves distribution of scholarly knowledge and the dynamic evolution of scientific ideas so the science development should be even more efficient and faster. The digital revolution has been used to create a free environment of circulation of ideas and it has also been used to control certain things. On one side, computational code has been implemented to allow access just for people who pay for the service. On the other hand, online journals publishing and other alternative forms of disseminating scientific knowledge have been proliferated. The decreasing budget of libraries, the increasing cost of journal subscriptions and the increasing restrictions applied by intellectual property has enclosed the free nature of scientific ideas and it has put Scholarly Communication into a crisis. We are in the middle of a transitional phase, where legal, technological, social and economic aspects of scientific publishing have being renegotiated. We inserted our analyses in a larger context, the Scholarly Communication paradigm. This supports a larger study about the complex questions of our subject, analyzing the technological, legal, social and economic aspects of a possible transition to the open access publishing model. This new publishing model is so interesting that some initiatives have started social movements pertaining to it. Nowadays, there are many tests and publishing models especially in this line of work. We focused on the open access model in scientific results, its advantages, the difficulties of its establishment and how it has been developed. Finally, we propose that the creation of an open access digital libraries ecosystem specialized in every scientific field. Our staring models are services such as: arXiv, CiteSeer and Google Scholar. Among our conclusions, we have realized that following this models stated above, digital libraries can enhance the dynamic of circulation, generation, transformation and renovation of the scientific knowledge.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
dissertacaofinal.pdf (2.19 Mbytes)
Data de Publicação
2007-05-07
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2014. Todos os direitos reservados.