• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.44.1994.tde-11062015-094001
Documento
Autor
Nome completo
Fresia Soledad Ricardi Torres Branco
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 1994
Orientador
Banca examinadora
Fairchild, Thomas Rich
Oliveira, Mary Elizabeth Cerruti Bernardes de
Perinotto, Jose Alexandre de Jesus
Título em português
Flora das Formações Carache e Palmarito (Neopaleozoico), na região Carache, estado de Trujillo, Venezuela
Palavras-chave em português
América do Sul
Geologia
Resumo em português
As formações neopaleozóicas Carache e Palmarito, na região de Carache, Estado TrujiIlo, Venezuela, apresentam camadas com fósseis vegetais bem preservados. A presença desses fósseis foi primeiramente registrada por Pierce et alii (1961),e preliminarmente classificados por Benedetto & Odreman (1977a). Odreman & Wagner (1979) retomaram o estudo dessas tafofloras, mas somente para precisar as idades das camadas onde ocorrem. Embora sem entrar em detalhes sistemáticos, estes dois últimos trabalhos já observaram que, de acordo com a composição de tais tafofloras, interessantes conclusões paleobiogeográficas poderiam ser feitas, principalmente pela presença de folhas gigantopteróides no Afloramento de Loma de San Juan da Formação Palmarito. O presente estudo tem como objetivo principal a análise sistemática detalhada da flora presente nesse afloramento. Foram identificadas as espécies: ?Sphenophyllum sp., Delnortea cf. D.abbottiae Mamay et alii, Taeniopteris cf. T. multinervis Weiss, Taeniopteris sp., ?Zamiopteris sp. e Cordaicarpus sp. A espécie Delnortea cf. D. abbottiae Mamay et alii era conhecida somente para a Formação Road Canyon (Artinskiano) no sul do Estado de Texas, como sendo uma gigantopterídea endêmica dos E.U.A.; Cordaicarpus sp., ?Sphenophyllum sp. e Taeniopteris cf. T. multinervis weiss foram pela primeira vez encontradas em Loma de San Juan. Cordaicarpus sp. pode estar relacionada com Delnortea cf. D. abbottiae Mamay et alii, embora ambas não tenham sido encontradas em conexão orgânica. ?Zamiopteris sp. Já havia sido registrada por Odreman & Wagner (1979) como membro da tafoflora de Loma de San Juan; manteve-se aqui a reserva quanto à sua classificação. A partir dessa flora foi possível concluir, que apresenta fortes relações com as floras do Permiano Inferior do sudoeste e centro-oeste dos E.U.A. Pelas características morfológicas das folhas estudadas deduz-se que elas habitaram uma região com regime climático seco, da mesma forma que as floras do Permiano Inferior (Artínskiano) do sudoeste e centro-oeste dos E.U.A., pode-se portanto, reunir essas floras em uma única formação vegetal quente e seca a qual ocupava a área tropical do centro-oeste do Pangea. Quanto à idade da tafoflora de Loma de San Juan, pode-se situá-la no Artinskiano, baseado na ocorrência de Delnortea cf. D. abbottiae Mamay et alii e pela fauna marinha associada que é semelhante à encontrada nas camadas artinskianas da Formação Road Canyon do sul do Estado de Texas. Como segundo objetivo desta dissertação foi proposto o estudo sistemático detalhado da flora de um afloramento da Formação Carache, Iocalizado na estrada Carache-Agua de Obispo. Assim Sphenophyllum foi encontrado pela primeira vez para o afloramento. Foi confirmada a ocorrência de Annularia cf. A. stellata (Schlotheim) Wood, Lobatopteris vestita (Lesquereux) Wagner, Neuropteris ovata Hoffmann e N. scheuchzeri Hoffmann mencionadas em Odreman & Wagner (1979) . Quanto à idade da tafoflora de Agua de Obispo, confirma-se a proposta por esses autores, que a situaram no intervalo Vestfaliano D-Cantabriano (Pensilvaniano Superior, limite Moscoviano-Kasimoviano) com base no grau evolutivo de Lobatopteris vestita (Lesquereux) Wagner. A tafoflora em questão tem inegáveis relações a Província FIorística Euro-americana. O terceiro objetivo proposto foi a realização de um estudo sistemático para conferir a presença de Protoblechnum no afIoramento de Quebrada Mucuchache (Formação Palmarito) em camadas de idade asseliana (Permiano Inferior). Com base no estudo do único exemplar disponível foi confirmada a presença do gênero, podendo corresponder à espécie P. wongii Halle. Floras semelhantes com a do afloramento da Formação Carache são conhecidas na Argélia e no Marrocos, em camadas de carvão do Pensilvaniano Superior, as quais também podem ser incluídas na Província Florísticas Euro-americana. Por outro lado, no Permiano Inferior, floras na Venezuela e no Marrocos são conhecidas e não possuem ambas relações com nenhuma outra do Gondwana ocidental, mas sim tem claras afinidades a primeira com a formação tropical seca do sudoeste e centro-oeste dos E.U.A., e a segunda com a província Florística Euro-americana. A porção norte do Gondwana ocidental no Neopaleozóico localizava-se nas latitudes baixas do hemisfério sul (0º a 23º). Dentro dessa área, encontravam-se a Venezuela, a Argélia e o Marrocos, nela é possível encontrar tafofloras relacionadas com a Provincia Florística Euro-americana no pensiIvaniano Superior e tafofIoras do Permiano Inferior diferentes das conhecidas dentro da Flora de Glossopteris, mas sim relacionadas com outras floras bem conhecidas na faixa equatorial do Pangea; desta forma, é possível propor a existência de um Gondwana tropical durante o Neopaleozóico.
Título em inglês
Not available.
Palavras-chave em inglês
Not available.
Resumo em inglês
The Neopaleozoic Carache and Palmarito Formations, in the Carache region, Trujillo State of Venezuela show beds with well preserved fossil plants. Although only preliminary reported (Pierce et aIii, 1961; Benedetto & Odreman, 1977a; Odreman & Wagner, I979) their importance for paIaeobiogeographic discussions, particularly by the presence of Gigantopteris-like leaves in the Palmarito Formation, was already pointed out. As a result of the present detailed systematic study, mainly based on new collected samples, at the Loma de San Juan outcrop (Palmarito Formation) in the Carache region, the following taxa were identified: ?Sphenophyllum sp., Delnortea cf. D. abbottiae Mamay et aIii, Taeniopteris cf. T. multinervis Weiss, Taeniopteris sp., ?Zamiopteris sp. e Cordaicarpus sp. Delnortea abbottiae Mamay et alii was known as occurring only in the Road Canyon Formation (Artinskian) in Southern Texas, as an endemic gigantopterid of the U.S.A.; Cordaicarpus sp., ?Sphenophyllum sp. and Taeniopteris cf. T. multinervis Weiss are here first reported and described for this locality. Though not yet found in organic connection Cordaicarpus sp. and Delnortea cf. D. abbottiae Mamay et alii could be related to the same plant, ?Zamiopteris sp. is here confirmed (but with the same caution in the identification) for the Loma de S. Juan outcrop. This composition has revealed close relationship to Artinskian floras of Central-Western U.S.A Both present morphological features which suggest adaptation to dry environmental condition. It is possible that this vegetation was distributed along aIl the dry tropical climatic belt of the Central-West Pangea. The Artinskian age for these beds is suggested not only by Delnortea but also by the marine invertebrate fauna found at the same localities. A second venezuelan flora (Agua de Obispo, Carache Formation) is also here studied in detail. Sphenophyllum is here first reported for this locality and the following taxa were confirmed: Annularia cf. A. stellata (Schlotheim) Wood, Lobatopteris vestita (Lesquereux) Wagner, Neuropteris ovata Hoffmann and Neuropteris scheuchzeri Hoffmann . The age of Agua de Obispo flora is confirmed as ranging from Westphalian D and Cantabrian, on the basis of evolutive stage of Lobatopteris vestita (Lesquereux) Wagner, as proposed by Odreman & Wagner (1979).This flora shows clear relationship to those of the Euramerican Province. This study also confirmed the identification of Protoblechnum of the Quebrada Mucuchache (Palmarito Formation, Assellian) based on the only specimen already studied by Odreman & Wagner (1979). This floral distribution and relationships is here discussed. It is concluded that the floras of low latitudes of the west Gondwana are distinct of those of the interior of this paleocontinent but with closer relationships with those of the tropical region of Pangea. Thus, a North-West Gondwana tropical region during de Late Carboniferous and Early Permian is here proposed.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Torres_Mestrado.pdf (10.89 Mbytes)
Data de Publicação
2015-06-12
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.