• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.44.2003.tde-28092015-112134
Documento
Autor
Nome completo
Frederico Meira Faleiros
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2003
Orientador
Banca examinadora
Campanha, Ginaldo Ademar da Cruz (Presidente)
Hackspacher, Peter Christian
Egydio-Silva, Marcos
Título em português
Zona de cisalhamento Ribeira: deformação, metamorfismo e termobarometria de veios sin-tectônicos
Palavras-chave em português
Geologia estrutural
Metamorfismo
Vale do Ribeira (SP)
Resumo em português
A Zona de Cisalhamento Ribeira, de natureza transcorrente destral e direção ENE, apresenta grande importância no zonamento metamórfico e estrutural do Supergrupo Açungui, no Vale do Ribeira (SP e PR). Dados petrográficos e microestruturais indicam uma longa história deformacional da zona de cisalhamento que é caracterizada por milonitos formados em condições desde fácies anfibolito (550-600ºC) até xisto verde (300-400ºC), seguido pela geração de brechas cataclásticas, veios de quartzo tardios e pela instalação de fraturas na qual inclusões fluidas tardias foram aprisionadas em condições de 85-150ºC. Estimativas de pressão e temperatura em grupos de inclusões presentes em veios de quartzo de diferentes gerações indicam que as movimentações finais ocorreram em uma trajetória de resfriamento quase isobárico. As relações geométricas entre quatro famílias principais de zonas de cisalhamento regionais com orientações NE, ENE, NNE e NE-ENE, aliadas aos padrões de foliações e lineações de estiramento e à distribuição espacial dos elipsóides de deformação não favorecem a aplicação dos modelos transpressivos numa hipótese de geração concomitante destas estruturas. A integração dos dados existentes sobre a história deformacional suportam a hipótese de uma evolução tectônica progressiva vinculada com convergência oblíqua entre placas, caracterizada por três estágios principais. Inicia-se um estágio compressivo no qual foram geradas falhas de empurrão e macrodobras de orientação NE. Segue-se a instalação de transcorrências com orientação ENE, reativações direcionais das falhas NE e geração de transcorrências NNE. O estágio final foi caracterizado pelos movimentos tardios controlados pelo cisalhamento paralelo à borda da placa representados pela Zona de Cisalhamento Lancinha. As texturas e estruturas dos principais tipos de sistemas de veios de quartzo associados à Zona de Cisalhamento Ribeira, que são extensionais e paralelos à foliação milonítica, indicam que estes foram gerados em estágios cíclicos repetitivos com alternâncias entre processos de crescimento e deformação. Ambos os tipos de veios foram gerados em condições subsolvus sob flutuação da pressão, na presença de fluidos aquocarbonicos e, posteriormente, deformados na presença de fluidos aquossalinos de menores temperaturas. O fluxo de fluidos geral pela Zona de Cisalhamento Ribeira é caracterizado por pulsos de fluidos aquocarbônicos primitivamente ricos em metano que evoluem no sentido de perda deste componente e de um leve enriquecimento em nitrogênio. Esses pulsos se alternaram no tempo com pulsos aquossalinos. A integração dos dados mostra-se favorável à aplicação do modelo de bombeamento sísmico como mecanismo responsável pelo transporte e redistribuição de fluidos durante a ativação de falhas.
Título em inglês
Not available.
Palavras-chave em inglês
Not available.
Resumo em inglês
The Ribeira Shear Zone, in the homonymous valley, Southeast Braz¡l is a dextral transcurrent, ENE trending structure. lt was a fundamental role in tihe metamorphic and structural zoning of the Açungui Supergroup. Petrographic and microstructural dala indicate a Iong deformational history of the shear zone which ¡s characterized by mylonites formed under amphibolite (550-600°C) to green-schist (300-400°C) facies conditions, followed by cataclastic breccias and late quartz-veins formation and fracture installings in which late secondary fluid inclusion trails were formed at 85-15º°C. Pressure and temperature estimatives from fluid inclusion groups of the different quartz-veins generations indicate that late shear zone movements occurred during nearly isobaric cooling. Geometric relationships between the four main regional shear zone sets with NE, ENE, NNE and NE-ENE trends together with foliations and stretching lineations patterns and spatial distribution of deformation ellipsolds do not favour the applications of transpressive models in a hypothesis of contemporaneours generation of these structures. Data support the hypothesis of progressive tectonic evolution associated with oblique convergence between plates characterized by three main stages. The first was compressive durlng which northeast trending thrust faults and regional folds were developed. ln the second stage, dextral ENE and sinistral NNE trends strike-slip shear zones were formed and NE thrust faults were and regional foldas were developed. In the second stage, dextral ENE and sinistral NNE trends strike-slip shear zones were formed and NE-thrust faults were reactived with a sinistral transcurrent character. The late stage was characterized by displacements controlled by shearing parallel to the plate boundary, represented by the Lancinha Shear Zone. Textures and structures of the two main quartz-vein systems associated with the Ribeira Shear Zone, which are extensional and parallel to mylonitic foliations, indicate that they were formed in cyclic stages alternating growth and deformation. Both types of veins were formed rn subsolvus conditions under pressure fluctuations, in the presence of aqueouscarbonic fluids, and were deformed in the presence of lower temperature aqueous-saline fluids. The general fluid flow is characterized by aqueous-carbonic fluid pulses initially methane-rich that underwent progressive lose of methane and a small galn of nitrogen. These pulses alternatedl in time with aqueous-saline fluid pulses. Data are favorable to applicalion of the seismic pumping model as a mechanism of transport and redistribution of fluids during faults activation.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Faleiros_Mestrado.pdf (15.69 Mbytes)
Data de Publicação
2015-09-29
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.