• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.44.1980.tde-22072015-095522
Documento
Autor
Nome completo
Mariselma Ferreira Zaine
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 1980
Orientador
Banca examinadora
Fulfaro, Vicente Jose (Presidente)
Qualifik, Paul
Suguio, Kenitiro
Título em português
Uma barreira geográfica no Paleozóico superior na região de Fartura, SP.
Palavras-chave em português
Fartura (SP)
Paleozoico
Resumo em português
A finalidade principal do trabalho foi a reconstrução do quadro paleogeográfico vigente à época de deposição dos sedimentos da Formação Estrada Nova na região de Fartura, sudoeste do Estado de São Paulo, comparando-o com a área adjacente de Carlópolis e Joaquim Távora, no nordeste paranaense. A serra da Fartura aparece na região sudoeste do Estado de São Paulo como a expressão geomorfológica de maior realce juntamente com o enxame de diques orientados segundo a direção N45W. Em curta extensão horizontal, pouco mais de uma dezena de quilômetros expõe-se a seqüência estratigráfica da área, desde diamictitos do Grupo Tubarão aflorando às margens da representa Xavantes, passando pelo Grupo Passa Dois até o Grupo São Bento com os derrames básicos da Formação Serra Geral capeando a serra da Fartura. O Grupo Tubarão abrange as rochas mais antigas que afloram na região representado por diamictitos do Sub Grupo Itaquaré e mais para o topo siltitos do Sub Grupo Tatuí (Fácies Taquaral). O Grupo Passa Dois, representado pelas Formações Irati e Estrada Nova sucede, sem discordância, ao Grupo Tubarão. A Formação Irati, porção basal do Grupo, é constituída predominantemente por folhelhos negros com intercalações de leitos descontínuos de calcário dolomítico, tem pequena expressão na área, estando muitas vezes mascarada pelo "sill" básico de Fartura que, provavelmente, penetrou entre as Formações do Grupo Passa Dois. A Formação Estrada Nova é caracterizada por uma seqüência alternada de siltitos aparentemente maciços e rítmicos com marcantes intercalações de bancos de calcário oolítico com estratificação cruzada. Em discordância erosiva com o Grupo Passa Dois seguem-se os arenitos das Formações Pirambóia e Botucatu, iniciando-se por uma brecha basal com fragmentos de rochas da Formação sotoposta. Sobrejacente à Formação Botucatu estão os derrames de basaltos da Formação Serra Geral. As rochas intrusivas básicas, associadas aos derrames da Formação Serra Geral, são representadas por uma grande densidade de diques com orientação dominante N45W, e extensos "sills" distribuídos na área periférica à escarpa basáltica. Tectonicamente, á área se constitui por um sistema principal de falhas escalonadas com orientação N45W, cujos planos são geralmente preenchidos por diques de diabásio, constituindo as mesmas alinhamentos bastante extensos e apresentando rejeito diferencial. Cortando perpendicularmente este sistema, portanto, cronologicamente de movimentação mais recente, ocorre outro, de direção NE, não preenchido por intrusões básicas e que se constitui em zonas de fraqueza para os avanços de frente de erosão da serra da Fartura dando lugar à formação de "anfiteatros de erosão". O estudo da faciologia da Formação Estrada Nova visou verificar a hipótese da existência de uma barreira geográfica (um alto estrutural interno) durante a sedimentação permiana, coincidente, a grosso modo, com a calha atual do rio seqüência alternada de siltitos aparentemente maciços e rítmicos com marcantes intercalações de bancos de calcário oolítico com estratificação cruzada. Em discordância erosiva com o Grupo Passa Dois seguem-se os arenitos das Formações Pirambóia e Botucatu, iniciando-se por uma brecha basal com fragmentos derochas da Formação sotoposta. Sobrejacente à Formação Botucatu estão os derrames de basaltos da Formação Serra Geral. As rochas intrusivas básicas, associadas aos ) aos derrames da Formação Serra Geral, são representadas por uma grande densidade de diques com orientação dominante N45W, e extensos "sills" distribuídos na área periférica à escarpa basáltica. Tectonicamente, á área se constitui por um sistema principal de falhas escalonadas com orientação N45W, cujos planos são geralmente preenchidos por diques de de diabásio, constituindo as mesmas alinhamentos bastante extensos e apresentando rejeito diferencial. Cortando perpendicularmente este sistema, portanto, cronologicamente de movimentação mais recente, ocorre outro, de direção NE, não preenchido por intrusões básicas e que se constitui em zonas dee fraqueza para os avanços de frente de erosão da serra da Fartura dando lugar à formação de "anfiteatros de erosão". O estudo da faciologia da Formação Estrada Nova visou verificar a hipótese daa existência de uma barreira geográfica (um alto estrutural interno) durante a sedimentação permiana, coincidente, a grosso modo, com a calha atual do rio Itararé (Alinhamento do Paranapanema). No lado paranaense a referida Formação se apresenta com três litossomas: Serra Alta, Teresina e Serina bem distintos e individualizados na coluna estratigráfica, o que não acontece no lado paulista onde a Formação Estrada Nova é indivisa, com litofácies sugestivas de casa unidade Itararé (Alinhamento do Paranapanema). No lado paranaense a referida Formação se apresenta com três litossomas: Serra Alta, Teresina e Serina bem distintos e individualizados na coluna estratigráfica, o que não acontece no lado paulista onde a Formação Estrada Nova é indivisa, com litofácies sugestivas de casa unidade coexistindo lateralmente e se alternando na sucessão vertical. A citada barreira provocou, além de variações faciológicas, ao menos nesta unidade estratigráfica, também uma variação faunística, restringindo a ocorrência em área de algumas espécies, como é o caso de lamelibrânquios do gênero Maackia que ocorrem somente ao sul da barreira coexistindo lateralmente e se alternando na sucessão vertical. A citada barreira provocou, além de variações faciológicas, ao menos nesta unidade estratigráfica, também uma variação faunística, restringindo a ocorrência em área de algumas espécies, como é o caso de lamelibrânquios do gênero Maackia que ocorrem somente ao sul da barreira.
Título em inglês
not available
Palavras-chave em inglês
not available
Resumo em inglês
The main purpose of this work was the palaeogeographic reconstruction of the depositional environment of sediments of Estrada Nova Formation in the area of Fartura, southwest of the State of São Paulo, and to compare it with the neighboring area of Carlópolis and Joaquim Távora, northeast of the State of Paraná. The Fartura hills appear in the southwestern part of the State of São Paulo as a geomorphologic expression of great importance together with the "dike swarms" striking N45W. In short horizontal extension, for a distance of a little more than 10 kilometers, the stratigraphic sequence of the area is well exposed and comprises diamictits of the Tubarão Group appearing at the edge of Xavantes dam, going through the Passa Dois Group until the São Bento Group and basaltic flows belonging to the Serra Geral Formation overlying the Fartura hills. Tirc Tubarão Group comprises the oldest rocks that appear in the area, represented by diamictits of the Sub Group Itararé and, a little higher to the top, by siltstones of the Sub Group Tatuí (Facies Taquaral). The Passa Dois Group, represented by Irati and Estrada Nova Fomations follows, with no discordance with the Tubarão Group. The Irati Formation, which is the basal portion of the Group, predominantly consists of black shales with intercalations of discontinuous beds of dolomitic limestone has little expression in the area, and is many times hidden by the basic sill of Fartura which probably has penetrated between the Passa Dois Group Formations. The Estrada Nova Formation is characterized by an alternate sequence of apparently massive siltstones and rhythmic sediments with intercalations of banks of oolitic limestone with cross-bedding. In erosional discordance with the Passa Dois Group follow the sandstones of the Pirambóia and Botucatu Formations, beginning with a basal breccia with fragments of rocks of the underlying Formation. Overlying the Botucatu Formation are the basaltic lava extrusions of the Serra Geral Formation. In association with the basaltic flows of the Serra GeraI Formation there also occur basic intrusive rocks represented by a great density of basic dikes striking N45W and long sills scattered throughout the area peripheral to the basalt scarp. Tectonically the area consists of a main systern of en echelon faults striking N45W whose surfaces are generally filled by diabase dikes; these faults planes form extensive lineaments which show substancial displacement. Cutting this systen at right angles and representing a chronologically more recent movement there is another system of faults striking NE, which is not filled with basic intrusions but consists of zones of weakness for the advancement of erosion fronts of the Fartura hills giving rise to the formation of an "amphitheatre of erosion". A study of faciology of the Estrada Nova Formation was carried out with the purpose of checking the hypothesis of the existence of a geographic barrier (an internal structural high) during the Permian sedimentation, roughly coincident with the present drainage of the Itararé river (structural lineament of Paranapanema). In the State of Paraná, that Formation presents three lithossomes: Serra Alta, Teresina and Serrinha, which are very distinct and individualized in the stratigraphic columm, which does not occur on the side of the State of São Paulo. On this side the Estrada Nova Formation is undivided, has suggestive lithofacies of each unit coexisting laterally and alternating in the vertical sucession. Besides the faciological variations such a barrier has caused a variation in the fauna, at least in this stratigraphic unit, limiting the occurrence of some species in the area, such as the pelecypods of the genus Maackia which occurs only to the South of the barrier.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Zaine_Mestrado.pdf (7.60 Mbytes)
Data de Publicação
2015-07-22
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.