• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Doctoral Thesis
DOI
10.11606/T.44.1977.tde-20012014-173629
Document
Author
Full name
Mary Elizabeth Cerruti Bernardes de Oliveira
E-mail
Institute/School/College
Knowledge Area
Date of Defense
Published
São Paulo, 1977
Supervisor
Committee
Mendes, Josue Camargo (President)
Campos, Antonio Carlos Rocha
Mezzalira, Sergio
Petri, Setembrino
Qualifik, Paul
Title in Portuguese
Tafoflora eogondvânica da Camada Irapuá, formação Rio Bonito (Grupo Tubarão), SC
Keywords in Portuguese
Petrologia
Abstract in Portuguese
Esse trabalho teve por escôpo rever e estudar a importante tafoflora da Camada Irapuá, com base em material proveniente de 4 afloramentos da região de Criciuma, SC. É a terceira camada de carvão dentre as cinco pertencentes à Formação Rio Bonito, do Subgrupo Guatá, seqüência pós-glacial do Grupo Tubarão, na região catarinense da bacia sedimentar do Paraná. Fez-se um extensivo estudo sistemático de seus elementos constituintes registrando-se os seguintes taxa novos: Ponsotheca lobifolia gen. et sp. nov.; Notoangaridium criciumensis (Rigby) gen. nov.; Arberiopsis boureaui gen. et sp. nov.; (?) Arberiopsis sp. A; (?) Arberiopsis sp. B; (?) Arberiopsis sp. C; Gangamopteris rigbyi sp. nov.; Glossopteris spathulato-cordata (Feistm.) emend. Banerjee & Ghosh var. dolianitii var. nov.; (?) Rhabdotaenia criciumensis (Dolianiti)n. comb. e Buriadia mendesii sp. nov. Muitas formas já conhecidas de outras regiões gondvânicas são, pela primeira vez, aqui registradas e outras ainda colocadas em sinonímia. Sua associação tafoflorística, mais ou menos, uniforme para toda a porção médio-superior daquela formação, corresponde à Tafoflora "C" de RÜSLER (1973). Apresenta-se como uma flora de Glossopteris, relativamente, pobre em elementos carboníferos nórdicos (Pecopteris, Sphenopteris) e onde as glossopteridófitas constituem cerca de 50% da associação, 40% dos quais são representados por elementos do gênero Glossopteris, com uma subordinação nítida de Gangamopteris. Coloca-se assim, entre as assembléias típicas da seqüência eogondvânica, pós-glacial, de Permiano Inferior-Médio (Artinskiano). Com base na litologia, na presença de um leaídeo e no tipo de fósseis sugere-se que o paleoambiente deposicional de camada fossilífera tenha sido o de planície de inundação. Fundamentando-se em reconstruções paleogeográficas elaboradas por paleomagneticistas e nas características da própria tafoflora crê-se que o clima predominante, durante a deposição da Camada Irapuá, foi o temperado frio.
Keywords in English
Not available.
Abstract in English
Not available.
 
WARNING - Viewing this document is conditioned on your acceptance of the following terms of use:
This document is only for private use for research and teaching activities. Reproduction for commercial use is forbidden. This rights cover the whole data about this document as well as its contents. Any uses or copies of this document in whole or in part must include the author's name.
Publishing Date
2014-01-21
 
WARNING: Learn what derived works are clicking here.
All rights of the thesis/dissertation are from the authors
Centro de Informática de São Carlos
Digital Library of Theses and Dissertations of USP. Copyright © 2001-2019. All rights reserved.