• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.44.1984.tde-06082015-152153
Documento
Autor
Nome completo
Celso Dal Re Carneiro
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 1984
Orientador
Banca examinadora
Hasui, Yociteru (Presidente)
Brito Neves, Benjamim Bley de
Coutinho, Jose Moacyr Vianna
Qualifik, Paul
Schorscher, Johann Hans Daniel
Título em português
Análise estrutural do Grupo São Roque na faixa entre o Pico do Jaraguá e a Serra dos Cristais, SP
Palavras-chave em português
Geologia estrutural
Grupo São Roque (SP)
Resumo em português
Trabalhos de análise estrutural foram desenvolvidos numa faixa de cerca de 376 km2 situada entre o Pico do Jaraguá (Município de São Paulo) e a Serra dos Cristais (Município de Jundiaí), possibilitando reconstruir as fases de dobramento do Grupo São Roque no tocante às suas características de estilo, natureza das plano-axiais e vinculação com fenômenos de metamorfismo e magmatismo. Os padrões de deformação e metamorfismo foram estabelecidos com base em estudos mocroestruturais. Na área estudada a reconstrução estratigráfica do Grupo São Roque é limitada pela pobreza de dados de polaridade das camadas e falta de clareza sobre a natureza das dobras da primeira fase de dobramento. No entanto, é possível reconhecer quatro sequências litoestratigráficas gerais, ainda denominadas de modo informal, que compreendem, da base para o topo: 1) metapsamitos impuros, com intercalações de metaconglomerados polimíticos, metavulcânicas (algumas delas descobertas no presente estudo), filitos e quartzitos; 2)metapelitos, representados por filitos e xistos de diversos tipos, muitas vezes com intercalações de metarenitos. Este pacote tem passagem gradual para os outros dois: 3)metamargas e prováveis metatufos, representados por rochas cálcio-silicáticas e anfibolitos bandados, com níveis subordinados de calcários e dolomitos; 4)metapsamitos títmicos, composto por metarenitos, metarcóseos e filitos intercalados, com níveis estreitos de matarenitos microconglomeráticos. As rochas metamórficas da área foram generalizadamente afetadas por três fases de dobramento, que geram padrões de interferência observáveis nos afloramentos e em macroescala. A fase 'F IND.1' gerou clivagem ardosiana ou xistosidade em posição plano-axial a dobras fechadas e cerradas, sucedendo-se então o pico do metamorfismo regional, já em condições pós-cinemáticas. O metamorfismo nesta etapa permitiu a blastese de opacos, granadas, estaurolita e silimanita, ) cujas isógradas foram posteriormente deformadas durante 'F IND.2'. Determinou-se a continuidade desse evento metmórfico principal, pelo menos, para a estaurolita, até as etapas iniciais do segundo episódio de dobramento, que formou um persistente clivagem de crenulação, frequentemente do tipo zonal e microcópica, em posição plano-axial a dobras fechadas a cerradas. O metamorfismo que acompanhou esta fase é representado por bandamento diferenciado e alguma recristalização de biotita ao redor de opacos. A terceira fase de dobramento, denominada 'F IND.3', criou clivagem de crenulação mais espaçada e não mais do tipo zonal, tão comum na fase anterior. Esta fase gerou amplas dobras e ondulações nas estruturas regionais e teve maior intensidade na parte sul da faixa estudada. As manifestações granitóides foram reunidas em três grupos. As de caráter pré-tectônico a 'F IND.2' são representadas pelos granitos de Francisco Morato e Tico-Tico, ao redor dos quais são frequentes os bolsões de pegmatitos gnaissificados e os veios pegmatíticos dobrados por 'F IND.2'. Os batólitos da Cantareira e Itaqui, e os stocks de Itaim e Taipas são considerados do intervalo tarditectônico em relação a 'F IND.2' e sintectônico a 'F IND.3'. Os granitos turmaliníferos de Perus e pegmatitos associados representam manifestações pós-tectônicas, bem como as restritas zonas de falhamento.
Título em inglês
not available
Palavras-chave em inglês
not available
Resumo em inglês
Structural analysis of the São Roque Group in an area of 376km² between the Pico do Jaraguá (Municipality of São Paulo) and the Serra dos Cristais (Municipality of Jundiaí) has permitted the reconstruction of three phases of folding as determined from characteristics of folds styles and the nature of axial-plane foliations. These phases of folding are linked to metamorphic and magmatic phenomena. Microstructural studies have shown the relationship between deformation and metamorphism. In the studies area, stratigraphic reconstruction of the São Roque Group is limited by the paucity of data on stratigraphic younging and a lack of clarity as to the data on the first phase of folding. Nevertheless, it is possible to recognize four main lithostratigraphic units, informally designated (from apparent base upwards) as follows: 1) impure metapsamites, with intercalations of polymictic metaconglomerates, metavolcanics (some of with were discovered during this study), phyllites and quartzites; 2) metapelites, represented by phyllites and schists of several types, with many intercalations of metarenites. Unit 2 grades laterally and vertically into the following two units; 3) metamarls and probable metatuffs, represented by calc-silicate rocks, with subordinate limestones and dolomites; 4) rhythmic metapsamites, made up by alternating metarenites, metarkoses and phyllites, with narrow zones of microconglomeratic metarenites. The metamorphic rocks of the area were affected by three phases of folding that generated interference patterns observable in both outcrops and maps. The 'F IND.1' phase was accompanied by the formation of axial-plane slaty cleavage or schistosity related to tight folds and followed by the regional metamorphic peak under post-kinematic conditions. During this peak porphyroblasts of opaque minerals, garnet, staurolite and sillimanite developed. This main metamorphic event continued, at least for the staurolite, into the beginning of the second folding episode. The 'F IND.2' phase generated a persistent crenulation cleavage, frequently both microscopic and of the zonal type, in axial-plane position of tight folds. Differentiated banding and some recrystallization of biotite around opaque minerals occurred during this phase. The third folding phase 'F IND.3', created more spaced crenulation cleavage not of the zonal type so common in the 'F IND.2' previous phase. The 'F IND.3' phase which was more intense in the southern part of the area, generated large folds and undulations in regional structures. Granitoid intrusions are subdivided into three groups. The bodies formed prior to 'F IND.2' tectonism are represented by the granites of Francisco Morato and Tico-Tico. Gnaissified pegmatites and folded pegmatitic veins are common in the regions surrounding these bodies. The Cantareira and Itaqui batholiths and the Itaim and Taipas stocks are considered as sinchronous to the tarditectonic events of 'F IND.2' and the syntectonic events to 'F IND.3'. The tourmaline-bearing granites of Perus and associated pegmatites correspond to post-tectonic intrusions and were followed by faulting in narrow zones.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Carneiro_Doutorado.pdf (28.49 Mbytes)
Data de Publicação
2015-08-10
 
AVISO: O material descrito abaixo refere-se a trabalhos decorrentes desta tese ou dissertação. O conteúdo desses trabalhos é de inteira responsabilidade do autor da tese ou dissertação.
  • CARNEIRO, C. D. R., et al. adrões de superposição de estruturas do Grupo São Roque na faixa Jaraguá-Cristais (SP). Revista Brasileira de Geociências, 1986, vol. 15, n. 2, p. 116-130.
  • CARNEIRO, C. D. R., e SANTORO, E. Transferidor de atitudes na forma Viena (Clar) para mapas. Ciências da Terra, 1983, n. 8, p. 25-25.
  • CARNEIRO, C. D. R., RODRIGUES, E. P., e COUTINHO, J. M. V. Microestruturas e relações metamorfismo-deformação do rupo São Roque na faixa entre o Pico do Jarauá e a Serra dos Cristais. Revista Brasileira de Geociências, 1984, vol. 14, n. 2, p. 97-110.
  • CARNEIRO, C. D. R., SANTOS, L. F., e SILVA, J. R. B. Cavas históricas de outro do Jaraguá : o que resta para se preservar. Revista Brasileira de Geociências [online], 2011, vol. 41, n. 1, p. 108-119. [acesso 2015-07-11]. Disponível em : <http://www.rbg.sbgeo.org.br/index.php/rbg/article/view/17092/1248>
  • SANTORO, E., et al. Estrutura geológica da região de Cajamar-Jordanésia, SP. Revista Brasileira de Geociências, 1988, vol. 18, n. 3, p. 353-361.
  • CARNEIRO, C. D. R., et al. Relações geométricas e temporais de eventos magmáticos no Grupo São Roque a partir da descoberta de rochas metavulcânicas e da aplicação de critérios estruturais. In Anais do Congresso Brasileiro de Geologia, 33, Rio de Janeiro, 1984. Rio de Janeiro : SGB, 1984. vol. 7, p. 3196-3211.
  • CARNEIRO, C. D. R., HASUI, Y., e DANTAS, A. S. L. Contribuição ao estudo da litoestratigrafia do Grupo São Roque na faixa Jaraguá-Cristais, SP. In Anais do Congresso Brasileiro de Geologia, 33, Rio de Janeiro, 1984. Rio de Janeiro : SBG, 1984. vol. 7, p. 3212-3226.
  • CARNEIRO, C. D. R. Projeção estereográfica para análise de estruturas. Programas ESTER e TRADE : Fundamentos teóricos, exercícios e aplicações em microcomputador, laboratório e campo. Organizador. Campinas : CPRM/IG-UNICAMP/IPT-DIGEO, 1996.
  • CARNEIRO, C. D. R. Cavas de ouro históricas do Jaraguá, SP : os primórdios da mineração no Brasil. In SCHOBBENHAUS, C., et al. Sítios geológicos e paleontológicos do Brasil. Editor. Brasília : DNPM BRASIL, 2002. p. 511-516. 554p.
  • CARNEIRO, C. D. R., e LIMA, M. O. Análise de foliações em áreas dobradas. São Paulo : Instituto de Pesquisas Tecnológicas, 1989. 38p.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.