• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.41.2006.tde-21032007-151156
Documento
Autor
Nome completo
Cintia Yumi Fugiwara
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2006
Orientador
Banca examinadora
Martins, Ida Sigueko Sano (Presidente)
Crespo, Joaquín Cabrera
Visconti, Maria Aparecida
Título em português
Estudo de algumas atividades biológicas do extrato de cerdas da lagarta Lonomia obliqua Walker, 1855 (Lepidóptera, Saturniidae) preparado após diferentes períodos de armazenamento das cerdas
Palavras-chave em português
Lonomia obliqua
Armazenamento
Atividade biológica
Resumo em português
A síndrome hemorrágica induzida por contato com as cerdas da lagarta do gênero Lonomia pode causar distúrbios hemostáticos, com consumo de alguns fatores de coagulação. Os primeiros acidentes com Lonomia foram descritos na Venezuela, em 1967; no Norte do Brasil, foram relatados alguns casos no início da década de 1980. A partir de 1989, na região Sul do Brasil, principalmente na zona rural de Passo Fundo (RS) e Chapecó (SC), surgiram vários casos de acidentes por contato com essas lagartas. Atualmente estes acidentes continuam ocorrendo com maior freqüência nesta região, com algumas notificações esporádicas em outras partes do Brasil, principalmente na região Central. Inicialmente os casos graves de acidentes com lagartas Lonomia foram tratados com antifibrinolíticos e infusão de glóbulos vermelhos, principalmente na Venezuela e no Brasil. Em 1994, um antiveneno específico que neutraliza os efeitos biológicos dos extratos das cerdas foi produzido no Instituto Butantan. Desde então, o tratamento para estes envenenamentos tem sido a soroterapia com antiveneno produzido com extrato das cerdas das lagartas originárias da região de maior ocorrência de acidentes. O objetivo deste estudo foi avaliar a estabilidade de algumas atividades do extrato preparado com as cerdas frescas, sem congelar (0) e com as cerdas congeladas e armazenadas por 2, 4 e 6 meses a -20ºC. Todas as cerdas utilizadas foram de lagartas no 5º e 6º instar. Assim, para esta finalidade, foram preparados três lotes (A, B e C) de extrato de cerdas de taturanas provenientes da região de Passo Fundo (RS). Para cada lote foram separadas 4 amostras de cerdas que foram processadas sem congelar (0), e congeladas por 2, 4 e 6 meses. Observamos que a atividade coagulante dos extratos dos lotes A e C foram reduzidas nas cerdas congeladas por 2 meses ou mais (p<0,05), mas a atividade do lote B reduziu apenas após 4 meses. Resultados semelhantes foram observados com a atividade fosfolipásica que reduziu nos extratos preparados com cerdas congeladas por 2 meses ou mais nos lotes A e C e após 4 meses ou mais no lote B (p<0,05). Entretanto, o armazenamento não afetou a atividade hemolítica indireta ou a imunogenicidade em nenhum dos lotes. Por outro lado, a atividade hemolítica direta e atividade fibrinolítica não foram observadas em nenhum dos três lotes preparados. O perfil eletroforético dos extratos em SDS-PAGE, após diferentes períodos de congelamento, não mostraram alterações evidentes, mas a análise densitométrica das amostras indicaram degradação proteica além da desnaturação associadas com a redução da atividade biológica. Os nossos resultados indicam que o congelamento das cerdas por 2 meses ou mais reduzem a atividade pro-coagulante e fosfolipásica do extrato. Entretanto, os extratos preparados com as cerdas congeladas podem ser usados para produção de antiveneno visto que o congelamento das cerdas não afeta a qualidade do anticorpo produzido. Futuramente serão realizados testes de soro neutralização para verificar a eficácia desses anticorpos in vivo.
Título em inglês
Study of some biological activities of extract prepared from fresh and frozen Lonomia obliqua caterpillar bristles
Palavras-chave em inglês
Lonomia obliqua
Resumo em inglês
Contact with Lonomia obliqua caterpillar bristles may cause a consumptive hemostatic disturbance. The first human accident caused by Lonomia was described in Venezuela, in 1967. Thirty six cases were reported in Northern Region of Brazil by a retrospective study between 1978 and 1982, but since 1989 a high incidence of hemorrhagic syndrome, caused by contact with L. obliqua caterpillars has also been reported in Southern Brazil, mainly in rural areas around Passo Fundo (RS) and Chapecó (SC). The occurrence of such accidents has spread to central regions of Brazil and some sporadic notifications have been reported in other regions of South America. Initially, severe human accidental contact with L. obliqua caterpillars was treated with antifibrinolytics drugs and infusion of packed red cells in Venezuela and Brazil. Since 1994, nonetheless, a specific antivenom that neutralizes the biological effects of the bristle extract has been produced by Butantan Institute, using bristles obtained from caterpillars collected in areas of large prevalence. Thereafter, antivenom therapy has been used successfully in Brazil. Taking into account that biological activities of extracts used for antivenom production may decrease during the storage period of bristles, the aim of this study was to compare their stability, using extracts prepared from fresh (without freezing) and frozen bristles stored for 2, 4 and 6 months at -20ºC. Bristles were from caterpillars in instars 5 and 6. Three batches of bristle extract (A, B and C) were prepared from caterpillars collected in Passo Fundo area (RS); each batch of bristles were pooled, and used immediately or stored for 2, 4 and 6 months at -20º C, before being used for extract production. Our results showed that the clotting activity of extracts of batches A and C were decreased in bristles frozen for 2 months or longer (p <0.05), while it was reduced in samples frozen for 4 months or longer in batch B. Similarly, phospholipase A2 activity was reduced in extracts prepared with bristles frozen for 2 months or longer in batches A and C, and for 4 months or longer in batch B (p <0.05). On the other hand, storage affected neither the hemolytic activity evaluated indirectly, nor immunogenicity in samples of different batches. Additionally, direct hemolytic activity and fibrinolytic activity were not detected in any sample of the three batches. Electrophoretic protein profile of extract batches on SDS-PAGE did not show evident alterations, but the densitometric analyses of samples indicated degradation and denaturation, which could be associated with the reduction of biological activities. Our results indicate that freezing bristles for two months or longer decrease both procoagulant and phospholipase A2 activities of the extract. However, extracts prepared from frozen bristles can be used for antivenom production, since freezing affected neither the quantity nor quality of produced antibodies. Experiments will be accomplished to verify the effectiveness of these antibodies in vivo.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Cintia_Fugiwara.pdf (936.33 Kbytes)
Data de Publicação
2008-04-24
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.