• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.41.2003.tde-24032004-102927
Documento
Autor
Nome completo
Adriana de Arruda Bueno
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2003
Orientador
Banca examinadora
Motta Junior, Jose Carlos (Presidente)
Setz, Eleonore Zulnara Freire
Talamoni, Sônia Aparecida
Título em português
"Vulnerabilidade de pequenos mamíferos de áreas abertas a vertebrados predadores na Estação Ecológica de Itirapina, SP."
Palavras-chave em português
cerrado
pequenos mamíferos
predação
vulnerabilidade
Resumo em português
Estudos sobre seleção de presas podem apresentar resultados bastante diferentes dependendo do predador analisado. Predadores com diferentes técnicas de caça, como as aves de rapina e os mamíferos carnívoros, podem selecionar diferentes tipos de presas. Estudos sistemáticos sobre esse tema ainda são escassos no Brasil. Por esse motivo, o objetivo deste trabalho foi a análise da seletividade na dieta de três predadores quanto ao consumo de pequenos mamíferos na Estação Ecológica de Itirapina, SP. Para a suindara (Tyto alba), a seletividade de presas foi avaliada nos níveis de: espécie, tamanho, idade e sexo. A coruja-buraqueira (Athene cunicularia) foi estudada quanto ao consumo diferenciado nos níveis de espécie, tamanho e idade das presas. Para o lobo guará (Chrysocyon brachyurus), apenas a seleção de espécies foi possível. Foram utilizados restos de ossos (mandíbulas e cinturas pélvicas) das presas encontradas nas pelotas e fezes desses predadores para identificação da espécie e do sexo dos indivíduos, e para a quantificação do número de indivíduos consumidos. A análise de seleção de espécie foi feita por meio de comparações entre a proporção das mesmas encontradas nas dietas e no ambiente. Para isto, foram utilizados o teste G e o intervalo de confiança de Bonferroni. O consumo preferencial por um determinado sexo foi avaliado pelo teste G ou pelo teste exato de Fisher. O tamanho dos pequenos mamíferos na dieta foi calculado por meio de equações de regressão desenvolvidas para cada espécie dessas presas. O Teste de Mann-Whitney foi utilizado para comparações entre o tamanho das presas nas dietas e no ambiente. As idades dos roedores encontrados nas dietas e nos ambientes foram comparadas utilizando-se o teste G. A suindara foi mais seletiva do que a buraqueira no consumo de espécies de pequenos mamíferos, embora ambas incluam as mesmas espécies nas suas dietas. Calomys tener e Oligoryzomys nigripes foram os roedores mais predados pelas corujas. A seleção de indivíduos menores e de juvenis de C. tener pela suindara e de sub-adultos dessa presa pela buraqueira poderia ser entendido pelo modo de forrageamento de cada coruja e características biológicas da presa. Por outro lado, por ser um animal de maior porte, era esperado por parte do lobo-guará o consumo de presas maiores, como Clyomys bishopi. A seleção por indivíduos menores de C. tener pelas duas corujas indica predação de indivíduos mais vulneráveis. Assim a predação diferencial por roedores pequenos pode não ser devido a predação seletiva por parte das corujas, mas sim devido à alta vulnerabilidade dos mesmos, devido a sua inexperiência e por serem errantes. Pode-se perceber por meio deste estudo que, dependendo da localidade e das diferentes composições/abundancia de presas, os predadores parecem adotar diferentes estratégias. Dentro de uma mesma localidade esse recurso é utilizado de forma diferenciada pelos três predadores, pelo menos em termos de proporções, tamanho e idade. Estudos mais amplos e detalhados com utilização de metodologia padronizada, englobando todos os componentes de uma guilda trófica, além de se levar em conta as muitas variáveis ambientais, torne possível entender o papel de cada espécie na comunidade.
Título em inglês
Small mammal vunerability to vertebrate predators in the Ecological Station of Itirapina, SP
Palavras-chave em inglês
cerrado
predation
small mammal
vulnerability
Resumo em inglês
Prey selection studies may result in different conclusions depending on the analysed forager. Predators with different foraging modes, such as raptors and carnivorous mammals, may select different prey types. This kind of study is still scarce in Brazil. So, the goal of this research is the analysis of small mammal selection in the diet of three predators at Itirapina Ecological Station, SP. Analysis of prey selection by the Barn Owl (Tyto alba) was conducted in relation to species, size, age and sex. The Burrowing Owl (Athene cunicularia) was studied in relation to the consumption of small mammal species, size and age. The Maned Wolf (Chrysocyon brachyurus) was only evaluated concerning prey species selection. Remains of bones (mandibles and pelvic girdles) found in pellets and faeces of predators were utilized to identify prey species, sex and to quantify number of consumed individuals. Analysis of prey species selection was conducted by comparisons between proportion of prey found in the diet and in environment, applying G test and Bonferroni confidence intervals. Differential sex consumption was evaluated by G test and Fisher exact test. Mann-Whitney test was employed to compare prey size in the diet and in the environment. Rodent ages found in pellets/ faeces and in the field were compared by G test. The Barn Owl was more selective than the Burrowing Owl in relation to prey species consumption, though both of them include the same small mammal species in their diets. Calomys tener and Oligoryzomys nigripes were the most preyed on rodents by the two owls. Small-sized and juvenile individuals of C. tener were more consumed by the Barn Owl, whereas sub-adults were more preyed on by the Burrowing Owl. Differences may be due to foraging mode of each owl and biological characteristics of prey. The consumption of larger prey, such as Clyomys bishopi, by the larger predator, the Maned Wolf, was expected. Selection of smaller individuals within species may suggest predation of more vulnerable prey. So small-sized rodent selection may not result from active predation by the owls, but from higher vulnerability of these prey. Based on this study, depending on locality and differences in prey composition/abundance, predators may adopt different strategies. In the same area, resource was utilized in different manner by these predators, at least, in terms of prey proportion in the diet, size and age. Further studies using the same methodology, involving all components of trophic guilds, besides environmental variables, may better illustrate the role of each species in community.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
vulnerabilidade.pdf (1.24 Mbytes)
Data de Publicação
2004-09-16
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.