• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.41.2007.tde-01022008-140508
Documento
Autor
Nome completo
Gisele Cova dos Santos Rodrigues
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2007
Orientador
Banca examinadora
Netto, Pedro Gnaspini (Presidente)
Hara, Marcos Ryotaro
Willemart, Rodrigo Hirata
Título em português
Estudo comparado da morfologia da região do ozóporo de opiliões Laniatores (Arachnida, Opiliones)
Palavras-chave em português
Defesa
Laniatores
Morfologia
Opiliones
Ozóporo
Resumo em português
Uma peculiaridade bem conhecida da Ordem Opiliones é seu modo de defesa através do uso de substâncias químicas, sintetizadas em um par de glândulas exócrinas, cujas aberturas se localizam na lateral do prossoma e reconhecidas como ozóporo. Na sub-Ordem dos Laniatores, objeto deste estudo, alguns padrões anatômicos foram identificados a partir de imagens obtidas por meio de microscopia eletrônica de varredura. O material biológico estudado faz parte do acervo do Museu de Zoologia da Universidade de São Paulo e do Museu Nacional do Rio de Janeiro. Ozóporos posicionados na margem lateral do escudo dorsal foram encontrados nas famílias Triaenonychidae, Agoristenidae, Biantidae, Cosmetidae, Epedanidae, Escadabiidae, Fissiphalidae, Minuidae, Phalangodidae, Samoidae, Stygnidae, Stygnommatidae, Zalmoxidae, e em Podoctidae, sendo neste último quase ventral. Apenas em Cranaidae e em Manaosbiidae foram encontrados ozóporos posicionados na porção mais dorsal do prossoma. Muitos são os que apresentam apófise na coxa que de fato representam uma barreira ou apenas têm o potencial de obstrução da saída da secreção de defesa, dependendo da mobilidade da perna. Em Triaenonychidae, observou-se uma grande apófise obliterando o ozóporo em Larifugela, sendo que em Biacumontia nota-se uma apófise similar, mas de tamanho consideravelmente reduzido. Cosmetidae também apresenta uma apófise na coxa II, próxima ao ozóporo que se apresenta circular e posicionado sobre um domo. Escadabiidae, Epedanidae e Fissiphalidae apresentam a abertura do ozóporo sobre um discreto domo e canais laterais bem delimitados por uma série de tubérculos, sendo o canal vertical desta última família melhor definido. Na espécie estudada de Phalangodidae, vale ressaltar a presença de um canal transversal ligando, pela região dorsal, os canais laterais. Minuidae e Zalmoxidae apresentam uma abertura discreta voltada à porção posterior do corpo
Título em inglês
Study of the morfology of the ozopore region among Laniatorean harvestmen (Arachnida, Opiliones)
Palavras-chave em inglês
Defense
Laniatores
Morphology
Opiliones
Ozopore
Resumo em inglês
One of the most conspicuous characteristics of the individuals of the order Opiliones is their chemical defensive mechanisms. The chemicals are produced by a pair of exocrine glands, which open at the lateral anterior area of the body above the coxae of legs 2-3 in Laniatores. These glands openings at the carapace are named ozopore. Previous studies of different species of the laniatorean family Gonyleptidae have shown that there are different morphologies of the ozopore area, which are directly related to different types of defensive behavior performed by the animals. This led us to study representatives of different families (the most as possible) in order to obtain an evolution overview of the ozopore area morphology within Laniatores. We used scanning electronic microscopy techniques. The ozopore is located in a dorsal position only in Manaosbiidae and Cranaidae; and at the lateral margin of the scutum in Triaenonychidae, Agoristenidae, Biantidae, Cosmetidae, Epedanidae, Escadabiidae, Fissiphalidae, Minuidae, Phalangodidae, Samoidae, Stygnidae, Stygnommatidae, Zalmoxidae and Podoctidae (in this family, it is nearly ventral). Commonly, there is a large apophysis of coxa 2 projecting above the ozopore and probably with the function of helping to define the direction of the flow of the defensive chemicals. In Triaenonychidae, a huge apophysis was observed in Larifugella (rendering difficult to observe the exact location of the ozopore), whereas in Biacumontia a remarkably smaller one was noticed. The ozopore is round in Cosmetidae, Agoristenidae (Agoristeninae) and Stygnidae (some Stygninae), it is ovoid in Biantidae (Biantinae), Epedanidae, Minuidae, Phalangodidae, Podoctidae, Stygnidae (some Stygninae), Stygnommatidae and Zalmoxidae; and a slit in the others. Regularly it is located on an integumentary dome. From each ozopore there is a lateral channel (or lateral row of tubercles) running posteriad. In Phalangodidae, the lateral channels present some transversal channels, which probably enhance the spreading of the defensive liquid.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2008-02-08
 
AVISO: O material descrito abaixo refere-se a trabalhos decorrentes desta tese ou dissertação. O conteúdo desses trabalhos é de inteira responsabilidade do autor da tese ou dissertação.
  • GNASPINI, Pedro, and RODRIGUES, Gisele C. S.. Comparative study of the morphology of the gland opening area among Grassatores harvestmen (Arachnida, Opiliones, Laniatores) : Morphology of the gland opening area among harvestmen [doi:10.1111/j.1439-0469.2011.00626.x]. Journal of Zoological Systematics and Evolutionary Research [online], 2011, vol. 49, n. 4, p. 273-284.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.