• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.41.2007.tde-25102007-181719
Documento
Autor
Nome completo
Erika Amano
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2007
Orientador
Banca examinadora
Angyalossy, Veronica (Presidente)
Alves, Edenise Segala
Coradin, Vera Teresinha Rauber
Estelita, Maria Emilia Maranhao
Tomazello Filho, Mario
Título em português
Pau-brasil, madeira e casca: formação desenvolvimento e estrutura
Palavras-chave em português
Caesalpinia echinata
Atividade cambial
Floema
Xilema
Resumo em português
Caesalpinia echinata Lam (Leguminosae) é a espécie símbolo do Brasil, muito importante historicamente para o país. A árvore de pau brasil foi intensamente explorada no período do descobrimento, durante o século XVI, para a extração de corante e, atualmente, a sua madeira é utilizada na fabricação de arcos para instrumentos de corda. Neste trabalho foi estudada a espécie em três áreas: Mogi Guaçu, em São Paulo, num bosque experimental; em Ilhéus, na Bahia, em uma fazenda de cacau, e em Campo Grande no Mato Grosso do sul, na Reserva do campus da Universidade Federal. Pretendeu se neste trabalho comparar a sazonalidade da atividade cambial, o xilema e floema secundários, assim como descrever a formação e a diferenciação dos tecidos vasculares secundários. Para isso, um método não destrutivo de coleta foi usado, além de várias técnicas de observação do material, como microscopia de luz, eletrônica de varredura e transmissão, e confocal de varredura a laser. Foi realizado o acompanhamento fenológico da espécie assim como dados ambientais, tal como pluviosidade, temperatura e fotoperíodo. A atividade cambial foi observada a partir da presença de figuras mitóticas e fragmoplastos nas células cambiais. O câmbio é ativo em Mogi Guaçu por seis meses, enquanto que em Ilhéus por cerca de dez meses. A atividade cambial é principalmente influenciada pela pluviosidade, e os períodos de inatividade estão relacionados com o déficit hídrico no solo. No desenvolvimento do xilema secundário, os elementos de vaso são as primeiras células a se diferenciarem. Após a expansão celular, há o rompimento do tonoplasto, e posteriormente, ocorre a deposição da parede secundaria e lignificação, com formação das pontoações e das guarnições, e delimitação da placa de perfuração. A última etapa é a lise do núcleo e hidrólise do conteúdo citoplasmático. A anatomia comparada do xilema coletado em Mogi Guaçu e em Ilhéus mostrou diferenças significativas para os seguintes parâmetros: diâmetro tangencial do elemento de vaso, relação diâmetro e comprimento do elemento de vaso, freqüência dos elementos de vaso por mm2, espessura da parede da fibra, comprimento da fibra. Os raios mostram uma tendência a serem mais largos nos espécimes de Ilhéus, embora esta diferença não seja estatisticamente significativa. Quanto às guarnições das pontoações intervasculares tem se que na abertura externa da pontoação são similares, sendo ramificadas e longas nos espécies das três regiões analisadas; porém na abertura interna da pontoação as guarnições são mais abundantes e ramificadas em indivíduos coletados em Mogi Guaçu e Campo Grande, onde há um maior período de déficit hídrico no solo por ano. O floema é composto por uma porção não condutora e uma porção condutora, que corresponde a 1/4 a 1/6 do floema secundário. Os elementos de tubo crivado e as células do parênquima floemático apresentam um arranjo tangencial alternado em muitos dos espécimes analisados. No floema não condutor são observadas esclereides. No início de sua diferenciação, ainda possuem núcleo, e a proteína P não dispersa. No floema de pau brasil não foi detectada a presença de marcadores de crescimento, como já visto em algumas espécies tropicais.
Título em inglês
Pernambuc-wood, wooda and bark: formation, development and structure
Palavras-chave em inglês
Caesalpinia echinata
Cambial activity
Phloem
Xylem
Resumo em inglês
Caesalpinia echinata Lam (Leguminosae) is the species symbol of Brazil, historically very important to the country. The Pernambuco wood tree was intensely exploited in the period of the discovery, during XVI century, for the pigment extraction and, nowadays, the wood is extensively used in the production of bows for string instruments. In this work it was studied the species in three areas, in Mogi Guaçu, São Paulo; in an experimental forest; in Ihéus, Bahia, in a cocoa farm, and in Campo Grande, Mato Grosso do Sul, in the Reserve of the Federal University campus. The goal of this work was to compare the seasonality of cambium activity, secondary xylem and phloem, as well as describing the formation and differentiation of secondary vascular tissues. For that, a non destructive collection method was employed and, several techniques were used to analyze the samples, including optic, scanning, transmission and confocal scanning laser microscopy. The phenology of the species was followed correlated to environmental variables, such as precipitation, temperature and photoperiod. Cambium activity was observed from the presence of mitotic figures and phragmoplasts in cambium cells. Cambium is active in Mogi Guaçu for six months, while in Ilhéus is for about ten months. Cambial activity is mostly influenced by precipitation, and inactivity periods are related to water deficit in the soil. In the secondary xylem development, vessel elements are the first cells to differentiate. After cellular expansion, there is the breakdown of the tonoplast, and later, the walls undergo lignification with pits and vestures formation, and the delimitation of the perforation plate. The last stage is the nucleus lise of the nucleus and hidrolysis of cytoplasm contents. Compared anatomy of xylem between Mogi Guaçu and Ilhéus showed significant differences regarding the following parameters: vessels tangential diameter, vessels diameter and length rate, vessel elements frequency mm2, fiber walls thickness and length Rays show a tendency to be wider in the specimens of Ihéus, although not statistically significant Regarding vessels, there is no difference between vestures of the external pit aperture; however vestures are more abundant in the internal apertures in samples collected in Mogí Guaçu and Campo Grande, where there is a longer period of water deficit in the soil per year. Phloem is composed of conductive and non conductive portions, corresponding to 1/4 up to 1/6 of secondary phloem. Sieve tube elements and parenchyma cells have a tangential alternate arrangement. In non conductive phloem sclereids are observed In the beginning of its differentiation, sieve tube elements still possess nucleus, and non disperse protein P. In Pernambuco wood phloem there is no growth markers, as already detected some other tropical species.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Erika_Amano.pdf (14.68 Mbytes)
Data de Publicação
2007-10-26
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.