• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.39.2006.tde-13072006-111624
Documento
Autor
Nome completo
Luis Fernando Nogueira Paes de Barros
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2006
Orientador
Banca examinadora
Kiss, Maria Augusta Peduti Dal Molin (Presidente)
Franchini, Emerson
Tricoli, Valmor Alberto Augusto
Título em português
"Limiar de lactato em teste de quadra: validade em jogadores de futsal"
Palavras-chave em português
futsal
lactato
Limiar anaeróbio
Resumo em português
O objetivo deste estudo foi a validação da medida de limiar anaeróbio com o teste escalonado intermitente de 20 m de ida-e-volta em quadra, comparando-o com teste escalonado em esteira e com o máximo “steady state” de lactato (MLSS) em teste retangular simulado, em jogadores de Futsal. Para isso, nove jogadores de Futsal (16,8 ± 1,27 anos) realizaram um teste incremental em esteira (protocolo de HECK, 1985) para determinação da velocidade de 3,5 mmol.l-1 de lactato (V3,5Heck). Também para determinação da V3,5 (V3,5leger), os atletas realizaram teste progressivo de 20 m de ida-e-volta, com velocidade inicial de 8,5 km.h-1, com incremento de 1 km.h-1 a cada três minutos. Após a determinação da V3,5leger, os atletas retornaram à quadra e realizaram (pelo menos) três testes para a determinação do MLSS. O MLSS foi determinado através de corrida intermitente (20 m de ida-e-volta) e definido como a maior velocidade em que o lactato sanguíneo não aumentou mais que 1 mmol.l-1 de lactato entre o 10 e 30 minutos com velocidade constante. As velocidades correspondentes à V3,5leger e MLSS tiveram correlação de r = 0,86. O teste de comparações múltiplas TURKEY TEST detectou que existe diferença (p<0,05) entre as médias de intensidade de MLSS e V3,5Heck e entre V3,5Heck e V3,5leger. Já entre V3,5leger e MLSS, o teste não detectou diferença. A correlação entre a F.C. no V3,5leger e o MLSS foi de r = 0,70. O teste de comparações múltiplas TURKEY TEST detectou que existe diferença (p<0,05) entre as médias de F.C. entre V3,5leger e MLSS e entre V3,5Heck e MLSS. Já entre V3,5leger e V3,5Heck, o teste não detectou diferença. Portanto, nós concluímos que a V3,5leger é um instrumento válido para se estimar o MLSS em jogadores de Futsal.
Título em inglês
LACTATE THRESHOLD IN COURT TEST: VALIDITY IN FUTSAL PLAYERS
Palavras-chave em inglês
anaerobic threshold
futsal
lactate
Resumo em inglês
The objective of this study was to investigate the validity of the anaerobic threshold in the 20 m shuttle run test in the determination of the maximal lactate steady state (MLSS) in Futsal players. Nine male futsal players (16,8 ± 1.27 years) performed an incremental treadmill test for the determination of the velocity corresponding of 3.5 mmol.l-1 of lactate (HECK et alii, 1985) (V3.5Heck). Also for the determination of the V3.5 (V3.5leger), the Futsal players performed the 20 m shuttle run test, with the initial running speed of 8.5 km.h-1 and increment of 1 km.h-1 each three minutes. After the determination of the V3.5 the athletes performed at least three tests to determine the MLSS. The MLSS was determined through intermittent running (20 m shuttle run) and defined as the highest velocity at which blood lactate did not increase by more than 1 mmol.l-1 between the minutes 10 and 30 of the constant velocity runs. There was a significant correlation between the velocities of V3.5leger and MLSS (r = 0.86). Analysis of variance revealed significant difference (p<0.05) between the intensities of the MLSS and V3.5Heck and between V3.5Heck e V3.5leger, but the analysis did not reveal difference between V3.5leger and the MLSS. The correlation between the heart frequency (F.C.) in the V3.5 Leger and MLSS was r=0.70. The analysis of variance revealed significant differences (p<0.05) between F.C. in V3.5leger and MLSS and between V3.5Heck and MLSS. The analysis did not revealed differences between V3.5leger and V3.5Heck. We conclude that OBLA can be utilized in Futsal players to estimate the MLSS.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
ABSTRACT.pdf (14.64 Kbytes)
Agradecimentos.pdf (14.39 Kbytes)
capa.pdf (3.60 Kbytes)
Folhaderosto.pdf (4.32 Kbytes)
LISTADEANEXOS.pdf (10.94 Kbytes)
LISTADEFIGURAS.pdf (8.68 Kbytes)
LISTADETABELAS.pdf (13.76 Kbytes)
RESUMOtese.pdf (16.80 Kbytes)
Tese-correcaoFinal.pdf (674.34 Kbytes)
Data de Publicação
2006-08-21
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.