• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
Documento
Autor
Nome completo
Roseane Oliveira do Nascimento
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2017
Orientador
Banca examinadora
Oliveira, Jorge Alberto de (Presidente)
Freudenheim, Andrea Michele
Magalhães, Lívia de Castro
Pasin, Camila Torriani
Vilibor, Renata Hydee Hasue
Título em português
Influência de diferentes quantidades de prática motora na identificação de crianças com transtorno do desenvolvimento da coordenação
Palavras-chave em português
Crianças
Identificação
Prática motora
Transtorno do desenvolvimento da coordenação
Resumo em português
O Transtorno Desenvolvimento da Coordenação (TDC) é um dos transtornos do neurodesenvolvimento mais prevalentes na infância, com impactos negativos no repertório motor, qualidade de vida e saúde geral das crianças. O diagnóstico dessa condição é mundialmente reconhecido pelos critérios clínicos estabelecidos pelo Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders - Fifty Edition (DSM-5), cuja versão corrente recomenda a avaliação da influência ambiental, tal como das oportunidades para aprendizagem e uso das habilidades motoras, para o diagnóstico diferencial. Além disso, o uso de instrumentos específicos de apoio diagnóstico, tanto para triagem quanto para avaliação confirmatória, é recomendado. No entanto, a influência das oportunidades de prática motora sobre os parâmetros estabelecidos para identificação deste transtorno ainda não foi explorada. Diante deste cenário, este estudo propôs investigar a influência de diferentes quantidades de prática motora na identificação de crianças com TDC. Para isso, foram recrutadas 120 crianças, com idades entre sete e 10 anos de ambos os sexos, com duas condições de desempenho motor: indicativo de TDC (ITDC - n=60) e sem indicativo de TDC (sTDC - n=60). Foram formados oito grupos, de acordo com as quantidades de prática motora oferecidas: duas sessões - ITDC2 (n=16) e sTDC2 (n=14); quatro sessões - ITDC4 (n=14) e sTDC4 (n=16); seis sessões - ITDC6 (n=16) e sTDC6 (n=14); grupos controle - ITDC0 (n=14) e sTDC0 (n=14). Para a avaliação do desempenho motor foram utilizados os instrumentos MovementBattery for Children - Second Edition (MABC-2), o Developmental Coordination Disorder Questionnaire - Brasil (DCDQ-B) e o Motor Coordination Traffic Light Questionnaire (MC-TLQ). Esses instrumentos contemplam informações que apoiam a identificação dos sintomas clínicos descritos nos critérios do DSM-5 para identificação do TDC. Os resultados referentes ao percentil total da MABC-2 indicaram que nenhum dos grupos de crianças com ITDC se aproximou do desempenho motor das sTDC. O tamanho do efeito foi similar entre a maioria dos grupos (p>=0,05), exceto entre ITDC2 e sTDC2 (p<=0,05). Resultados semelhantes foram observados na análise do escore total do DCDQ-B, no qual a diferença significante foi observada apenas entre grupos para o ITDC2 e o sTDC2 (p<=0,00) e intra-grupo no sTDC2 (p=0,01). Ao final do estudo, a prevalência de crianças que se mantiveram na condição ITDC, foi de 2,64%, enquanto 3,66% apresentaram desempenhos motores que não condizem com os critérios para a presença do TDC. A proporção entre os sexos foi de dois meninos para uma menina. Em conclusão, as diferentes quantidades de práticas motoras parecem não ter influenciado na identificação do TDC, de forma a promover conhecimento quanto à quantidade específica para concluir o diagnóstico deste transtorno. Todavia, tais resultados sugerem que há um demasiado número de crianças sendo identificadas com TDC, sem realmente portarem este transtorno. Assim, reforça-se a necessidade de continuar as investigações quanto à forma de obter informações referentes à oportunidade e prática de habilidades motoras e reforça-se ainda a necessidade de repensar os procedimentos de identificação do TDC, da padronização e normatização de instrumentos, para que estes atendam, de forma mais precisa, aos critérios diagnósticos do TDC
Título em inglês
The influence of different amounts of motor practice on the identification of children with developmental coordination disorder
Palavras-chave em inglês
Children
Developmental coordination disorder
Identification
Motor practice
Resumo em inglês
The Developmental Coordination Disorder (DCD) is one of the most prevalent neurodevelopmental disorders in childhood, having negative impacts on the motor repertoire, quality of life, and general health of children. The diagnosis of this condition is globally recognized by the clinical criteria established by the Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders - Fifth Edition (DSM-5), whose current version recommends the evaluation of the environmental influence, the opportunities for learning, and the use of motor skills, for differential diagnosis. In addition, the use of specific instruments of diagnostic support for both screening and confirmatory evaluation is recommended. However, the influence of motor practice opportunities on the parameters established for the identification of this disorder has not been explored yet. Given this situation, this study intended to investigate the influence of different amounts of motor practice on the identification of children with DCD. Thus, 120 children aged between seven and 10 of both sexes were recruited with two motor performance conditions: indicative of DCD (DCDI - n = 60) and without DCD indicative of (wDCD - n = 60). Eight groups were formed according to the amounts of motor practice offered: two sessions - DCDI2 (n = 16) and wDCD2 (n = 14); four sessions - DCDI4 (n = 14) and wDCD4 (n = 16); six sessions - DCDI6 (n = 16) and wDCD6 (n = 14); control groups - DCDI0 (n = 14) and wDCD0 (n = 14). In order to evaluate motor performance, the following instruments were used: The Movement Battery for Children - Second Edition (MABC-2), the Developmental Coordination Disorder Questionnaire - Brazil (DCDQ-B), and the Motor Coordination Traffic Light Questionnaire (MC-TLQ). These instruments include information that supports the identification of the clinical symptoms described in the DSM-5 criteria for identification of DCD. The results for the total percentile of MABC-2 indicated that none of the groups of children with DCDI approached the motor performance of the wDCD ones. The effect size was similar between most groups (p>=0.05), except between DCDI2 and wDCD2 (p<=0.05). Similar results were observed in the analysis of the total DCDQ-B score, in which the significant difference was only observed between groups for the DCDI2 and the wDCD2 (p<=0.00) and intragroup in the wDCD2 (p=0.01). At the end of the study, the prevalence of children who remained in the DCDI condition was 2.64%, while 3.66% presented motor performances that did not meet the criteria for the presence of DCD. The ratio between the sexes was two boys for a girl. In conclusion, the different amounts of motor practice do not seem to have influenced the identification of DCD in a way that promotes knowledge about the specific amount to conclude the diagnosis of this disorder. However, such results suggest that too many children are being identified with DCD without actually having this disorder. Thus, the need to continue the investigations into how to obtain information regarding the opportunity and practice of motor skills is reinforced as well as the need to rethink the procedures for identification of DCD, and the standardization of instruments so that these meet the diagnostic criteria of DCD more precisely
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2018-05-14
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.