• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.31.2016.tde-01112016-103251
Documento
Autor
Nome completo
Luciana Martins Diogo
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2016
Orientador
Banca examinadora
Simioni, Ana Paula Cavalcanti (Presidente)
Paixao, Fernando Augusto Magalhaes
Wissenbach, Maria Cristina Cortez
Título em português
Da sujeição à subjetivação: a literatura como espaço de construção da subjetividade, os casos das obras Úrsula e A Escrava de Maria Firmina dos Reis
Palavras-chave em português
Escravidão
Literatura Brasileira
Maria Firmina dos Reis (1825-1917)
Mulheres
Negros - Brasil
Resumo em português
A presença do negro na literatura brasileira era muito discreta ao longo dos oitocentos. Realidades incontornáveis nas ruas e na estrutura do sistema colonial, eram eles silenciados nos principais romances da época. No entanto, como a presente dissertação pretende mostrar, Maria Firmina dos Reis (1825-1917) desenvolveu em sua produção literária os primeiros personagens negros (escravos ou forros) constituídos enquanto sujeitos na literatura brasileira oitocentista. Assim, em diálogo com estudos que recuperam a produção literária feminina produzida no século XIX, a pesquisa buscou discutir a questão da representação da subjetividade negra na forma literária por meio de uma abordagem metodológica multidisciplinar que articula as contribuições da Crítica Literária, da História e da Sociologia. Para tanto, a presente dissertação centra-se em duas obras da escritora, as quais possuem conteúdos claramente antiescravistas: o romance Úrsula (1859) e o conto A Escrava (1887).
Título em inglês
From subjection to subjectivity: literature as the subjectivity construction space through Maria Firmina dos Reis's works Ursula and Slave
Palavras-chave em inglês
Black-Brazil
Brazilian literature
Maria Firmina dos Reis (1825-1917)
Slavery
Women
Resumo em inglês
The presence of the black people in Brazilian literature was very discreet during the 19th century. Compelling realities in the streets, and in the structure of the colonial system, they were silenced in the major novels of that time. However, as this dissertation aims to show, Maria Firmina dos Reis (1825-1917) developed in her writings the first black characters (slave or freed slave) constituted as subjects in the Brazilian literature of the nineteenth-century. Thus, in dialogue with studies recovering female literary production produced during that century, this research sought to discuss the issue of black subjectivity representation in literary form through a multidisciplinary methodological approach that articulates the contributions of Literary Criticism, History and Sociology. Therefore, this thesis focuses on two works of the writer, which have clearly anti-slavery content: the novel "Ursula" (1859) and the short story "Escrava" (1887).
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2016-11-16
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.