• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.27.2014.tde-22092015-103615
Documento
Autor
Nome completo
Maria Berenice Simões de Almeida
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2014
Orientador
Banca examinadora
Brito, Maria Teresa Alencar de (Presidente)
Fonterrada, Marisa Trench de Oliveira
Salles, Pedro Paulo
Título em português
Processos criativos no ensino de piano
Palavras-chave em português
Composições musicais de crianças
Criatividade
Educação musical
Ensino de piano
Piano
Resumo em português
Da longa experiência em sala de aula fazendo música com crianças, surgiu a questão: por que o espaço para a criação não faz parte da maioria dos métodos e das práticas dos professores de piano? Esse questionamento levou a outros sobre como ensinar piano criativamente e como guiar a construção do pensamento musical das crianças. Sem rejeitar os aspectos técnicos, a notação tradicional e a prática de música erudita na formação pianística, a busca por novas possibilidades de ensino vinha da consideração de que não se deveria restringi-lo a um repertório limitado, a um só tipo de notação e à interpretação como única forma de expressão musical. O constante desafio oferecido por alunos curiosos, indagadores, vibrantes e musicais também me impulsionou a olhar mais atentamente para suas produções musicais e a ouvir suas ideias sobre seu fazer musical. A partir dessas considerações, esta dissertação propõe uma reflexão pedagógico-musical disparada por relatos de experiência com meus alunos de piano da Escola Municipal de Iniciação Artística (EMIA). Apresento quatro composições, uma livre improvisação e duas entrevistas livres. Uma breve história do ensino de piano no Brasil e uma revisão concisa de métodos adotados na pedagogia pianística brasileira fundamentam historicamente esta pesquisa. Também analiso alguns que apresentam propostas de criação. Como referencial teórico, exponho as ideias de Hans-Joachim Koellreutter (1915- 2005) e de Violeta Hemsy de Gainza (1930-) sobre um fazer musical criativo e a necessária transformação da relação professor-aluno para que se desenvolva uma educação musical mais aberta. Discorro também sobre as ideias da pianista Moema Craveiro Campos e das educadoras musicais Maria Teresa Alencar de Brito e Viviane Beineke, profundamente ligadas ao pensamento de Koellreutter e Gainza. Contribuem, ainda, com esse corpus, conceitos sobre criatividade defendidos por pesquisadores ingleses das últimas décadas - Pamela Burnard, Anna Craft, Teresa Cremin e Bob Jeffrey -, como aprendizagem criativa, possibility thinking e voz do aluno. As reflexões aqui apresentadas visam contribuir com a educação musical através do piano, para que seja agenciadora de encontros criativos entre crianças e músicas.
Título em inglês
Creative processes in piano teaching
Palavras-chave em inglês
Children musical composition
Creativity
Music education
Piano
Piano teaching
Resumo em inglês
After many years teaching music to children a concern appeared: why is there no room for creativity in the majority of the methods and practices of piano teachers? This question brought up others such as how to teach piano in a creative matter and how to guide children towards thinking in a musical mind set. Without ignoring the technical aspects, traditional notation and classical music training, the search for new possible teaching methods must not restrict the ability to establish full repertoire, the capacity to utilize multiple notation methods and the understanding that interpretation is not the only form of musical expression. The constant challenge offered by students who were curious, musical and vibrant spurred me to look more closely at their musical production and to listen to their ideas about making music. With these considerations in mind, this dissertation offers a reflection that is both musical and pedagogical based on my experiences with piano students from Escola Municipal de Iniciação Artística (EMIA). This research is supported by a concise review of methods used historically in the piano pedagogy of Brazil. I present four compositions, a free improvisation and two free interviews. My sciencitific resources are based on Hans-Joachim Koellreutter (1915- 2005) and Violeta Hemsy de Gainza's (1930-) ideas about making creative music and the necessity of a bond between teacher and student in order to develop a more open musical education. Moreover, I discuss the ideas of pianist Moema Craveiro Campos and the musical educators Maria Teresa Alencar de Brito and Viviane Beineke, while also showing interest in Koellereutter and Gainza's concepts. Contributing further to this corpus are the concepts of creativity (creative learning, possibility thinking and student voice) presented by English researchers of the last decades such as Pamela Burnard, Anna Craft, Teresa Cremin and Bob Jeffrey. The ideas presented here are intended to contribute to musical education through the use of the piano. In turn, this education will facilitate creative encounters between music and children.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2015-09-24
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.