• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
Documento
Autor
Nome completo
Luciane Maria Artencio
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2007
Orientador
Banca examinadora
Lara, Marilda Lopes Ginez de (Presidente)
Moraes, João Batista Ernesto de
Talamo, Maria de Fatima Goncalves Moreira
Título em português
Princípios de categorização nas linguagens documentárias
Palavras-chave em português
Categorias
Categorização
Categorização filosófica
Categorização semântico-cognitiva
Categorização sócio-cultural
Linguagens documentárias.
Organização do conhecimento
Teoria da Classificação
Resumo em português
Para verificar como a noção de categoria é utilizada historicamente nas linguagens documentárias, partimos de uma breve sistematização das propostas de categorização na filosofia, tal como ela se apresenta em Aristóteles, Kant e Wittgenstein, na semântica cognitiva, segundo Lakoff, com base em Rosch, e na sociologia do conhecimento, com Mauss. Analisamos, em seguida, reflexões feitas sobre a categorização nas linguagens documentárias realizadas por autores clássicos da Biblioteconomia - Shera, Dahlberg, Piedade, Fonseca, Grolier - e pelos autores contemporâneos - Blair e Iyer. O levantamento permitiu verificar que as noções de categoria e de categorização, embora nem sempre trabalhadas de modo explícito na literatura da Biblioteconomia e Ciência da Informação, permeiam os princípios de elaboração das linguagens documentárias refletindo, de certo modo, as várias formas de conceber os conceitos. Os sistemas enciclopédicos de classificação tendem a utilizar o conceito a partir de Aristóteles, aplicando-o prioritariamente como noção de classe que se divide, de modo apriorístico e sucessivo, em gêneros e espécies etc., procedimento que se altera gradativamente por influência de Kant, quando a noção passa a privilegiar as propriedades dos objetos e fenômenos. Atualmente existe uma tendência fugaz de categorização nas linguagens documentárias de acordo com as variações socioculturais, enfatizando as funções e locais onde estas variações ocorrem. Este procedimento confere maior flexibilidade à linguagem documentária.
Título em inglês
Categorization´s principles in documentary language.
Palavras-chave em inglês
Categories
Categorization
Classification theory
Cognitive and semantic categorization
Documentary languages.
Knowledge organization
Philosophical categorization
Social and cultural categorization
Resumo em inglês
In order to find out how the concept of category is historically used in documentary language we start from a limited systematization of philosophy categorization as proposed by Aristotle, Kant and Wittgenstein, the cognitive semantic categorization according to Lakoff who based his proposal on Rosch, and in knowledge sociology as per Mauss. We then proceed to analyze categorization of documentary language as presented by Librarianship classic authors such as Shera, Dahlberg, Piedade, Fonseca, and Grolier. We also looked into the contemporary authors Blair and Iyer. The investigation allowed us to see that although not always apparent in the literature of Librarianship and Information Science, the notion of category and categorization is implicit in the principles of documentary language elaboration which influences the several ways of elaborating concepts. The encyclopedic classification systems have a tendency of utilizing concepts according to Aristotle, applying it as a notion of class which breaks down according to priority, successiveness, genre, type, etc. This classification style was gradually altered by Kant, where the concept of category and categorization first emphasizes the properties of objects and phenomena. Today we see a brief tendency to categorizing documentary language according to social and cultural variations, observing the functions and sites where the processes occur. This tendency allows more flexibility to documentary language.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
DISS_LMA.pdf (653.51 Kbytes)
Data de Publicação
2008-06-09
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2014. Todos os direitos reservados.