• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.25.2007.tde-27082007-160648
Documento
Autor
Nome completo
Luis Eduardo Butignon
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Bauru, 2007
Orientador
Banca examinadora
Bonachela, Wellington Cardoso (Presidente)
Pegoraro, Luiz Fernando
Vergani, Carlos Eduardo
Título em português
Análise comparativa do grau de rotação de parafusos para sistema UCLA em estruturas fundidas em monobloco provenientes de 'abutments' calcináveis e com cinta de Colbato-Cromo
Palavras-chave em português
Afrouxamento de parafusos
biomecânica sobre implantes
Implantes osseointegrados
próteses parafusadas.
Resumo em português
Problemática: De ocorrência clínica bastante comum, o afrouxamento dos parafusos que compõe uma prótese sobre implante é uma complicação que traz transtornos tanto para o profissional quanto para o paciente. Proposição: O objetivo deste estudo foi comparar o grau de rotação de parafusos de titânio (grau 5), durante testes de torque, re-torque e os valores de destorque (Ncm), sobre infra-estruturas fundidas em monobloco, a partir de abutments tipo UCLA totalmente calcináveis e com cinta usinada em Co-Cr. Material e métodos: Um dispositivo leitor da quantidade de graus foi especialmente desenvolvido para este estudo, juntamente com um software . Dois implantes Revolution - SIN de 3,75 mm de diâmetro e 13 mm de comprimento e hexágono externo foram montados na base de um dispositivo e diretamente sobre eles foram obtidos os padrões para fundição dos corpos de prova. Cada corpo de prova foi formado por dois abutments tipo UCLA, totalmente calcináveis ou com cinta em Co-Cr, interligados por uma barra acrílica. Foram obtidos 10 corpos de prova para cada grupo e 40 parafusos de titânio (Grau 5) foram usados para os testes. Obteve-se então a medição do ângulo criado durante o aperto e re-aperto dos parafusos, sendo o re-aperto realizado após 10 minutos do aperto inicial, ambos sob torque de 30Ncm. Após o procedimento de re-aperto, o valor de destoque era imediatamente aferido e anotado em Ncm, possibilitando avaliar a quantidade de torque retido pelo parafuso após o procedimento, sendo esta seqüência realizada 3 vezes para cada corpo de prova. Análises em MEV foram realizadas nas bases de assentamento dos abutments antes e após a realização dos testes, assim como na superfície dos parafusos, a fim de se encontrar eventuais danos na microestrutura dos mesmos. O teste ?t? de student foi aplicado para uma avaliação entre os grupos e o teste ANOVA a um critério foi utilizado para análise intra-grupo. Resultados: Os resultados revelaram que durante os procedimentos de torque (aperto), os parafusos empregados em infra-estruturas obtidas a partir de abutments totalmente calcináveis apresentaram um maior grau de rotação (ensaio1: 61,664°; ensaio 2: 47,718°; ensaio 3: 47,374°), quando comparados aos parafusos empregados em infra-estruturas obtidas de abutments com cinta usinada em Co-Cr (ensaio 1: 49,038°; ensaio 2: 41,636°; ensaio 3: 43,273°), sendo a diferença entre os grupos estatisticamente significante em todos os ensaios realizados; P<0,05. Além disso, em ambos os grupos, a maior rotação dos parafusos ocorreu no primeiro aperto dos mesmos tanto durante o procedimento de torque quanto no procedimento de re-torque. Durante o re-torque, o ângulo formado na cabeça dos parafusos também foi sempre maior para o grupo Acrílico Calcinável (ensaio 1: 14,591°; ensaio 2: 12,987°; ensaio 3: 13,095°), comparado ao grupo Co-Cr (ensaio 1: 11,481°; ensaio 2: 10,117°; ensaio 3: 12,213°), sendo que diferença estatisticamente significante foi encontrada entre os ensaio 1 e 2; P<0,05. Os valores médios de destorque (quantidade de torque retido durante o aperto dos parafusos) também foram sempre maiores para o grupo Acrílico Calcinável (ensaio 1: 27,325Ncm; ensaio 2: 27,050Ncm; ensaio 3: 26,975Ncm), quando comparado ao grupo Co-Cr (ensaio 1: 26,250Ncm; ensaio 2: 26,975Ncm; ensaio 3: 26,400Ncm), porém sem diferença estatisticamente significante. As Imagens obtidas das análises em MEV demonstraram que as superfícies das bases de assentamentos do abutments obtidos a partir de abutments totalmente calcináveis apresentaram grandes irregularidades superficiais, comparadas às obtidas a partir de bases usinadas em Co-Cr, as quais apresentaram um padrão mais liso e uniforme. Quanto à análise dos parafusos, foi encontrado que as maiores deformações dos mesmos ocorrem na base de assentamento de sua cabeça no interior do abutments assim como na região da sua primeira rosca (apical). Conclusões: Tanto para o momento de torque quanto para o momento de re-torque, infra-estruturas do grupo Acrílico Calcinável permitiram maior rotação dos parafusos dos abutments, quando comparados com o grupo Co-Cr. Na análise dos valores de destorque, estatisticamente os grupos foram considerados semelhantes. Imagens em MEV, antes da realização dos testes de torque, re-torque e destorque revelaram que a base de assentamento do grupo Acrílico Calcinável apresentou aspecto mais irregular da fundição quando comparado ao grupo Co-Cr. Em ambos os grupos, partículas de titânio foram encontradas incrustadas nestas bases de assentamento após a realização desses testes, segundo dados do EDS. As imagem em MEV revelaram ainda que os parafusos se deformam principalmente na base de sua cabeça que se assenta no interior dos abutments, assim como na região da sua primeira rosca(apical).
Título em inglês
Comparative analysis of the rotational angle degree on UCLA burnout/Cobalt-Chromium machined collar abutment screws for one-piece cast metal frameworks
Palavras-chave em inglês
implant biomechanics
osseointegrated implants
screw loosening
screwed implant prostheses
Resumo em inglês
Problem: The abutment screw loosening is a common drawback which concerns both patients and practitioners. Purpose: The aim of this study is to compare the rotational angle degree of Grade V titanium screws during torque, retorque and detorque steps (Ncm) on one-piece cast metal frameworks obtained from UCLA burnout/Co-Cr machined collar abutments. Material and methods: Two external hexagonal implants with 3.75mm in diameter and 13mm in length (Revolution, SIN) were secured to a metallic base and the wax patterns directly fabricated over them. The UCLA burnout/ Co-Cr machined collar abutments were screwed to the implants and joined together with an acrylic resin bar. Ten samples for each abutment type were fabricated. Forty Grade V titanium screws were used in the test. The rotation angle degree was measured with the aid of an specially constructed device and a computer software, during torque and retorque procedures, being the retorque made 10 minutes after the initial torque, both under 30Ncm. After the retorque procedures, the detorque values were measured. The overall sequence (torque, retorque, and detorque) was made three times for each sample. SEM analysis at the implant-abutment interfaces were made before and after the tests, as well as on the screw surfaces to detect possible microdamaging. The Student?s t test was used for between group analyses and the one-way ANOVA test for within group analyses. Results: The rotational angle degree was higher for screws used in the UCLA burnout (test 1: 61,664°; test 2: 47,718°; test 3: 47,374°) than in the Co-Cr machined collar abutments (test 1: 49,038°; test 2: 41,636°; test 3: 43,273°) (P<.05). The highest rotational degree values were observed on the first screwing during torque and retorque procedures. During retorque, the angle formed on the screw head was higher for the UCLA burnout (test 1: 14,591°; test 2: 12,987°; test 3: 13,095°) than the Co-Cr machined collar abutments (test 1: 11,481°; test 2: 10,117°; test 3: 12,213°), being these differences statistically significant between the first and second screwing (P<.05). The mean detorque values were higher in the UCLA burnout (test 1: 27,325Ncm; test 2: 27,050Ncm; test 3: 26,975Ncm) than in the Co-Cr machined collar screw abutments (test 1: 26,250Ncm; test 2: 26,975Ncm; test 3: 26,400Ncm), but not statistically significant. The SEM images demonstrated that the seating surface of the UCLA burnout abutments presented greater irregularities than the Co-Cr machined collar surfaces, which present a more smooth and flat pattern. Greater deformations were found at the seating abutment screw undersurfaces and in the first apical thread as well. Conclusions: The rotational degree was higher in the torque and retorque procedures for UCLA burnout than in the Co-Cr machined collar screw abutments. The detorque values were similar in both groups. The SEM images before torque, retorque and detorque procedures revealed more surface irregularities in the UCLA burnout abutments. In both groups, titanium debris were found in the seating abutment platforms after the tests by EDS images. The SEM images revealed that the abutment screws suffer deformation in the abutment head undersurface as well as in their first apical threads.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
LuisButignon.pdf (2.59 Mbytes)
Data de Publicação
2007-08-27
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.