• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.25.2008.tde-16042009-110639
Documento
Autor
Nome completo
Renata Cristina Faria Ribeiro de Castro
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Bauru, 2008
Orientador
Banca examinadora
Freitas, Marcos Roberto de (Presidente)
Almeida, Renato Rodrigues de
Sant'Ana, Eduardo
Siqueira, Danilo Furquim
Vercelino, Celia Regina Maio Pinzan
Título em português
Influência da qualidade da finalização ortodôntica na estabilidade do tratamento da má oclusão de classe II
Palavras-chave em português
estabilidade e recidiva
finalização ortodôntica
má oclusão de Classe II
Resumo em português
O objetivo deste estudo retrospectivo foi buscar variáveis oclusais relacionadas com o prognóstico da estabilidade da correção da má oclusão de Classe II, tratada sem e com extrações. Para tanto, foram selecionados 78 registros de documentações, pertencentes ao arquivo da disciplina de Ortodontia da Faculdade de Odontologia de Bauru, com má oclusão inicial de Classe II completa bilateral, divisão 1, tratada pela mecânica Edgewise e acompanhada por um período médio de 10 anos póstratamento. Essa amostra foi dividida em três grupos, de acordo com o protocolo de tratamento: Grupo 1: constituído por 25 pacientes, com idade inicial média de 12,74 anos, tratados sem extrações, por um período médio de 2,41 anos; Grupo 2: contendo 25 pacientes, com idade inicial média de 13,42 anos, tratados com extrações dos primeiros pré-molares superiores, por um período médio de 2,10 anos; Grupo 3: composto por 28 pacientes, com idade inicial média de 12,98 anos, tratados com extrações dos primeiros pré-molares superiores e primeiros ou segundos pré-molares inferiores, por um período médio de 2,10 anos. As avaliações oclusais foram realizadas em modelos de gesso dos pacientes, nas fases inicial (T1), final de tratamento (T2) e na fase pós-tratamento (T3), utilizando os índices PAR e de irregularidade de Little. O percentual de redução do índice PAR, durante o tratamento, foi de 72,58% para o grupo 1, 80,17% para o grupo 2 e 79,37% para o grupo 3. Para comparação intergrupos, utilizaram-se a análise de variância a um critério e o teste não paramétrico do Qui-quadrado. Os grupos apresentaram-se semelhantes quanto ao gênero, idades (fases T1, T2 e T3), tempo de tratamento, percentual de redução do PAR, eficiência do tratamento e no tempo pós-tratamento. A única variável oclusal responsável pela ausência de uma finalização ortodôntica de excelência (PAR T2 = 0) e pela recidiva evidenciada na fase pós-tratamento, foi a oclusão posterior. Ao separar a amostra em grupos bem finalizado (50 pacientes com o PAR T2 5) e mal finalizado (28 pacientes com PAR T2 > 5) em relação às alterações ocorridas no período pós-tratamento (PAR T3 - T2 e Little T3 T2), verificou-se por meio do teste t independente, que ambos os grupos foram estatisticamente semelhantes em relação à recidiva; no entanto, uma boa finalização ortodôntica proporcionou melhores resultados oclusais e funcionais, nas fases T2 e T3. A recidiva do apinhamento ântero-inferior (Little T3 T2) não correlacionou-se com as alterações oclusais ocorridas no período pós-tratamento (PAR T3-T2).
Título em inglês
Quality influence of the orthodontic finished in the treatment stability of Class II malocclusion
Palavras-chave em inglês
class II malocclusion
orthodontic finished
stability and relapse
Resumo em inglês
The objective of this retrospective study was to seek oclusal variables related to correction of Class II malocclusion stability prognosis, treated without and with extractions. As such, 78 documentation records were selected, belonging to the Orthodontic Department from the Bauru Dental School, with an initial complete bilateral malocclusion of Class II, division 1, treated with Edgewise mechanics and followed up for an average period of 10 years post-treatment. This sample was divided into three groups, according to the treatment protocol: Group 1: consisted of 25 patients, with average initial age of 12.74 years, treated without extractions, for an average period of 2.41 years; Group 2: consisted of 25 patients, with an average initial age of 13.42 years, treated with extractions of the first superior premolar teeth, for an average period of 2.10 years; Group 3: consisted of 28 patients, with an average initial age of 12.98 years, treated with extractions of the first superior premolar teeth and first or second inferior premolar teeth, for an average period of 2.10 years. Occlusal evaluations were done on the patients cast models, at the initial phase (T1), at the end of treatment (T2) and post-treatment phase (T3), using the PAR index and Little irregularity index. The percentile reduction for the PAR index, during the treatment, was 72,58% for group 1, 80,17% for group 2 and 79,37% for group 3. For the intergroup comparisons, one-way ANOVA and the non-parametric Chi-square tests were used. The groups were similar regarding gender, ages (phases T1, T2 and T3), time of treatment, PAR reduction percentile, treatment efficiency and post-treatment duration. The only occlusal variable responsible for the absence of excellent orthodontic finalization (PAR T2 = 0) and by relapse evidenced in the post-treatment phase, was the posterior occlusion. When separating the sample in groups well finalized (50 patients with PAR T2 5) and with bad finalization (28 patients with PAR T2 > 5) in relation to the alterations occurred in the post-treatment period (PAR T3 - T2 and Little T3 - T2), it was verified by using an independent t test that both groups were statistically similar in relation to relapse, however, good orthodontic finalization provided better occlusal and functional results in phases T2 and T3). Anterior inferior crowding relapse (Little T3 T2) did not correlate with the occlusal alterations occurred in the post-treatment period (PAR T3 -T2).
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Há arquivos retidos devido a solicitação (publicação de dados, patentes ou diretos autorais).
Data de Publicação
2009-04-23
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.