• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.25.2009.tde-03072009-111632
Documento
Autor
Nome completo
Paula Costa Pinheiro Sampaio
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Bauru, 2009
Orientador
Banca examinadora
Atta, Maria Teresa (Presidente)
Barata, Terezinha de Jesus Esteves
Wang, Linda
Título em português
Efeito da base de cimento de ionômero de vidro convencional e modificado por resina na interface adesiva dente/resina composta após termociclagem
Palavras-chave em português
Cimento de ionômero de vidro
Contração de polimerização
Microscópio confocal
Resina composta
Sistema adesivo
Termociclagem
Resumo em português
Resinas compostas apresentam contração de polimerização e a tensão gerada durante essa polimerização compete com a força adesiva na interface dente/restauração. A técnica incremental e o uso de bases com alta resiliência e módulo de elasticidade próximo ao das estruturas dentárias são técnicas desenvolvidas para tentar diminuir a tensão originada pela contração de polimerização. O presente estudo teve como objetivo analisar a influência do uso de bases de cimento de ionômero de vidro convencional e modificado por resina na qualidade e adaptação marginal na interface dentina/resina composta, após a ciclagem térmica, usando testes de resistência adesiva e análise em microscopia confocal de varredura a laser. Foram confeccionadas cavidades na face oclusal (4,5mm x 3mm x 5mm) de 60 molares humanos extraídos divididos em 6 grupos: 1 e 4 - sistema adesivo (AdperTM Single Bond; 3M ESPE) + resina composta (Filtek Z250; 3M ESPE); 2 e 5 - base de cimento de ionômero de vidro convencional (Ketac Molar Easymix; 3M ESPE) + sistema adesivo + resina composta; e 3 e 6 - base de cimento de ionômero de vidro modificado por resina (Vitrebond; 3M ESPE) + sistema adesivo + resina composta. Os grupos 4, 5 e 6 sofreram um processo de termociclagem com dois banhos (5ºC 55ºC) durante 30 segundos em 5.000 ciclos. Após 24 horas, os dentes foram seccionados em uma máquina de cortes com disco de diamante em espessura de 0,8mm. Uma fatia de cada dente foi separada aleatoriamente para análise em Microscópio Confocal para observação e mensuração de possíveis fendas marginais internas. As demais fatias foram seccionadas para a confecção de palitos (0,8mm X 0,8mm) que foram submetidos a testes de microtração em uma máquina de ensaios universal EMIC. Os resultados de resistência adesiva foram submetidos à análise de variância a um critério (ANOVA) e ao teste t-Student (p< 0,05). A presença de fendas foi avaliada com o teste da razão de verossimilhança ou teste exato de Fisher e os valores de comprimento das fendas foram avaliados pelo teste não paramétrico de Kruskal-Wallis (p<0,05). Não foram observadas diferenças estatisticamente significantes na resistência adesiva em nenhum dos grupos sem termociclagem (G1 19,28 MPa; G2 16,29 MPa; e G3 15,95MPa) ou com termociclagem (G4 19,74 MPa; G5 16,58 MPa; e G6 16,01 MPa). A análise das medidas das fendas revelou não haver diferença estatisticamente significante entre os grupos G1 (1,4µm), G2 (2,88µm) e G3 (4,63µm) e entre os grupos G4 (4,2µm), G5 (12,5µm) e G6 (5,4µm). No entanto, a termociclagem determinou um aumento do tamanho médio das fendas no grupo com base de CIV convencional (G4 12,5µm). A análise da presença ou ausência de fendas mostrou um aumento na porcentagem do número de fendas quando os espécimes foram termociclados, para os grupos sem base e com base de CIV (G1 - 30%; G2 - 25% G3 25%; G4 - 53,33%; G5 70%; e G6 30%). Os resultados mostraram, ainda, não haver relação entre o comprimento e a formação das fendas com a resistência adesiva. Conclui-se, portanto, que o uso de base de cimento de ionômero de vidro modificado por resina mantém mais estável a qualidade da interface adesiva dentina/resina composta após envelhecimento artificial com termociclagem.
Título em inglês
Effect of conventional and resin-modified glass ionomer cements base on tooth/composite resin adhesive interface after termocycling
Palavras-chave em inglês
Adhesive
Confocal microscopy
Glass ionomer cement
Polymerization shrinkage
Resin composite
Thermocycling
Resumo em inglês
Polymerization shrinkage leads to a tension into dentin/resin composite interface that can cause marginal discoloration, poor marginal adaptation, secondary caries and post-operative sensitivity. The incremental restorative technique and the use of a resilient liner with a modulus of elasticity similar to dental structures are techniques used to decrease the shrinkage polymerization tension. The aim of this in vitro study was to analyze the effect of glass-ionomer cement as a liner on the adhesive interface dentin/resin of occlusal restorations after thermocycling aging. Occlusal cavities were prepared sixty human extracted molars, divided into six groups: 1 and 4 with no liner; 2 and 5 glass-ionomer cement (Ketac Molar Easymix); and 3 and 6 resin-modified glass-ionomer cement (Vitrebond). Resin composite (Filtek Z250) was placed after application of adhesive system Adper Single Bond 2. Adhesive system was mixed with fluorescent reagent (Rhodamine B) to allow confocal microscopy analysis. After that, the specimens of groups 4, 5, 6 were thermocycled into 2 baths (5ºC 55ºC) of 30s each in 5.000 cycles. After this period, teeth were sectioned in 0,8mm slices. One slice of each tooth was randomly selected for analysis in Confocal Microscopy. The other ones were sectioned in sticks, which were submitted to micro-tensile test. The results of adhesive strength were analyzed by one way ANOVA and t-Student tests. Gap formation were analysed by Fisher test and the gaps size were analyzed by Kruskal-Wallis test (p<0,05). No statistical difference on adhesive resistance was showed between groups. Confocal Microscopy analysis showed gaps with a higher mean sizes for group 4 (12,5µm) and higger percentage of marginal gaps formation for the thermocycled groups (G1 - 30%; G2 - 25%; G4 - 53,33%; G5 70%). Groups 3 (25%) and 6 (30%) showed the lowest percentage of marginal gap formation. The results revealed that gap formation is not related to adhesive strength. It can be concluded, therefore, that the use of a resin-modified-glassionomer cement liner showed less gap formation on dentin/composite adhesive interface after artificial aging compared to conventional glass ionomer cement liner and restorations with no lining.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2009-07-07
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.