• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.23.2012.tde-14012013-154740
Documento
Autor
Nome completo
Ricarda Duarte da Silva
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2012
Orientador
Banca examinadora
Oliveira, Rogerio Nogueira de (Presidente)
Freitas, Patricia Moreira de
Kanto, Evelyn Anzai
Melani, Rodolfo Francisco Haltenhoff
Silva, Ricardo Henrique Alves da
Título em português
Fluorescência dental: possível aplicação forense
Palavras-chave em português
Estimativa de idade
Fluorescência
Identificação humana
Odontologia legal
Resumo em português
Nos casos de identificação de ossadas, segmentos do esqueleto ou ossos isolados, buscar o diagnóstico dos dados biotipológicos, como a idade do indivíduo, proporciona a possibilidade de estabelecer uma conexão com suspeitos desaparecidos. Em dentes naturais a fluorescência ocorre em dentina e também em esmalte, embora este apresente menor índice de fluorescência. É sabido que o esmalte, a dentina e polpa sofrem mudanças notáveis durante a vida do indivíduo. O esmalte torna-se mais mineralizado, liso e fino, sofre desgaste fisiológico e patológico o que pode causar áreas de exposição da dentina que altera a expressão cromática do dente natural. A polpa diminui em volume devido à deposição de dentina secundária, assim a dentina torna-se espessa com o tempo. Sendo o esmalte e a dentina responsáveis pelo fenômeno de fluorescência dental e estes elementos dentários sofrem alteração significativa durante a vida, sugere-se avaliar tal fenômeno sob a luz da odontologia legal com vista a desenvolver um método para se estimar a idade de um indivíduo. O presente estudo tem por propósito verificar a existência de correlação entre idade e alteração da fluorescência em dentes in vivo. A amostra foi constituída por 66 brasileiros, de ambos os gêneros, selecionados aleatoriamente. Os sujeitos de pesquisa se encontravam com idades entre 07 e 63 anos e foram divididos em 6 grupos: Grupo 1 07 a 12 anos; Grupo 2 - 13 a 20 anos; Grupo 3 21 a 30 anos; Grupo 4 31 a 40 anos; Grupo 5 41 a 50 anos e Grupo 6 51 a 63 anos. Foram incluídos na amostra os incisivos centrais superiores direito ou esquerdo livres de restaurações ou qualquer outro procedimento reabilitador ou estético nas regiões onde foi mensurada a fluorescência. Foi confeccionado um sistema de captura de imagem. A mensuração da fluorescência do dente foi realizada através da análise computacional das imagens digitais com o auxílio do software ScanWhite DMC / Darwin Systems - Brasil. A fluorescência dental decresce quando comparamos os grupos de faixa etária 21 a 30, 31 a 40, 41 a 50 e 51 a 63 anos, havendo diferença estatisticamente 8 significativa entre os grupos 41 a 50 anos e 21 a 30 anos (p=0,005) e também entre o grupo 51 a 63 anos e os demais grupos (p<0,05)). Pode-se concluir que a fluorescência dental está correlacionada com a idade e apresenta um comportamento semelhante e estável dos 7 aos 20 anos de idade, atinge seu valor máximo esperado na idade de 26,5 anos e a partir de então decresce. Através da análise do conjunto das variáveis estudas sugere-se tabela para auxiliar na identificação humana (Apêndice B).
Título em inglês
Fluorescence dental: potential application in forensic science
Palavras-chave em inglês
Estimated age
Fluorescence
Forensic dentistry
Human identification
Resumo em inglês
In cases of identification of bones, some segments of the skeleton or isolated bones fetch the diagnostic data Biotype as an estimated age of the individual providing the possibility of establishing a connection to suspects disappeared. The fluorescence in natural teeth occurs in dentin and enamel as well, although this presents a lower rate of fluorescence. It is known that the enamel, dentin and pulp undergo remarkable changes during the life of the individual. The enamel becomes more mineralized, smooth and thin, wears physiological and pathological which can cause areas of dentine exposure that alters the expression of the natural tooth color. The pulp volume decreases due to deposition of secondary dentin as the dentin becomes thicker with time. Therefore, if the enamel and dentin are responsible for the phenomenon of fluorescence dental and these dental elements suffer significant changes during life, now the phenomenon of fluorescence is investigated appropriately can provide us a method to estimate the age of an individual. The purpose of this study was to verify the correlation between age and change in dental fluorescence in vivo. The sample consists of 66 Brazilians, both gender, randomly selected. Research subjects should be aged between 13 and 63 years and will be divided into five groups: Group 1 - ages 07 - 12 years, Group 2 - ages 13-20 years, Group 3 - ages 21-30 years, Group 4 - ages 31 to 40 years and Group 5 - aged 41- 50 years and Group 6: aged 51-63 years. The upper central incisors right or left will be examined and shall be free of restorations or other rehabilitative or cosmetic procedure, which includes whitening teeth, cheeks where it will be measured fluorescence. Were included in the sample the upper central incisors right or left free of any restoration or rehabilitation or aesthetic procedure in the regions where the fluorescence was measured. A system of image capture was fabricated. The measurement of the fluorescence of the tooth was performed by computer analysis of digital images with the help of software ScanWhite DMC / Darwin Systems - Brazil. 10 The fluorescence decreases when comparing dental age groups 21-30,31-40,41-50 and 51-63 years, statistically significant difference between the groups 41-50 years and 21-30 years (p=0.005) and also between the group 51-63 years and the other groups (p<0.05). It can be concluded that the dental fluorescence correlates with the age and has a similar and stable behavior at the 7 to 20 years of age, reaches its maximum expected value of 26.5 years of age and thereafter decreases. Through the analysis of all variables studied suggest table to assist in human identification (Appendix B).
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2013-02-20
 
AVISO: O material descrito abaixo refere-se a trabalhos decorrentes desta tese ou dissertação. O conteúdo desses trabalhos é de inteira responsabilidade do autor da tese ou dissertação.
  • Silva RD, et al. Estimating age of Brazilians using the methods of Demirjian and Nicodemo, Moraes and Médici: A comparative analysis [doi:10.4236/fmar.2013.13011]. Forensic Medicine and Anatomy Research [online], 2013, vol. 01, p. 57-62.
  • Silva RD, OLIVEIRA JÚNIOR, O. B., and OLIVEIRA RN. Dental fluorescence: Potential forensic use [doi:10.1016/j.forsciint.2013.05.001]. Forensic Science International [online], 2013, vol. 231, p. 167-171.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.