• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.23.2002.tde-18032004-091330
Documento
Autor
Nome completo
Flavio Francisco de Godoy Peres
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2002
Orientador
Banca examinadora
Crivello Junior, Oswaldo (Presidente)
Regalo, Simone Cecilio Hallak
Lemos, Jose Benedito Dias
Título em português
"Avaliação do risco potencial de lesão do nervo facial nas vias de acesso pré-auricular e submandibular no tratamento cirúrgico das fraturas do processo condilar da mandíbula"
Palavras-chave em português
Cirurgia bucomaxilofacial
Fraturas mandibulares
Nervo facial
Resumo em português
RESUMO O nervo facial é uma importante preocupação para o cirurgião durante o acesso à cabeça da mandíbula, quando o tratamento cirúrgico é escolhido. As duas vias mais freqüentemente utilizadas, a pré-auricular e submandibular possuem uma relação anatômica direta com seu ramo temporal e marginal da mandíbula, respectivamente. Tanto o desconhecimento de possíveis variações na sua distribuição anatômica do nervo facial como os elementos fundamentais da técnica cirúrgica influenciam o risco de seqüela pós-operatória. Para a via de acesso pré-auricular, há uma definida posição imediatamente pré-auricular junto à cartilagem do trágus, a incisão relaxante é apontada por alguns autores como manobra preventiva de seqüelas como o lagoftalmo (incapacidade da oclusão palpebral). O plano único profundo à fáscia temporoparietal (na fossa temporal), ao periósteo do arco zigomático, e à fáscia parotideomassetérica geram um retalho que parece proteger os ramos que cruzam o mencionado arco. No que tange à via de acesso submandibular, o ângulo e a base da mandíbula bem como os vasos faciais (artéria e veia faciais) são referenciais anatômicos consagrados na literatura. Entretanto, a mesma literatura aponta para uma freqüente pluricidade na ramificação do clássico nervo marginal da mandíbula, ramo do nervo facial, em uma situação subplatismal a uma distância variável da base da mandíbula. A não identificação do nervo pode acarretar diferentes graus de seqüela labial pela lesão nervosa por compressão ou estiramento mecânicos, queimaduras nervosas na eletrocoagulação imprecisa e tempestiva de vasos adjacentes, ressecção nervosa com a conseqüente paresia transitória ou ainda a paralisia permanente da musculatura do lábio inferior do lado afetado. Lesão térmica ou mecânica devem ser prevenidos durante as manobras hemostasia e sínteses. Para tanto, o mapeamento intra-operatório pré-incisional (paciente sob anestesia geral) de modo ainda bastante incipiente parece ser uma ferramenta promissora na localização precisa de modo a orientar profilaticamente a incisão inicial.
Título em inglês
"Assessment of hte potential risk of lesion of the facial nerve during peauricular and submandibular approaches to the surgical treatment for mandibular condylar process fractures"
Palavras-chave em inglês
Buco-maxillo-facial nerve
Facial nerve
Mandibular fractures
Resumo em inglês
SUMMARY The facial nerve is an important surgeon concern while approaching the mandibular condylar process in the fracture surgical treatment. The preauricular and submandibular pathways are the two most frequently used approaches, which have a direct relation to the temporalis and marginalis mandibulae branches of the facial nerve, respectively. The lack of knowledge over possible variations on their anatomical distribution and mastery of the fundamental elements on surgical technique jeopardize the patient to the postoperative sequels. About the preauricular approach, there is a well-established tragus anterior incision. Some authors point out a continuous relaxing incision as a preventive maneuver to avoid lagophtalmus, for instance. The opening of an unique plane formed by the profound face of the temporoparietal fascia in the temporal region, deep face of periostheum over zygomatic arch and parotideomasseteric fascia as well generates a protective flap which includes facial nerve branches that cross up-and-forwardly the zygomatic arch. In regards to the submandibular approach, the angle and lower border of the mandible as well facial vessels are scientific well-known anatomic landmarks to place the initial incision, preventing the facial nerve from lesion. Nevertheless, recent scientific publications point out some frequent multiple branching patterns in the marginalis mandibulae, a facial nerve branch, always underneath platysm muscle in a variable caudad distance from lower border of the mandible. The lack of identification of the nerve may lead to different degrees of lower lid sequel by compression or strechening strengths, electric burns during imprecise adjacent bleeding vessels electric coagulation maneuver, or even a complete nerve transection responsible for a permanent paralysis of the lower lid. Thermal or mechanical injury should be avoided during haemostatic and synthesis maneuvers. The intra-operative pre-incisional mapping of the facial nerve (patient under general anesthesia), a very new method already on experimentation seems to be a promising tool in the nerve localization in the way to guide the surgeon before initial incision.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
TeseToda.pdf (185.01 Kbytes)
Data de Publicação
2004-07-16
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.